Fortim de Santo António

IPA.00011657
Moçambique, Nampula, Ilha Moçambique (M), Ilha Moçambique (M)
 
Arquitectura militar, moderna. Forte de planta rectangular, com os paramentos aprumados terminados em parapeito simples ou de canhoneiras, na face voltada ao mar.
Número IPA Antigo: MZ910703000010
 
Registo visualizado 319 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Militar  Forte    

Descrição

Planta rectangular, com os paramentos aprumados, terminados em parapeito simples e, na face voltada ao mar, terminada em parapeito com canhoneiras. Na face voltada a terra, abre-se a porta de armas, descentrada e disposta à direita da capela de Santo António, com vão de verga recta, coroado por espaldar curvo, rematado em cornija, integrando lápide inscrita.

Acessos

Ilha de Moçambique. WGS84: 15º 02' 36'' S., 40º 43' 56'' E.

Protecção

Incluído na Ilha de Moçambique (v. MZ910703000011)

Enquadramento

Marítimo, sobre afloramentos rochosos. Erguido num dos pontos mais elevados da ilha, a cerca de setecentos e cinquenta metros do extremo S. da ilha, possuindo frontalmente várias palmeiras. No interior do recinto fortificado ergue-se a Capela de Santo António, a qual avança para o exterior do forte (v. MZ910703000007).

Descrição Complementar

Uma inscrição epigráfica sobre o portão de armas assinala que foi construído em 1820, por João da Costa de Brito Sanches, que foi o seu primeiro governador, tendo servido de Capitania do Porto a partir dessa data.

Utilização Inicial

Militar: forte

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1597 - construção do primitivo forte; 1589 - destruição da fortificação; 1758 / 1763 - provável construção do forte, ordenada pelo capitão-general Pedro Saldanha de Albuquerque; 1820 - obras de transformação do forte, conferindo-lhe o aspecto actual, pelo Governador João da Costa de Brito Sanches que para além de reconstruir a bateria, construiu o aquartelamento e a capela no recinto interior; 1892 - o Governador-Geral, Rafael Jacome Lopes de Andrade, manda restaurar o forte, os aquartelamentos e a capela; entrega da capela ao Reverendíssimo Prelado, para alí instalar, provisoriamente, a antiga freguesia de São Sebastião, primitiva paróquia da Ilha de Moçambique; 1908 - projecto para transformar o forte em cadeia, que acabou por não ir adiante; séc. 20 - demolição de um lanço das canhoneiras para a edificação de quartos do asilo de inválidos pobres que ali funcionava.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em cantaria aparente.

Bibliografia

Dias, Pedro, História da Arte Portuguesa no Mundo. Espaço do Índico, Lisboa, 1998, pp. 356-380; Ilha de Moçambique em perigo de desaparecimento. Uma perspectiva histórica, um olhar para o futuro, Lisboa, 1983; LOBATO, Alexandre, Ilha de Moçambique. Panorama Histórico, Lisboa, 1967; RAU, Virgínia, Aspectos étnico-culturais da Ilha de Moçambique em 1822, Lisboa, 1963; http://www.fcsh.unl.pt/cham/eve//content.php?printconceito=818, Abril 2011; http://pt.wikipedia.org/wiki/Fortim_de_Santo_António_na_Ilha_de_Moçambique, Abril 2011; http://cultura/images/stories/patrimonio/fortim_santo_antónio_(ilha_moçambique), Abril 2011.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Séc. 20 - várias intervenção de restauro que descaracterizaram a fortificação; 1969 - obras de recuperação.

Observações

EM ESTUDO. *1 - O forte foi artilhado na face voltada ao canal de Moçambique com quatro peças, e na da contra-costa com três, não possuindo artilharia na face voltada para a praia. No seu interior existiam dependências para o Comandante e para uma reduzida guarnição, além da capela com invocação de Santo António. O abastecimento de água era feito através da captação das águas pluviais nos terraços, canalizadas para uma pequena cisterna no seu interior.

Autor e Data

Sofia Diniz 2002

Actualização

Manuel Freitas (Contribuinte externo) 2011
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login