Igreja Paroquial de Proença-a-Nova / Igreja de Nossa Senhora da Assunção

IPA.00010030
Portugal, Castelo Branco, Proença-a-Nova, União das freguesias de Proença-a-Nova e Peral
 
Arquitectura religiosa, maneirista e barroca. Igreja paroquial de planta longitudinal de três naves divididas por colunas, torre sineira e sacristia do lado NE.. Fachada principal com vãos em eixo, constituído por portal de volta perfeita, encimado por janela e remate em empena. Vãos laterais de perfil rectilíneo, com molduras de cantaria. Contrafortes exteriores. Torre sineira com remate piramidal.
Número IPA Antigo: PT020508040014
 
Registo visualizado 362 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta por três naves, capela-mor mais estreita e baixa, sacristia a NE., anexo a SO. e torre sineira. Volumes articulados de disposição na horizontal com coberturas diferenciadas em telhado de duas águas na igreja e capela-mor, prolongando-se a uma água sobre a sacristia e o anexo. Fachadas rebocadas e pintadas a branco com embasamento pintado a cinzento nas fachadas, à excepção da fachada principal com embasamento em pedra. Fachada principal virada a SE. com três panos na igreja definidos por cunhais em pedra e por dois contrafortes da nave. Ao centro, portal em arco perfeito com moldura de cantaria com impostas salientes. Porta de 2 folhas com bandeira encimada por cornija e cruz da Ordem de Malta e por janela em arco abatido, gradeada, com moldura em cantaria e cornija encurvada. Remate em empena com cornija rematada por cruz latina. Volume da torre sineira com três registos e com cunhais em pedra até à altura da nave e coroados por pináculos. Os primeiros registos são cegos e o terceiro com vão de arco perfeito, comportando sino. Remate em cornija com cobertura piramidal. Fachada virada a SO. com dois contrafortes, uma janela e, na nave, porta de verga recta, de duas folhas. No anexo, janela de rampa em forma de cruz e, no lateral à capela-mor, uma janela gradeada com lintel recto e remate em beiral. Fachada virada a NO. cega com remate em empena. Fachada NE. com janela de rampa, emoldurada em cantaria e, no anexo, porta e janela de perfis rectilíneos. Remate em beiral. INTERIOR constituído por três naves que se apoiam em colunas graníticas com retábulo-mor em talha dourada *1.

Acessos

Largo Dr. Pedro da Fonseca

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, flanqueada e a meia encosta. Ergue-se numa zona de pendor inclinado com embasamento saliente. A fachada principal abre-se a um pequeno adro elevado relativamente à R. e gradeado. Próximo localiza-se a Igreja da Misericórdia de Proença-a-Nova (v. PT020508040002) e a Câmara Municipal.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Portalegre - Castelo Branco)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural) / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

MESTRE-DE-OBRAS: Lopo Garcia (séc. 17).

Cronologia

Séc. 16 - data provável da sua edificação, ligada à Ordem de Malta; Séc. 17 - levantamento da igreja por Pedro Nunes Tinoco, à ordem do Priorado do Crato; 1605 - obra na igreja por Lopo Garcia, que não a concluiu; séc. 18 - data em que o imóvel foi acrescentado *4.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes e estrutura mista.

Materiais

Granito, madeira, reboco, ferro forjado, telha lusa.

Bibliografia

MARCELO, M. Lopes, Beira Baixa, Lisboa, 1993; VITERBO, Sousa, Diccionario Historico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portuguezes ou a serviço de Portugal, Lisboa, Imprensa Nacional, 1904, vol. III.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMPAN

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

CMPAN

Intervenção Realizada

Comissão Fabriqueira: 1990 - realizadas obras de conservação geral.

Observações

*1 - o paróco de Proença-a-Nova não autorizou a visita ao interior da Igreja pelo que a descrição apresentada resulta de consulta de bibliografia. *2 - dada a dimensão da capela-mor, supõe-se que a igreja seria bastante mais pequena.

Autor e Data

Luís Castro 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login