Muralhas de Guimarães / Cerca urbana de Guimarães

IPA.00001048
Portugal, Braga, Guimarães, União das freguesias de Oliveira, São Paio e São Sebastião
 
Muralha medieval da cerca da vila de Guimarães concluída no reinado de D. Dinis. A parte alta da vila, a Vila do Castelo, teria sido a primeira a cercar-se de muralhas, talvez ainda no reinado de D. Sancho I. Posteriormente, a muralha iniciada durante o reinado de D. Afonso III e concluída por D. Dinis, uniu a Vila do Castelo à Vila de Sta. Maria, a parte baixa. No interior do espaço amuralhado, porém, vai manter-se o antigo muro da vila alta como uma muralha transversal, apenas demolida em data próxima de 1420.
Número IPA Antigo: PT010308340016
 
Registo visualizado 7218 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Militar  Cerca urbana    

Descrição

Existem os dois arranques que ligavam a muralha à cerca do Castelo. A partir da Praça de Mumadona e ao longo da Avenida Alberto Sampaio, pode observar-se o troço mais extenso que se conserva da Muralha, ainda que a cota do pavimento do passeio ande perto de 3 m acima da sua base. Junto da Praça do Toural conserva-se a Torre da Alfândega, que constituía o ponto mais a S. da Muralha. Na Rua de Santo António resta ainda um pequeno troço visível entre o casario.

Acessos

Oliveira do Castelo, Avenida Alberto Sampaio, Avenida D. Afonso Henriques, Praça do Toural

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto 16-06-1910, DG n.º 136 de 23 junho 1910 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 203 de 30 agosto 1958 / Incluído na Zona Especial de Proteção do Núcleo Urbano da Cidade de Guimarães (v. PT010308340101) / Incluído na Zona Especial de Proteção Conjunta do Castelo de Guimarães (v. PT01030834011), Igreja de São Miguel (v. PT01030834006) e Paço dos Duques de Bragança (v. PT01030834013)

Enquadramento

Urbano. Os dois troços de muralha melhor conservados ladeiam, um, a Avenida Alberto Sampaio, que sobe em direcção ao Castelo, e o outro, o troço da Torre da Alfândega, a Avenida D. Afonso Henriques, na entrada para a Praça do Toural. Os restantes troços ainda existentes estão totalmente encobertos pelas construções do centro histórico de Guimarães.

Descrição Complementar