Castelo de Redondos / Torre de Redondos

IPA.00001277
Portugal, Coimbra, Figueira da Foz, Buarcos
 
Arquitectura militar, medieval e seiscentista. Castelo medieval de que subsiste o cunhal de uma torre.
Número IPA Antigo: PT020605040020
 
Registo visualizado 1177 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Militar  Castelo    

Descrição

Da primitiva estrutura fortificada subsistem as ruínas de uma torre militar.

Acessos

Rua 5 de Outubro; Avenida Marginal

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto nº 2/96, DR, 1ª série-B, n.º 56 de 6 março 1996

Enquadramento

Urbano, no cimo de uma colina, rodeado por casario antigo e com espaço envolvente delimitado por muro de protecção.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Militar: castelo

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1096 - Data da referência mais remota à existência de uma torre em Buarcos, constante na doação feita pelo Abade Pedro à Sé de Coimbra; 1256 - notícia do emprazamento da Torre de Buarcos a João Retundo, feita pelo senhor de Eimide; séc. 13 - num rol das propriedade do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra vem mencionada a torre de Buarcos ("ar habent torrem de buarcos cum as vinea"; 1579 - no Livro de Fazendas e Rendas da Universidade de Coimbra faz-se referência ao Castelo de Buarcos, assinalando-se que possui uma torre forte para defesa; séc. 16 - aparece designada como Torre de Cima da Igreja ou do Mosteiro de Santa Cruz, distinguindo-se esta de uma outra denominada Torre de Baixo ou de Gonçalo Pryvado; 1697 - D. Leonardo de Santo Agostinho doa a alcaidaria-mor da Torre de Redondos a seu sobrinho Pedro Viegas de Novais; 1788 - nas informações sobre os direitos do Mosteiro de Santa Cruz na vila de Redondos, desde a origem ao séc. 18, é mencionada a Torre de Redondos; 1843 - Carlos Van Zeller e o Conde Raczynski referem-se à torre, que possuia ainda ameias e muralhas, assinalando o seu estado de ruína; 1854, 30 Outubro - por decisão do Ministério das Obras Públicas, o castelo é mandado demolir, tendo sido "salvo e reparado [o] cunhal do torrião, pelo engenheiro hidrógrafo Francisco Maria Pereira da Silva, para servir de marca aos marítimos e de sinal aos trabalhos geodésicos e topográficos do reino";

Dados Técnicos

Materiais

Alvenaria de pedra argamassada.

Bibliografia

CORREIA, Vergílio e GONÇALVES, A. Nogueira, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Coimbra, Lisboa, 1952; BORGES, Nelson Correia, Coimbra e Região, Lisboa, 1987; BORGES, José Pedro de Aboim, Figueira da Foz, Lisboa, 1991; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/70908 [consultado em 14 outubro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN, DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Cecília Matias 2001 / Sandra Lopes 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login