Solar Quevedo Pessanha

IPA.00012533
Portugal, Castelo Branco, Belmonte, Caria
 
Casa nobre tardo-barroca, de fachadas sóbrias, ritmadas pelas pilastras de uma só ordem, assentes em altas bases que ocupam todo o primeiro registo do imóvel, destacando-se o triplo friso do remate, sendo o superior convexo, tendência que se repete no remate da capela, mas esta apenas com dois frisos. É de planta em L e evolui em dois pisos e dois registos divididos por friso, não coincidentes, uma vez que as janelas do piso inferior têm a verga acima do friso divisório dos registos, numa solução pouco comum para dinamizar as fachadas. O ponto mais elaborado consiste na decoração dos vãos da fachada principal e do piso superior da lateral esquerda, encimados por frontões interrompidos por pequenos plintos a sustentar elemento concheado; as portas principal e da capela possuem molduras com filetes múltiplos, sendo a última encimada por cartela com cruz e coroa. A capela possui fachada principal flanqueada por pilastras toscanas, firmadas por pináculos gomeados e, sobre a sineira, existente sobre o portal divisório do espaço ajardinado e de cultivo, a data correspondente à reforma do imóvel. Fachada posterior marcada por varanda corrida em madeira revestida por rótulas, assente em pilares graníticos. O interior da casa possui portas entre as divisões de diferentes perfis, umas de verga recta e outros abatidos, demonstrando as diferentes épocas de construção do imóvel. Cozinha mantém uma enorme lareira assente em pilar de granito com arestas biseladas.
Número IPA Antigo: PT020501020032
 
Registo visualizado 172 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo planta em L

Descrição

Solar com planta em L, com capela adossada perpendicularmente à fachada principal e por casa dos caseiros no lado direito, que se une à capela por portão que acede aos terrenos da quinta, com volumes diferenciados e massas dispostas horizontalmente, de coberturas diferenciadas em telhados de seis águas no solar, duas na capela e de quatro águas na casa dos caseiros. CASA com fachadas rebocadas e pintadas de branco, as viradas para o exterior (fachada principal e lateral esquerda) ritmadas regularmente por pilastras toscanas, assentes em altas bases que ocupam todo o primeiro registo, separado do superior por friso de cantaria, ambas com quatro panos, rasgando-se um vão em cada um deles em arco abatido; remates em triplo friso, o superior convexo, encimados por pequena cornija e beiral. Fachada principal virada a E., com dois e um piso, adaptando-se ao declive do terreno, rasgada por cinco vãos com molduras recortadas e encimadas por frontão interrompido por pequeno plinto a sustentar concheado; no pano extremo esquerdo, o único de dois pisos, surge, no primeiro, portal directo para a via pública, em que o elemento concheado extravasa para a moldura da janela que o encima; sobre o telhado, chaminé quadrada, com orifícios na zona superior e remate a quatro águas. No segundo pano, antecedido por escadaria de sete degraus com guardas de granito, pequeno patamar com bancos laterais acede ao portal principal do imóvel, cuja moldura é mais elaborada, com filetes múltiplos. Fachada lateral esquerda virada a S. de dois pisos e dois registos não coincidentes, tendo, no inferior, três janelas e porta no segundo pano, com moldura simples encimadas por pequena cornija, estando a zona superior das mesmas acima do friso que divide os registos; no piso superior, quatro janelas de peitoril de perfis semelhantes aos vãos da fachada principal, com a moldura inferior curva, formando pequeno avental. No cunhal de ambas as fachadas, surge a pedra de armas. Fachada posterior de dois pisos, tendo, no inferior, rebocado e pintado de branco, vários acessos às dependências, de verga recta, sendo marcada, no superior, por varanda corrida em madeira, sustentada por pilares quadrados com parte do fuste ostentando as arestas biseladas, em granito, e revestida por rótulas. INTERIOR rebocado e pintado de branco, com pavimentos em soalho e lajeado de granito, tectos de madeira, alguns do andar nobre entalhados e brasonados; estrutura-se em várias dependências intercomunicantes por portas de verga recta com molduras de cantaria e remates em cornija, algumas em arco abatido. No primeiro piso, surgem as dependências do lar, composto por sala de entrada, sala de refeições, sala de estar, percorridas por lambris de madeira encerada, cozinhas e instalações sanitárias, aparecendo, ainda, as lojas, antigas adegas e cozinha, esta com ampla lareira, assente em pilar com as arestas biseladas; no piso superior, possui duas salas de entrada, nove dependências e duas instalações sanitárias. CAPELA de planta longitudinal simples, de fachadas rebocadas e pintadas de branco, tendo a fachada principal voltada a S., em empena com duplo friso, o superior convexo, e cornija, encimada por cruz latina sobre plinto volutado no vértice, flanqueada por cunhais apilastrados, firmados por pináculos gomeados, assentes em altos plintos; a fachada é rasgada por portal em arco abatido com moldura ostentando filetes múltiplos, encimado por frontão curvo interrompido por cartela formada por acantos, com cruz ao centro, sobrepujada por coroa fechada e cruz; sobre o portal, surge óculo quadrilobado. Fachadas laterais e posterior cegas, a última em empena. Adossa-se à capela pano de muro com portal de verga recta, surgindo, sobre uma cornija, soco trapezoidal em alvenaria, sobre o qual surge uma base paralelepipédica moldurada e volutada nos ângulos, encimada por cornija, que sustenta uma sineira em arco de volta perfeita assente em impostas salientes e rematada por cornija encurvada e cruz latina; na sineira, a data Sineira com a data "1752". CASA dos CASEIROS de planta rectangular e de dois pisos, rasgado por vários vãos rectilíneos. No espaço agrícola, existe, ainda, um cabanal.

Acessos

Rua da Igreja. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,296433, long.: -7,364023

Protecção

Em vias de classificação (Homologado como IIP - Imóvel de Interesse Público, Despacho agosto 1990) *1

Enquadramento

Urbano, isolado, a meia encosta, totalmente cercado por muros, abrangendo amplo terreno de cultivo. As fachadas voltadas à via pública são separadas por jardins individuais, protegidos por muretes de alvenaria granítica rebocados e pintados de branco, o do lado esquerdo encimado por gradeamento; ambos têm acesso por portões de ferro, o que liga à fachada principal mais elaborado, constituído por dois pilares toscanos em cantaria de granito, encimado por arquitrave em arco levemente abatido e cornija curva, sobrepujada por frontão interrompido ao centro por plinto curvo, encimado por concheado. Os jardins possuem canteiros com vegetação, o da fachada lateral esquerda com buxos recortados e poço encimado por estrutura de ferro para subir os vasilhames; no da fachada principal surgem vários bancos, no ângulo direito dois bancos de espaldar forrado a azulejo de padrão revivalista polícromo, destacando-se a recriação do padrão maçaroca a amarelo e azul sobre fundo branco.

Descrição Complementar

Pedra de armas sustentada por tenente figurando um selvagem, mais precisamente um índio brasileiro, esquartelado, o primeiro com as armas dos Teixeira, de azul com cruz de ouro potenteia e vazia, o segundo dos Cabrais de prata, com duas cabras de púrpura uma sobre a outra; no terceiro, dos Quevedos, de azul com duas caldeiras de negro e no quarto dos Pessanhas, bordada de vermelho e carregada de sete flores de lis; surge encimado por elmo e timbre com homem sainte segurando pendão; a pedra de armas é envolvida por concheados.

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Residencial: casa

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1644 - provável construção de uma primitiva casa; 1752 - data na sineira poderá indiciar a reconstrução actual do imóvel, mantendo, contudo, alguns elementos da primitiva casa; séc. 19 - reforma do jardim principal, com colocação de bancos de espaldar revestido a azulejo; 1959 - nesta data, pertencia a Maria das Mercês de Quevedo Pessanha; 1984, 13 Janeiro - abertura do Centro de Dia de Caria, no primeiro piso do imóvel, orientado pela Comissão Fabriqueira da Paróquia e com a capacidade para 27 utentes; 1990, Agosto - Despacho de classificação do Conjunto arquitetónico formado por Casa da Torre, vestigios de fortificacoes e cisterna, existentes na cerca, Capela do Calvario, Igreja Paroquial e Solar Quevedo Pessanha; 2004 - a casa encontra-se em processo de venda.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante.

Materiais

Alvenaria e cantaria de granito na estrutura, rebocada; cantaria nos cunhais, pilastras, pináculos, modinaturas, sineira, cruz, bancos do jardim, guarda do poço, pavimentos interiores; madeira nas portas, caixilhos, varanda da fachada posterior, pavimentos e coberturas internas; telha na cobertura exterior; vidro simples nas janelas; azulejo industrial nos espaldares dos bancos do jardim; ferro forjado na estrutura do poço.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, dir., Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; DIONÍSIO, Sant'Ana, Guia de Portugal, Lisboa, 1984; LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1873; MARQUES, Manuel, Concelho de Belmonte - Memória e História, Belmonte, 2001; REIS, António dos, Vila de Caria, Covilhã, 1959; SALVADO, António, Elementos para um Inventário Artístico do Distrito de Castelo Branco, Castelo Branco, 1976; TAVARES, Joaquim Cardoso e MARQUES, Manuel, Subsídios para uma Monografia da Vila de Belmonte, Belmonte, s.d. *2.

Documentação Gráfica

IGESPAR: IPPAR

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; IGESPAR: IPPAR

Documentação Administrativa

IGESPAR: IPPAR

Intervenção Realizada

Fábrica da Igreja Paroquial: séc. 20, década de 80 - obras de adaptação do piso inferior do imóvel a Centro de Dia, renovando-se os rebocos e pinturas interiores, pavimentos em madeira, colocação de lambris de madeira e pintura das molduras dos vãos.

Observações

*1 - DOF: Conjunto arquitetónico formado pela Casa da Torre, vestígios de fortificações e cisterna existentes na sua cerca, Capela do Calvário, Igreja Paroquial e Solar Quevedo Pessanha em Belmonte. *2 - texto do processo de classificação da autoria de Manuel Marques, 1989.

Autor e Data

Paula Figueiredo 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login