Capela de Nossa Senhora da Conceição

IPA.00001148
Portugal, Braga, Guimarães, Azurém
 
Arquitectura religiosa, barroca. Capela alpendrada barroca patenteada fundamentalmente nos elementos decorativos: talha dourada no tecto, no retábulo, azulejos historiados e etc. Contraste entre a sobriedade exterior e a riqueza decorativa interior. Destaque para o tecto da nave com caixotões mais estreitos entre outros maiores, o que lhe confere maior destaque, e o remate semicircular dos caixotões do tecto da capela-mor.
Número IPA Antigo: PT010308040028
 
Registo visualizado 440 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Igreja de planta longitudinal composta por nave única, precedida por alpendre, capela-mor rectangular e dependências anexas e torre sineira adossadas à fachada lateral direita. Volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhados de duas e três águas. Fachada principal delimitada por pilastras e terminada em frontão curvo, rematado por pináculos laterais e cruz central. Ladeia o portal dois óculos quadrilobados. Alpendre apoiado por pilares nos ângulos e colunelos centrais sobre pano de muro interrompido de modo a criar três entradas, precediadas por escadas, abrindo a axial em leque. Junto ao murete corre interiormente banco de pedra. Interior com nave revestida a azulejos azuis e brancos de motivos historiados, púlpito quadrado em talha dourada no lado da Epístola e dois altares laterais também em talha. Pavimento de lajes e tecto de caixotões brancos, figurando cenas da vida de Nossa Senhora. Arco triunfal, de volta perfeita, pintado com motivos decorativos policromos sobre pilastras. Capela-mor com as paredes revestidas a azulejos azuis e brancos figurando cenas da vida da Virgem, órgão de tubos no lado da Epístola e janela no lado do Evangelho com enxalço pintado. Retábulo de talha dourada com colunas suportando entablamento e tendo ao centro imagem. Tecto de masseira formado por caixotões de talha dourada, decorados com motivos vegetalistas e terminando em semicírculo junto ao arco triunfal.

Acessos

Rua Nossa Senhora da Conceição.

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 40 361, DG, 1.ª série, n.º 228 de 20 outubro 1955

Enquadramento

Urbano, isolado. Implantação destacada num pequeno largo em terra batida. À nave adossa-se muro de pedra fechando parte das construções posteriores. Tem nas proximidades cruzeiro sobre soco de três degraus quadrangulares, base também quadrada, coluna de fuste circular, capitel em bola e cruz de braçços circulares. Chega-se ao largo por um caminho apertado ladeado por pequenas casas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Braga)

Afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Francisco António Solha ( caixa do órgão ).

Cronologia

1699 - Reconstrução da capela; Séc. 18 - profunda reforma da Capela; 1774 - organeiro Francisco António Solha contrata com a Confraria da Conceição para a construção do órgão por 16000 rs.

Dados Técnicos

Sistemas estrutural de paredes portantes.

Materiais

Paredes exteriores em alvenaria de granito rebocado pelo lado exterior; revestimento das paredes interiores da nave e capela-mor a azulejo; tecto da capela-mor em caixotões de talha dourada; tecto da nave em caixotões de tábua pintada.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1988; AZEVEDO, José Correia de, Inventário Artístico Ilustrado de Portugal, Minho, Lisboa, 1991; Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, IPPAR, volume I, Lisboa, 1993; CACHADA, Armindo, Capela da Conceição necessita Restauro, Jornal de Notícias, 19 Setembro 1996.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN /DREMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN /DREMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN /DREMN/DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1973 - Reparação da cobertura.

Observações

De salientar as imagens de São Francisco e São Caetano e pequeno órgão séc. 18. A primitiva construção remontará à Idade Média. Frei Agostinho de Santa Maria refere-a como coeva da de Vila Viçosa, no final do séc. 14. A padroeira da capela, Nossa Senhora da Conceição, é festejada a 8 de Dezembro. Na sacristia existe quadro onde se referem as indulgências concedidas pelo papa Clemente VIII, no ano de 1601, "a todos os que, confessando-se e comungando, se meterem confrades" e "aos que visitarem a igreja no dia de Nª Sª da Conceição". Santos Simões julga que os azulejos historiados são de 1740, do ciclo oficinal de Oliveira Bernardes.

Autor e Data

Isabel Sereno 1993

Actualização

Paula Noé 1996
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login