Cine-Teatro de Portalegre / Cine-Teatro Crisfal

IPA.00010749
Portugal, Portalegre, Portalegre, União das freguesias da Sé e São Lourenço
 
Arquitectura cultural e recreativa, modernista. Cine-teatro de linhas rectas, volumes articulados, decoração despojada, com relevo e pintura monumentais nas paredes.
Número IPA Antigo: PT041214080097
 
Registo visualizado 269 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Cultural e recreativo  Casa de espetáculos  Cine-teatro  

Descrição

Planta longitudinal, com duas zonas distintas, a E. a zona de serviços - gabinetes, salas de arrumos, camarins e caldeira de aquecimento na cave - e a O. a zona aberta ao público com a sala de espectáculos, três átrios, bengaleiro e a bilheteiras no piso térreo, bar e sala polivalente no segundo piso e instalações sanitárias nos dois pisos; excepção para a sala de projecções que fica nesta zona O.; garagens adossadas a O. Volumes articulados, dispostos na horizontal. Cobertura exterior diferenciada, telhado de quatro águas sobre um corpo mais elevado a S. e três águas sobre um mais baixo a N. Fachada principal a N., pano único, liso, mais elevado na extremidade esquerda, rematado por beirado recto, com um corpo adossado a toda a largura, mais baixo, com dois pisos; o piso térreo com a entrada rasgada ao centro - três vãos rectos, com portas de quatro batentes em vidro e ferro verde, encimadas por candeeiros colocados sobre o friso que separa os dois andares -, do lado direito quatro janelas rectangulares, grandes, e do lado esquerdo cinco janelas basculantes sobre embasamento em pedra; piso superior, rasgado ao centro, sobre a entrada, por dez janelas verticais, estreitas e altas, com um relevo em estuque pintado representando as artes do espectáculo do lado direito e cinco janelas de guilhotina do lado esquerdo; as letras "CRISFAL", o nome do cine-teatro, sobre uma coluna colocada à esquerda da entrada, que se prolonga além da altura da parede e que tem uma estrela no topo. Fachada lateral O. segue o esquema da fachada principal mas simplificado, piso térreo forrado de placas de pedra, ao centro uma entrada igual à entrada N. mas sobreposta por dois pisos de janelas em vez de um, encimadas pelas letras "CINE-TEATRO"; à esquerda outra entrada com apenas uma porta igual às restantes, sobreposta por uma varanda com guarda-corpos forrado com placas de pedra horizontais, a formar riscas e uma janela de moldura recta, grande; do lado direito as garagens, quatro, adossadas, cobertas por um terraço que tem uma entrada para o interior do edifício e, no extremo do edifício um corpo mais elevado com uma janela no topo; remate cornija e beirado recto. Fachada lateral E. de pano único, mais elevada no lado esquerdo, rasgado por três janelas rectangulares e parcialmente adossado a casas particulares; lado direito com três pisos, rasgado por uma porta no piso térreo e duas janelas rectangulares, basculantes, nos dois pisos superiores; remate cornija e beirado recto. Fachada posterior a E., lado esquerdo mais elevado, com uma janela no cimo e um corpo pequeno adossado e lado direito com dois pisos, com três janelas rectangulares, basculantes, cada; remate cornija e beirado recto. INTERIOR: três átrios no piso térreo; um a O., de acesso à plateia e frisas, à direita um bengaleiro e escadas de acesso ao primeiro balcão e bar que ficam no piso superior, três portas para o exterior a O. e outras três para um outro átrio, mais pequeno, a N., que abre para o exterior através de uma porta a O. e tem a E. as bilheteiras, sala de telefone, gerência e uma porta para o terceiro átrio, do tamanho do primeiro, com três entradas para os lugares pares da plateia a S., três portas para o exterior a N., a E. uma porta de acesso aos camarins, palco e salas de arrumos entre as escadas de acesso ao piso superior onde ficam o bar e o primeiro balcão e outras escadas para um W.C. de homens; a S., na continuação do bengaleiro, um corredor que desemboca num W.C. de senhoras, com três janelas basculantes à direita e três entradas laterais para os lugares ímpares da plateia à esquerda. No segundo piso, a N. uma sala polivalente com escadas de ligação ao piso térreo, um pequeno palco e um W.C. de homens a E., uma porta de acesso aos lugares pares do primeiro balcão seguida de cinco vitrines a S., a N. cinco janelas com a altura do pé-direito separadas por colunas forradas com mosaico pequeno em tons de castanho e mel e um painel pintado representando ceifeiras e outros motivos alusivos ao mundo rural alentejano, assinado por B. Felismina, e a O. uma porta envidraçada de acesso a uma varanda; à direita deste espaço, separado apenas por uma arco, o bar com o balcão entre duas vitrines a E., cinco janelas intervaladas por colunas a O., iguais à das sala anterior, uma mesa redonda ao centro e a S. um vão que abre para um hall pequeno com, à direita, umas escadas para o piso térreo e uma porta de acesso ao pátio que fica por cima das garagens e à cabine de projecção, um pequeno átrio e o segundo balcão, que ficam por cima do bar; e do lado esquerdo uma janela interior e uma porta de acesso a um corredor que desemboca num W.C. para senhoras, com três janelas basculantes na parede direita e uma porta para os lugares ímpares do primeiro balcão do lado oposto. A zona E. do edifício é ocupada por espaços privados - salas de arrumos na cave, camarins e acessos ao palco e teia no piso térreo e superior e caldeira na sub-cave-, está ligada ao exterior através de uma porta de serviço a S. e ao espaço público do edifício por uma porta a O. que dá para o átrio N. Esta última abre para umas escadas que levam à cave onde ficam três salas de arrumos, a porta de serviço para o exterior e uma escadas para os camarins que se distribuem por dois pisos, seguindo o mesmo esquema: um W.C e quatro camarins em torno de um hall quadrado, no piso térreo com uma porta para o palco a S. e no piso superior com umas escadas de acesso à teia a O. Todos os espaços descritos têm cobertura plana e pavimento de tacos de madeira excepto os átrios do piso térreo que têm pavimento em mármore. Sala de espectáculos com plateia, frisa, primeiro e segundo balcões, palco, teia e cávea. Plateia dividida em pares e ímpares, com 22 filas com 12 lugares cada. Frisas ao fundo da plateia, quatro de cada lado da entrada. Primeiro balcão suportado por oito colunas lisas e estreitas, dividido em pares e ímpares, com 10 filas com 12 cadeiras cada. Segundo balcão com cinco filas de cadeiras. Palco com cávea por baixo, boca de cena com moldura azul e dourada, écran de projecção na parede, ao fundo, e teia com varandim, com três janelas para o exterior, junto ao tecto.

Acessos

Avenida George Robinson.

Protecção

Incluído na Área Protegida da Serra de São Mamede (v. PT041214020015)

Enquadramento

Urbano, meia-encosta, parcialmante adossado a E. e S. a casas particulares*2 e a O. a garagens do cineteatro.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Cultural e recreativa: cine-teatro

Utilização Actual

Cultural e recreativa: cine-teatro

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1956 - inauguração do cine-teatro.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Alvenaria rebocada; cobertura de telha; pavimento mármore e tacos de maceira.

Bibliografia

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

.

Observações

*1 - Fica no limite entre a freguesia de São Lourenço e a da Sé; *2 - estas casas foram construídas na mesma altura que o cineteatro e pertencem ao mesmo proprietário mas nunca tiveram qualquer relação com o edifício tendo sido arrendadas a particulares.

Autor e Data

Helena Mantas e Marta Gama 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login