Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim

IPA.00011936
Brasil, Santa Catarina, Santa Catarina, Florianópolis
 
Arquitectura militar. Esta fortaleza era o terceiro vértice de um sistema triangular de defesa formado pelas fortalezas de Santo António de Ratones e São José da Ponta Grossa; sistema idealizado para proteger a barra N. da Ilha de Santa Catarina.
Número IPA Antigo: BR922400880001
 
Registo visualizado 162 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Militar  Fortaleza    

Descrição

Acessos

Estrada p/ Areia de Baixos.

Protecção

Tombamento Federal - IPHAN, 1938

Enquadramento

Situa-se na baía a N. de Florianopolis, na Ilha de Anhatorim, em frente à praia de Daniela.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Militar: fortaleza

Utilização Actual

Cultural e recreativa: monumento

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Ministério da Marinha

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

José da Silva Paes

Cronologia

1737 - o governador do Rio de Janeiro, em carta ao rei, mencionou a necessidade de se fortificar a ilha de Santa Catarina, considerado um ponto estratégico entre o Rio de Janeiro e o Rio da Prata; 1738 - o rei enviou o Brigadeiro José da Silva Paes para a capitania afim de desenvolver um sistema de defesa da região; 1739/1744 - construção da fortaleza pelo Brigadeiro Silva Paes; a fortaleza compunha-se de um aquartelamento, casa da pólvora, igreja, casa do comandante, armazém de palamentas, cozinha e casa de bandeiras; 1777 - foi ocupada pelos espanhóis; 1863 - foi melhorada, estando artilhada com 64 canhões; 1884 - obras de melhoramentos; 1887 - novas obras de manutenção; 1894 - com a Revolução Federalista a fortaleza foi transformada em prisão de presos políticos; 1907 - passou a ser tutelado pelo Ministério da Marinha; 1937 - foi desarmada e entregue aos cuidados de um guarda; 1939 - foi classificada como Monumento Histórico Nacional; 1960 - estava guarnecida com fuzileiros navais; 1970 - foi abandonada; 1979 - desde esta data que a fortaleza é gerida Universidade de Santa Catarina na sequência de um protocolo entre o Ministério da Marinha e a universidade; 1983 - foi restaurada pela Universidade de Santa Catarina para aí funcionar um Centro de Estudos de Biologia Marinha; 1984 - foi aberta ao público; séc. 20 - foram construídas duas casas no interior da fortaleza, uma no local da igreja já desaparecida e outra para funcionar como Estação de Rádio.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

SOUZA, Sara Regina Silveira de, Anhatomirim e a sua fortaleza, 1983; LEMOS, Carlos, "O Brasil" in História das Fortificações Portuguesas no Mundo, Lisboa, 1989, pp. 235-272; OLIVEIRA, Lisete Assen, "O espaço da colonização açoriana na ilha de Santa Catarina: suas particularidades e suas marcas no presente" in O Universo Urbanístico Português, Lisboa, 1998, pp. 411-422; CORREIA, João Rosado, CORRÊA, Tupã Gomes, WRIGHT, Antónia Fernanda Pacca de Almeida, STELLA, Roseli Santaella, e CORREIA, Delmira Alberto, Fortificações Portuguesas no Brasil, dos Descobrimentos à Época Pombalina. A fundação do sistema português de comunicação ultramarina. Uma redescoberta da origem cultural do Brasil, Monsaraz, 1999;

Documentação Gráfica

AHU;

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Sofia Diniz 2002

Actualização

Rita Vale 2012
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login