Fortaleza de Setúbal

IPA.00010264
Portugal, Setúbal, Setúbal, Setúbal (São Sebastião)
 
Conjunto complexo de troços de muro, portas e postigos de muralha medievais e renascentistas.
Número IPA Antigo: PT031512010028
 
Registo visualizado 2453 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Militar  Fortaleza    

Descrição

A área de contorno da cidade medieval em geral é rectangular - o eixo maior de direcção E. - O. é paralelo à margem do estuário do rio Sado, tem o dobro do comprimento do eixo transversal de direcção N. - S., o perímetro de recorte é sinuoso adaptando-se à topografia do terreno. Os troços de muro têm 14 a 15 palmos de grosso e são de alvenaria ligada por argamassa, por vezes rebocada; as portas são rasgadas na muralha medieval. A Porta do Sol é em arco quebrado* ; Porta de São Sebastião em arco de asa de cesto, rusticado, com aduelas em ressalto e pedra de fecho; os postigos do Cais e o de João Galo, ou das Fontaínhas, em arco abatido; torre quadrangular em alvenaria rebocada; torre hexagonal integrada em edifício moderno* 1.

Acessos

Vestígios de muralha e postigos a N. por Av. 5 de Outubro, a S. por Av. Luísa Todi a E. por Miradouro e Palhais, a 0. pela Av. 22 de Dezembro; troços por entre o Miradouro e o Pátio Gago da Silva, pela R. da Paz e Beco da Penhana; Porta do Sol pela Tv. da Porta do Sol; Porta de São Sebastião pela Av. dos Defensores da República. (Georreferenciado às Portas do Sol)

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público, Portaria nº 636/2012, DR, 2.ª série, n.º 212, de 02 novembro 2012

Enquadramento

Urbano. Destaca-se no percurso que delimita a zona da cidade medieval de Setúbal (v. IPA.00025035).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Militar: fortaleza

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: Municipal

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 14 / 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1325 - 1375 - construção das muralhas, (PIMENTEL, 1879, 136); 1325 - 1360 - construção das muralhas, (SOARES, SILVA, 1982, 2); séc. 16 (reinado de D. João III) - manda-se abrir a Porta do Sol para maior facilidade de acesso aos arrabaldes de Palhais e Fontainhas; 1992, 25 abril - proposta do IPPC para a classificação das Muralhas Medievais de Setúbal; 27 março - despacho de abertura do processo de classificação do Presidente do IPPC; 2008, 15 maio - despacho de abertura do processo de classificação da Subdiretora do IGESPAR; 2007, 27 novembro - proposta da Câmara Municipal de Setúbal para a ampliação e alteração do conjunto a classificar, para Muralhas, Torres, Portas, Cortinas e Baluartes do Centro Histórico de Setúbal; 2008, 14 maio - informação favorável da DRCLVTejo relativa à classificação do conjunto; 15 maio - despacho da Subdiretora do IGESPAR a determinar a revogação do despacho de abertura e a abertura de um novo procedimento de classificação; 2011, 19 dezembro - proposta da DRCLVTejo para a classificação como Monumento de Interesse Público; 2012, 23 janeiro - parecer favorável da SPAA do Conselho Nacional de Cultura relativo à classificação.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria e cantaria

Bibliografia

SOARES, Joaquim, SILVA, Carlos Tavares da, As Muralhas Medievais de Setúbal, Setúbal, 1982; SILVA, José Custódio Vieira da, Setúbal, Lisboa 1990.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

*1 - DOF: Muralhas, torres, portas, cortinas e baluartes do Centro Histórico de Setúbal. *2 - É a única porta existente do período medieval. *1: A torre quadrangular situa-se frente ao Monumento dos Mortos na Guerra; as fundações da torre hexagonal estão integradas no edificio da Polícia de Segurança Pública, na esquina da Av. 22 de Dezembro com a Av. Luísa Todi.

Autor e Data

Albertina Belo 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login