Ermida de São Miguel / Ermida de São Miguel do Castelo

IPA.00001237
Portugal, Évora, Évora, União das freguesias de Évora (São Mamede, Sé, São Pedro e Santo Antão)
 
Arquitectura religiosa, manuelina e maneirista. Ermida de planta longitudinal composta por nave e capela-mor mais estreita e baixa. Fachada principal rematada em frontão triangular, rasgada por portal de verga recta. Alçado lateral direito rasgado por uma janela. Cobertura da nave em abóbada de berço e em abóbada manuelina na capela-mor, onde surge uma simples ara de altar. Edifício com mais interesse cultural e histórico do que arquitectónico, modesto exemplar da arquitectura chã eborense, enriquecido com singela e modesta ábside manuelina de cobertura ogival nervurada com bocetes comuns no manuelino regional. O edifício actual é resultado da reedificação seiscentista que deixou intacta a ábside. Escultura de São Miguel barroca da época de Dom João V. O espaço de sociabilidade litúrgica é definido por um banco em alvenaria, circundante em todo o perímetro da capela. Existência de porta travessa no alçado lateral esquerdo, solução rara na região.
Número IPA Antigo: PT040705210050
 
Registo visualizado 193 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal, composta pela articulação da nave rectangular com c. de 14 X 6 m. com a abside de planta quadrada com c. 3,5 m. de lado. Cobertura diferenciada, de duas águas sobre a nave e radial sobre a ábside. A frontaria de frontão triangular ladeado por botaréus, é marcada por um pórtico simples em cantaria de granito, com jambas emolduradas, bases de decoração geométrica clássica, losangos inscritos em rectângulos, cornija simples encimando uma inscrição alusiva à reabertura do templo ao público. A nave é interiormente coberta de abóbada de berço, de meio canhão, dividida em cinco tramos que repousam em arcos falsos, apoiados sobre um banco corrido de alvenaria que rodeia todo o templo. A capela-mor, de dimensões apertadas, é coberta por cúpula de ogiva, com cruzaria torcida apoiada em mísulas poliédricas e bocetes cilíndricos ornados de elementos naturalistas. É rematada com fecho ostentando a cruz de Aviz. Sobre o altar, simples nicho de alvenaria, que alberga o ícone do padroeiro, peça lenhácea dourada e estofada.

Acessos

Pátio de São Miguel; Rua da Freiria de Cima

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 29.604, DG, 1.ª série, n.º 112 de 16 de maio 1939 / Incluído no Centro Histórico da cidade de Évora (v. PT040705050070)

Enquadramento

Urbano, na encosta escarpada da colina da Cidade, sobra a cota da Cerca Velha romana, mas dentro do espaço interior, isolada junto da antiga alcáçova, harmonizada com o meio.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 12 / 16 / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1180 - fundação da ermida por Gonçalo Viegas, O Espadeiro, primeiro Grão Mestre da Ordem de Cavalaria de Évora; séc. 12 - primeira edificação; séc. 15, finais / séc. 16, inícios - abside; 1500, c. de ( ESPANCA, 1966 ) - reedificação de que resta o prebistério; séc. 17 - reedificação de que resulta o aspecto actual; 1939 - desocupação da ermida pelo carpinteiro que nela fazia oficina; 1940 - cornija simples encimando uma inscrição contemporânea comemorativa da reabertura do templo ao público; 1965 - obras de restauro durante as quais se recolheram dos paramentos da ábside um fragmento de inscrição em caracteres árabes e um cipo funerário romano que reza: D. M. S. / Q. JVLI / ANVS AN XV / SSE STTL / JVLIA MARCI / ANA ET JVLIVS / VERNACLVS HE / REDES PC //

Dados Técnicos

Estrutura autónoma.

Materiais

Alvenaria, cantaria granítica, mármore branco de Estremoz em pormenores escultóricos, mísulas e chaves de abóbadas.

Bibliografia

ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal- Distrito de Évora, vol. VI, Lisboa, 1966.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DREMS

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DREMS

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DREMS

Intervenção Realizada

Comissão dos Centenários: 1940 - reparo geral; Proprietário: 1965 - restauro.

Observações

*1 - durante o restauro de 1965 recolheram-se dos paramentos da ábside um fragmento de inscrição em caracteres árabes e um cipo funerário romano que reza: D. M. S. / Q. JVLI / ANVS AN XV / SSE STTL / JVLIA MARCI / ANA ET JVLIVS / VERNACLVS HE / REDES PC //

Autor e Data

Manuel Branco 1993

Actualização

Paula Figueiredo 2001
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login