Capela do Senhor das Barrocas

IPA.00001038
Portugal, Aveiro, Aveiro, União das freguesias de Glória e Vera Cruz
 
Arquitectura religiosa, barroca. Capela barroca de planta hexagonal, correspondendo à tipologia do barroco joanino. Prossegue o ciclo aveirense (e nacional) dos planos centralizados, tendo como grande expoente o lisboeta João Antunes. Exemplos anteriores, e que podem funcionar como possíveis influências, encontram-se na cidade de Aveiro, sendo o mais erudito o de São Gonçalo. O retábulo principal de estilo joanino, de talha dourada, é da primeira metade do Séc. 18, enquanto que os colaterais, de talha branca, apontam para a segunda metade do mesmo século. Estes incluem duas obras a têmpera de Pedro Alexandrino, representando uma "Adoração" e a "Anunciação". Nas paredes laterais da capela-mor quatro pinturas, de inferior qualidade, de Costa Morgado, com a temática inscrita - Naufrágio do Santa Joana de Aveiro em Viana do Castelo, Meu Pai, se é possível, desvie de Mim esse Cálice, Nossa Senhora das Dores e o Bom Pastor - realizadas em 1951. Na sacristia, destaca-se o lavatório pétreo, o crucifixo e o tecto de caixotões polícromos, alternando enrolamentos vegetalistas com a emblemática da Paixão de Cristo.
Número IPA Antigo: PT020105120005
 
Registo visualizado 590 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta composta por nave octogonal e capela-mor retangular, de dois registos separados por cornijas proeminentes e sacristia rectangular mais baixa. Volumes articulados com cobertura, de telha, hexagonal na nave e de três águas na sacristia. Fachadas com cunhais de cantaria encimados por remates piramidais, tendo ao centro pequeno campanário de remate contracurvado interrompido por cruz. Portal axial arquitravado rematado por mísulas com dupla colunata jónica e coroamento elevado, aproveitando o janelão contracurvado superior, onde se dispõe a indumentária decorativa e escudo real. Lateralmente, dois portais emoldurados, de verga recta, com elementos vegetalistas nos pendentes ladeando a moldura dos vãos, suportam alto remate triangular profusamente decorado. Rasgam-se superiormente dois vãos rectangulares. No espaço rectangular, de cada lado, um portal e um janelão rectangular. No interior, espaço unitário concebido pela literal concordância da ordem arquitectónica, desenvolvendo um estilizado friso dórico, com métopas e triglifos, onde em cada segmento se marcam cinco arcarias cegas, duas preenchidas por retábulos, e a última com profunda abertura, localizando a capela-mor com retábulo de talha dourada. Ascendendo-se ao segundo registo pelas arestas que se encontram no fecho da abóbada. A iluminação é proporcionada pelos três janelões rectangulares apostos à cabeceira e pelos cinco, com lintel contracurvado, que se rasgam nos arranques da cobertura. A decoração interior condiciona-se a dois retábulos colaterais com telas centrais, dois púlpitos com baldaquino e à capela-mor, de abóbada de canhão, toda revestida a talha dourada com quatro painéis pictóricos. O retábulo-mor, formado por tripla colunata, coroamento e nicho central que abriga o padroeiro da capela, é elevado pela abertura inferior de dois vãos de remate curvo, que dão acesso à sacristia revestido de tecto apainelado policromado, com arcaz, lavatório, crucifixo e ex-votos.

Acessos

Lugar do Senhor das Barrocas, Rua de Sá, Travessa da Estrada Nova do Canal, Travessa das Barrocas, Rua Hintze Ribeiro, Rua do Senhor dos Milagres.

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 34 452, DG, 1ª Série, nº 59, de 20 março 1945 / ZEP, Portaria, DG, 2ª Série, nº 60 de 12 março 1959

Enquadramento

Urbano. Isolada, inscrita num adro, circundada por canteiros e arvoredo, com acesso frontal por escadaria da época e lateral por escadaria moderna. As vias de acesso correspondem, grosso modo, à sua planimetria.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

DRCCentro, Portaria n.º 829/2009, DR, 2.ª série, n.º 163 de 24 agosto 2009

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Gaspar Ferreira (atr.)

Cronologia

1722, 15 de Nov. - data da colocação da primeira pedra; 1732, 16 de Nov. - trasladação do crucifixo (Senhor das Barrocas) para o interior da capela, correspondendo com a cerimónia de benção e inauguração; 1747 - data da feitura do sino orignal, actualmente desaparecido (o actual veio do Convento das Franciscanas, em Sá); 1816 / 1837 - sofreu algumas reformas; 1992, 01 junho - o imóvel é afeto ao Instituto Português do Património Arquitetónico, pelo Decreto-lei 106F/92, DR, 1.ª série A, n.º 126; 2001 - abertura do concurso público para obras de conservação e valorização, publicado no DR nº 99, III Série, 28/04.

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Marco arquitectónico de alvenaria e trabalhos em cantaria nos vãos, escopro dos cunhais, ordem arquitectónica, arestas do abobadamento, base de púlpitos e lavatório (calcário); Madeira (tecto da sacristia, portas, retábulos e estatuária); Tijolo (nas coberturas exteriores).

Bibliografia

QUADROS, Rangel, Aveiro - Apontamentos Históricos, III, fls. 103 - 104; GOMES, Marques, Memórias de Aveiro, Aveiro, 1875; NEVES, F. Ferreira, A capela do Senhor das Barrocas em Aveiro, Arquivo Distrital de Aveiro, II, 1939, pág. 317 - 319; LEITÃO, António do Nascimento, A Capela do Senhor das Barrocas (Aveiro) e os Baptistérios de Pisa e Florença, Aveiro, 1948; GONÇALVES, A. Nogueira, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Aveiro, VI , Lisboa, 1959; SMITH, Robert, A talha em Portugal, Lisboa, 1963; CORREIA, Azevedo, Arte Monumental Portuguesa, Vol. 1, Porto, 1975, pp. 20 - 22; GASPAR, João Gonçalves, A capela do Senhor das Barrocas em Aveiro, Aveiro, 1980; PEREIRA, José Fernandes, Resistências e aceitação do espaço barroco: a arquitectura religiosa e civil, in História da Arte em Portugal, Vol. 8, pp. 24 - 27; GIL, Júlio, CALVET, Nuno, As mais belas cidades de Portugal, Lisboa, 1995, p. 90.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DREMC

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DREMC

Intervenção Realizada

1938 - Reformas gerais por ordem do arcebispo D. João de Lima; DGEMN: 1954 - reparação do telhado da sacristia; 1966 - picagem de reboco, limpeza e nova aderência, reboco com argamassa de cal, cimento e areia sobre emboço, consolidação da cantaria das janelas do varandim, refechamento das juntas; 1967 - limpeza do florão, consolidação e execução de novo espigão de ferro, trabalhos de cantaria, reconstituição de pináculos do remate das pilastras, reparação do telhado da capela-mor, arranjo e pintura de caixilhos, arranjo de ferragens, consolidação de paredes; 1971 - pequenas obras de reparação e assentamento de cantarias; 1979 - obras de beneficiação; IJF: 1980 - restauro de telas de Pedro Alexandrino (Instituto José de Figueiredo); DGEMN: 1980 - obras de conservação; 1982 - obras de beneficiação e valorização.

Observações

*1 - Foi muito provavelmente Gaspar Ferreira, laboroso arquitecto de região de Coimbra, construtor da famosa Biblioteca Joanina, o autor do risco da Capela do Senhor das Barrocas, atribuição por pura comparação estilística centrada principalmente no portal axial, ideia sustentada pelo dito popular, recolhido por Rangel dos Quadros, onde se lembrava que o seu autor teria vindo de Coimbra; A escadaria lateral moderna foi projectada pelo Arquitecto Gonçalo Teles (1972). *2 - Muitas peças soltas encontram-se recolhidas na sacristia, como o florão que rematava a abóbada.

Autor e Data

Margarida Alçada 1983 / Carlos Ruão 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login