Igreja Paroquial da Cova da Piedade / Igreja de Nossa Senhora da Piedade

IPA.00010272
Portugal, Setúbal, Almada, União das freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas
 
Arquitectura religiosa, barroca, rococó. Igreja de 2 naves, capela-mor e coro-alto, apresentando uma leitura barroca nos elementos estruturais, decorativos e na volumetria do espaço e rococó nas molduras dos azulejos.
Número IPA Antigo: PT031503040041
 
Registo visualizado 73 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal irregular, de massa simples de forma quadrangular. Cobertura diferenciada, escalonada em dois volumes, de telhados de duas águas. Frontaria voltada a N., de um pano, cingida por cunhais prolongados por fogaréus de empena, tem dois pisos marcados pela abertura de um pórtico com arco de asa de cesto, com portão em ferro; por cima moldura em cantaria de um vão de janela cega; termina em empena de ângulo com cornija e pequeno beiral e rematada por cruz. Na verga do portal interior alpendrado lê-se a data de 1762. Há coincidência do interior / exterior. INTERIOR de espaço diferenciado; nave central e outra lateral aberta do lado do Evangelho * 1; coro-alto com balaustrada e um púlpito com guarda-voz; no segundo piso do lado da Epístola abrem-se duas janelas de iluminação. O corpo da igreja e a capela-mor têm as paredes laterais cobertas, até meio da altura do pé direito, de azulejos azuis e brancos, com molduras policromas, representando do lado do Evangelho: a "Apresentação da Virgem no Templo" e os "Esponsais" e do lado da Epístola, "A Circuncisão", a "Adoração dos Mago" e a "Apresentação do Menino no Templo"; o altar-mor tem revestimento de talha dourada dos finais de setecentos. Flanqueiam o arco triunfal, dois altares com retábulos de talha dourada, preenchidos com imagens de santos; o pavimento está provido de passadeiras; no tecto um fresco alusivo à padroeira.

Acessos

Largo 5 de Outubro *1

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano. Em destaque num meio de construções recentes de vários andares. Localiza-se no centro da povoação, perto de um jardim, com largo fronteiro. Adossada a 0. a uma construção baixa e a E. a dependências da igreja. Como separador tem um adro delimitado por gradeamento e portão em ferro.

Descrição Complementar

No altar estão colocadas boas esculturas de santos, de onde se destaca a imagem do séc. 17, em madeira, de Nossa Senhora da Piedade. A capela-mor, além de uma pintura em fresco representando o Espírito Santo, possui boas alfaias religiosas e imagens de santos.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Setúbal)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1755 - Foi destruída pelo terramoto; 1762 - reconstruída e talvez ampliada- a fachada actual da igreja data dessa época; 1910 - o Governo toma conta da Capela, mas levada a questão a tribunal pela Irmandade, torna à igreja em 1916; 1958 - foi criada a paróquia de Nossa Senhora da Piedade com sede provisória nesta capela; 1964 / 1965 - Obras de ampliação levadas a cabo pelo Padre Sobral (regista o padre Ricardo G. Lopes) criaram uma nave lateral.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Alvenaria, cantaria, telha, ferro, azulejos, madeira

Bibliografia

BARBOSA, Inácio de Vilhena, As Cidades da Monarquia Portuguesa, 1º vol., 1860; DUARTE, Ana, Igrejas e Capelas da Costa Azul, Setúbal, s. d.; FLORES, Alexandre M., Almada Antiga e Moderna - Roteiro Iconográfico III, Almada, 1985; Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976, Património, in AI-Madan, nº 4 / 5, Almada, Novembro,1985.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Paróquia: 1964 / 1965 - Obras de ampliação criaram uma nave lateral, o pavimento foi substituído e provido de passadeiras; arranjo do telhado e pintura das paredes da igreja e anexos; colocação do Baptistério próximo do altar *3.

Observações

*1 - Popularmente conhecido pelo Largo da Cova da Piedade. *2 - Aberta recentemente obrigou a que se retirassem dois painéis de azulejos que estavam do lado em que ficou a nova nave. Estes encontravam-se frente aos que lá estão hoje, formando um conjunto dedicado à vida de Nossa Senhora, desde a Anunciação de Maria até toda a sua presença na vida de Cristo. *3 - Esta igreja viria a substituir outra edificada no mesmo lugar que tinha o nome de Nossa Senhora da Mutela com a Irmandade de Nossa Senhora da Piedade dos Milagres e da Vitória da Cova da Mutela. *4 - O arranjo e o estudo foram feitos e orientados pelos arquitectos do Secretariado das Novas Igrejas do Patriarcado de Lisboa, com excepção para a talha. Vítor Serrão, in Tesouros Artísticos de Portugal, diz que os painéis de azulejos que revestem a capela-mor são do séc. 18 (1ª metade), de bom desenho e provenientes do antigo templo. Recentes obras de ampliação levaram à supressão da parede do lado do Evangelho da capela principal. Quem restaurou os painéis retirados da antiga parede foi a Casa Viúva Lamego que reproduziu os cerca de 100 a 120 azulejos que faltavam.

Autor e Data

Albertina Belo 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login