Igreja Paroquial do Vimieiro / Igreja de Nossa Senhora da Encarnação do Sobral

IPA.00001230
Portugal, Évora, Arraiolos, Vimieiro
 
Arquitectura religiosa, manuelina. Igreja paroquial típica de um vasto universo da arquitectura religiosa regional do Séc. 16, que tem sido associada aos cânones do manuelino - mudéjar, com soluções paradigmáticas em Viana do Alentejo (v. PT040713020001), Alvito e Pavia (v. PT040707040004), mas que recentemente J C V da Silva integrou numa análise mais compreensiva sob a nomenclatura de "arquitectura tardo-gótica", estabelecendo-lhe como referência a Igreja de São Francisco de Évora (v. PT040705210017). Merlões em forma de palmeta, com um recorte muito semelhante aos de Mértola.
Número IPA Antigo: PT040702060009
 
Registo visualizado 640 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta sensivelmente rectangular, centralizada, composta pela articulação horizontal, sobre o eixo E-O, de nártex, corpo de nave e ábside. Cobertura diferenciada para cada um dos elementos, em terraços, de duas águas de ténue pendente sobre a a nave. Com o cunhal NO da nave articula-se ainda a torre sineira, de três pisos, com o paramento N. articula-se a sacristia, e com o paramento S. a capela baptismal. A fachada principal é composta pela projecção da articulação do nártex, com três vãos de arco de volta perfeita abertos a O., N. e S. e remate triangular definido pelos beirados, coroado de merlões e reforçado com contrafortes diagonais nos cunhais, com a frontaria da nave, definindo um segundo registo vertical, rasgada de ampla luneta rectangular e com frontão triangular coroado de merlões; no topo N, a fachada principal articula ainda a esguia torre sineira, com alto paramento cego até ao registo supremo, onde se rasgam os vãos sineiros, rematada por coruchéu cónico. As fachadas N. e S. são definidas pela articulação do nártex, corpo da nave e ábside, em três segmentos de altura diferenciada, rematados por merlões. A fachada E., é definida pela articulação do paramento testeiro com o telhado radial que envolve a cúpula. INTERIOR: definindo uma articulação em tudo coincidente com o exterior, com um sistema misto de coberturas, em abóbada ogival com eixo estruturante transversal para o nártex, em abóbada ogival de três tramos, de profundas penetrações e complexa enervação, para a nave, em cúpula hemisférica para a ábside. O pórtico, sob o nártex, é obra maneirista de frontão triangular e ombreiras apilastradas.

Acessos

Largo Professor Dr. José Caeiro da Mata (antigo Largo da Igreja)

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º5/2002, DR, 1.ª série-B, n.º 42 de 19 fevereiro 2002

Enquadramento

Urbano, em planície, isolada em amplo terreiro e em destaque.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Évora)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1557, cerca - fundação; 1768 - reforma do portal (registada em inscrição); 1990, Agosto - Despacho de classificação como Imóvel de Interesse Público.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma

Materiais

Alvenaria, cantaria de granito, cantaria de mármore

Bibliografia

ESPANCA, Túlio, Igreja Matriz de Nº Sª da Encarnação do Sobral de Vimieiro, in A Cidade de Évora, nº 48/50, 1959; ESPANCA, Túlio, Distrito de Évora, Concelho de Arraiolos, in Inventário Artístico de Portugal, VIII, 1975, 1975; CHICÓ, Mário Tavares, A Arquitectura Gótica em Portugal, Lisboa, 2ª ed. 1987; SILVA, José Custódio Vieira da, O Tardo-Gótico em Portugal - a arquitectura no Alentejo, Lisboa, 1989.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1940 - restauro geral.

Observações

Autor e Data

Castro Nunes 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login