Câmara Municipal do Barreiro / Centro Social Paroquial Padre Abílio Mendes

IPA.00011804
Portugal, Setúbal, Barreiro, União das freguesias de Barreiro e Lavradio
 
Arquitectura civil, cívica, quinhentista. Edifício de características vernaculares, construído na sequência de arruamento, com fachada principal alinhada pelas outras, envolvida lateralmente por edificação justaposta; de grande simplicidade de traçado, de planta quadrangular, de volume maciço, aquadradado, de dois pisos, com panos murários chãos, com molduração de cunhais e de vãos em alvenaria, com cobertura do tipo português com telhado de várias águas. Edifício de modestas proporções, volumetria e traçado singelos, de grossas e sólidas paredes de alvenaria, tendo sofrido transformações tanto externa como internamente; mantêm os traços principais e a mesma área da época quinhentista. Tipo de dois pisos com telhado de várias águas. Elemento constitutivo do antigo centro cívico erguido em praça cuja tipologia urbanística é característico do pré Pombalino.
Número IPA Antigo: PT031504010034
 
Registo visualizado 595 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Político e administrativo regional e local  Câmara municipal  Casa da câmara  

Descrição

Planta quadrangular, irregular, com coincidência exterior / interior. Massa simples com disposição na horizontal, de 2 pisos; a cobertura exterior diferenciada em telhados de três e de duas águas. Virada à Praça a fachada principal, a S., é de pano único, com friso horizontal contínuo divisor dos pisos; o piso inferior é rasgado por porta e três janelas horizontalizadas, gradeadas com fortes barras de ferro, com moldura em cantaria sendo as vergas parte do friso; o superior é rasgado por duas janelas de peito de duas folhas envidraçadas entre as quais se lê a inscrição "CENTRO DE DIA / PADRE / ABÍLIO MENDES"; o remate é em friso e platibanda, continuados. A fachada lateral está adossada a construção mais elevada, o paramento recebe tratamento semelhante ao da frontaria, sendo rasgada inferiormente por uma porta e duas janelas horizontalizadas e, superiormente, por duas janelas de peito entre as quais se observa a inscrição "CENTRO SOCIAL PAROQUIAL / PADRE / ABÍLIO MENDES. O escoamento das águas pluviais do telhado faz-se por dois algerozes apoiados um em cada paramento. O INTERIOR é diferenciado; com entrada pela porta do Lg. de Santa Cruz, no piso inferior, encontram-se os quartos de detenção da P.S.P. com os devidos anexos; com entrada pela porta da Tv. de Santa Cruz desenvolvem-se as salas das instalações do centro de dia para idosos, com sala, refeitório, cozinha, casas de banho, e outras pequenas divisões; no piso de cima as outras salas, também de pequenas divisões formadas por peças divisórias amovíveis, adequadas ao funcionamento do centro.

Acessos

Pç. de Santa Cruz, Tv. de Santa Cruz

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Deliberação da Assembleia Municipal do Barreiro de 26 março 2003

Enquadramento

Urbano, construído a S. da vila, em planície, situa-se numa esquina, do lado N. de praça de características urbanística pré-Pombalinas, com a fachadas a E. e a posterior adossadas a edificações mais modernas de cérceas mais elevadas; estando as outras fachadas alinhadas com as das outras edificações em processo de urbanização, dando sobre vias de circulação automóvel, tendo a fachada lateral como separador da rodovia um estreito passeio calcetado à portuguesa e a fronteira dando para largo passeio. Integra o Centro Histórico do Barreiro (v. PT031504010030), localizando-se próximo da Igreja Matriz do Barreiro / Igreja de Santa Cruz (v. PT031504010004) e do conjunto formado pela Capela da Misericórdia / Capela de Santo António (v. PT031504010005) e Antiga Casa do Hospital da Santa Casa da Misericórdia do Barreiro.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Política e administrativa: câmara municipal

Utilização Actual

Assistencial: centro paroquial / Segurança: posto da Polícia de Segurança Pública (PSP)

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 16 - época provável da construção dos Antigos Paços do Concelho, em pleno centro cívico de vila quinhentista; edifício de 1º andar, com duas prisões no pavimento inferior, uma para presos do sexo feminino outra para os do sexo masculino, para além de duas pequenas arrecadações; no início, o acesso à entrada principal fazia-se por escadaria de alvenaria, tendo a actual janela do lado esquerdo substituído a antiga porta principal que tinha guarda-vento e dava acesso ao Salão Nobre; 1906 - último ano de exercício Municipal neste edifício; depois serviu de depósito de mobiliário e utensílios camarários; 1911, 30 de Dezembro - a seguir à implantação da república, a Comissão Administrativa da Câmara Municipal do Barreiro presidida por José Pedro Gomes arrendou, por escritura, o 1º andar ao Centro Republicano Radical Dr. Estêvão de Vasconcelos, representado por Caetano Francisco da Silva, Presidente da Direcção, continuando as cadeias no 1º piso; 1911 / 1931 - manteve-se neste edifício o centro político, por iniciativa do qual aí funcionou, na sala principal, uma escola de ensino primário particular; demolição da escada de cantaria exterior ao edifício, depois de encerrado o centro; 1926 - após o 28 de Maio, a 1ª Comissão Administrativa da Câmara Municipal do Barreiro alargou a Travessa de Santa Cruz; 1927 - o Ministro do Interior do Governo resolveu extinguir a G.N.R. que existia na então vila do Barreiro, tendo a Câmara desenvolvido esforços para que viesse para o Barreiro em sua substituição uma força da P.S.P. (1 subchefe e 6 guardas); 1928 - fica sediado na antigos Paços o 1º Posto da Polícia de Segurança Pública, com os calabouços ainda instalados no rés-do-chão, recebendo um deles luz do exterior por um óculo, onde antes existira uma porta; posteriormente, em data desconhecida, foi de novo aberta uma porta de acesso aos cárceres, onde existira o "olho de boi", a meio da fachada; 1943 - a fachada que dá sobre o Largo de Santa Cruz era rasgada apenas por duas janelas, num registo superior, uma de sacada à esquerda e a outra à direita de peito, amas de duas folhas envidraçadas; séc. 20, anos 70 - a Polícia de Segurança Pública do Barreiro torna-se utente dos quartos de detenção da antiga prisão.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Pedra: calcário, entulho; cerâmica: tijolo, telha cerâmica; vidro: simples; estuque: estuque pintado; metal: alumínio; alvenaria: mista; madeira, contraplacados, produtos sintéticos.

Bibliografia

PIMENTA, J. A., Memória Histórica do Barreiro, Barreiro, 1886; Diccionário Histórico, Biográphico, Bibliográphico, Heráldico, Chorográphico, Numismático e Artístico, vol. 2, Lisboa, 1906; PAIS, Armando da Silva, O Barreiro Antigo e Moderno, as outras Terras do Concelho, Barreiro, 1963; IDEM, O Barreiro Contemporâneo, a Grande e Progressiva Vila Industrial, Barreiro, 1966.

Documentação Gráfica

DGEMN: DSID; CMB

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID; CMB

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Séc. 20 - obras de adaptação para funcionamento de quartos de detenção, e para funcionamento de centro de dia para idosos; Câmara Municipal do Barreiro: obras de conservação e limpeza geral.

Observações

Autor e Data

Albertina Belo 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login