Capela de São Martinho / Miradouro de São Martinho

IPA.00011429
Portugal, Guarda, Vila Nova de Foz Côa, Seixas
 
Arquitectura religiosa, vernácula. Capela novecentista de planta longitudinal simples com cobertura de duas águas, iluminada por pequenos postigos rasgados na fachada principal. Esta remata em empena coroada por cruz latina no vértice, rasgada por portal de verga recta. Interior com retábulo-mor muito simples, atípico, de madeira, de planta recta e três eixos.
Número IPA Antigo: PT010914150109
 
Registo visualizado 1618 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal simples, de espaço único, de massa horizontalizante e cobertura homogénea em telhado de duas águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco e com vestígios de tinta verde, na zona inferior, formando faixa, rematadas por friso de cimento armado, rebocado e pintado nas fachadas laterais, estas com beiral. Fachada principal virada a S., em empena alteada com cimento armado e pintado, interrompida no vértice por cruz latina sobre plinto paralelepipédico, tendo, sobre os cunhais, pináculos piramidais sobre plintos paralelepipédicos; é rasgada por portal de verga recta, protegido por porta metálica pintada de verde, de duas folhas e um orifício encimado pela inscrição pintada de branco: "ESMOLAS"; encontra-se ladeado por duas frestas, sendo estas vedadas por rede de arame e por gradeamento resumido a um ferro vertical. Fachadas laterais e posterior cegas, esta em empena, também alteada. INTERIOR com paredes rebocadas e pintadas de branco, com cobertura em betão a dois panos, igualmente pintada, e pavimento de cimento. Sobre supedâneo de um degrau, retábulo de madeira, de planta recta e três eixos, definidos por pilastras com fustes almofadados, tendo remate superior em arco abatido, formando três apainelados em arco de volta perfeita, cada um deles com uma mísula, sendo o central mais largo e ligeiramente mais alto; altar paralelepipédico.

Acessos

Monte de São Martinho, com placa de sinalização, a partir da EN 324

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolada, a cerca de 610 m de altitude, afastada da povoação, no topo de um monte constituído por penhascos rochosos, onde se disfruta surpreendente panorama paisagístico, avistando-se inúmeros hectares de vinhas verdejantes ladeando as margens do Rio Douro e várias povoações, bem como as capelas e os castelos que marcam os pontos altos destas, como o Castelo de Numão (v. PT010914110002), a Capela de Nossa Senhora do Viso / Miradouro da Senhora do Viso, em Custóias (v. PT010914050065) e a Capela de Santa Bárbara / Miradouro de Santa Bárbara (v. PT010914080072). Fachada posterior orientada para o pontão que marca este ponto elevado. O miradouro apresenta o piso desnivelado, pavimentado com seixos e delimitado por gradeamento, tendo um banco corrido, em lousa, à frente da fachada principal. Na zona abaixo da capela, constituída por planície, encontra-se o equipamento de apoio à festa, constituído por um palco e por um pequeno edifício de planta quadrangular, com estrutura em xisto, cobertura em telhado a duas águas e rasgado por duas janelas. O acesso à capela faz-se por escadaria de betão, com simples guardas de ferro, a partir da planície. Acesso ao pórtico por degrau desnivelado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: ermida

Utilização Actual

Religiosa: capela / Cultural e recreativa: miradouro

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Lamego)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 17 - Provável data de construção da capela primitiva; Séc. 18 - O Santo costumava ter, a seus pés, uma botelha de vinho, que era colocada no dia da sua festa, no fim da procissão; era ainda costume os devotos oferecerem ao Santo duas telhas, na crença que ele os protegia das sezões; 1758 - nas Memórias Paroquiais o padre António da Fonseca refere que a freguesia tem três capelas duas dentro da povoação e outra fora, no Cabeço do monte com a mesma designação de São Martinho, aos pés do rochedo onde atualmente se encontra*1; séc. 20, 1.ª metade - reconstrução da atual capela *2; 2 ª metade - alteamento das empenas para reforçar o telhado e execução da cobertura interior em betão *3; 2000 (década) - construção do equipamento de apoio às festas e do banco no miradouro; transferência da imagem do orago para a Igreja Matriz, por razões de segurança.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito, rebocada e pintada; cruz e pináculos em cantaria de granito; retábulo e imaginária de madeira; cobertura interior de betão; pavimento de cimento; frestas e porta em ferro; frestas com rede de arame; cobertura exterior em telha de aba e canudo.

Bibliografia

COIXÃO, António do Nascimento Sá, TRABULO, António Alberto Rodrigues, Por Terras do Concelho de Foz Côa, Subsídios para a sua História, Estudo e Inventário do seu Património, Vila Nova de Foz Côa, 1999; Côavisão, Cultura e Ciência, nº 12, 2010; www.ttonline.iantt.pt, 22 de Setembro de 2011.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGA/ TT: Dicionário Geográfico de Portugal (vol. 34, fl. 481);

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: séc. 20, 2.ª metade - alteamento das empenas para reforçar o telhado e execução da cobertura interior em betão; 2006 - obras de beneficiação do espaço envolvente.

Observações

*1 - O mesmo pároco refere que junto à capela se encontra um penhasco de seixos que parece um castelo, e só por uma ponte se pode lá subir, tendo no cimo uma planície onde podem estar mais de trezentas pessoas, avistando-se de lá muitas terras de Castela e Portugal. Logo ao pé deste penhasco principia outro dos mesmos xistos, comprido que parece uma serra com mais de mil passos de comprido, não sendo possível vaguear em algumas partes. *2 - A capela já foi desmontada e erigida em três lugares próximos do atual; da última vez encontrava-se mais abaixo da encosta. *3 - Estas obras foram executadas em consequência do telhado ter voado mais de uma vez.

Autor e Data

Cristina Simões 2004 / Ana Filipe 2011

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login