Quinta da Comenda

IPA.00010019
Portugal, Viseu, São Pedro do Sul, União das freguesias de São Pedro do Sul, Várzea e Baiões
 
Quinta de produção medieval e de estilo romântico. Quinta existente há quase mil anos, característica da Região de Lafões, aquando o princípio da nacionalidade e onde a terra brotava água quente e de longe se via uma coluna de fumo branco a marcar um lugar de cura e de qualidades misteriosas. A água quente sai para o exterior a 69ºC, aquece a água do Rio Vouga da mesma forma para os homens do Neolítico, para os romanos, para D. Afonso Henriques, D. Manuel I, D. Amélia e para quem lá passa; Peças medievais esculpidas no granito das fontes, os caminhos que levam ao rio, a ponte por onde os cavaleiros passavam o Rio Trouxe, as encostas cobertas de vinhas tratadas como no tempo dos romanos, a represa de onde a água se encaminha para a azenha e moinho, tudo em equilíbrio, desde há séculos; O conjunto é simples sem ser grandioso mas transporta uma herança histórica única, nomeadamente a resistência que o Comendador da Ordem de malta opôs ao domínio espanhol, preparando-se ali a revolta que levou à restauração da nacionalidade em 1640.
Número IPA Antigo: PT021816140022
 
Registo visualizado 151 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Edifício e estrutura  Agrícola e florestal  Quinta    

Descrição

A 2 km das termas de São Pedro do Sul, sobre a estrada e ocupando a meia encosta, virada a S.. À chegada enquadra-se logo a casa medieval em dois enormes ciprestes. Aqui o jardim não se limita ao espaço de buxo, mas estende-se por toda a quinta, que se centra na casa medieval. A casa é baixa, entrando-se nela através de um duplo arco ogival que leva ao pátio da fonte, rodeado das casas de hospedagem em granito. As escadas conduzem a uma varanda da qual se acede à casa. Existe fonte de cavalgar, formada por uma bica e taça de granito, saliente a partir do meio de dois lances de seis degraus simétricos. O caminho até ao rio faz-se por estrada de terra sob latadas bem podadas que serpenteiam e que no virar das curvas enquadram a paisagem que se estende pelo vale até às Termas de São Pedro do Sul. Perto do rio a vegetação intensifica-se, passando a ser formada por salgueiros, amieiros e choupos, que marcam a linha meandrizada que o rio segue. No meio desta galeria, bem encaixada na margem alta do rio, existe azenha de granito com mós, engates de madeira e a água a passar por baixo, com entrada de cereal no funil grande de madeira. Nesta zona toda a paisagem é reflectida no rio, que foi obrigado a alargar fazendo espelho.

Acessos

Passando São Pedro do Sul, seguir a EN6 em direcção a Viseu

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Paisagem do rio Vouga; encostas cobertas de vinhas, em socalcos; a paisagem estende-se pelo vale até às termas de São Pedro do Sul; inúmeras capelas nos cumes dos montes; Enquadrada pelos contrafortes montanhosos das serras da Estrela, Montemuro e Caramulo, formando horizonte dentado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Agrícola e florestal: quinta

Utilização Actual

Comercial e turística: casa de turismo de habitação

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Época Construção

Séc. 12

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1129 - D.Teresa, mãe de D.Afonso Henriques, doa a Quinta Comenda a D.Raimundo (Grão-mestre da Ordem de S. João de Jerusalém); com a sua morte a quinta passa a ser pertença da mesma Ordem; 1152 - é concedido foral à região de Lafões; D.Afonso Henriques, após a Batalha de S.Mamede terá permanecido uma temporada nesta quinta, mais tarde administrada pela Ordem de Malta; séc. 16 - a Ordem de S. João de Jerusalém dá origem à Ordem de Malta; 1635 - Levantamento popular de Arcozelo, tendo havido barricada na Casa da Comenda, inserida no descontentamento contra o Governo do domínio Filipino; 1640 - ali a Ordem de Malta preparou a oposição ao domínio espanhol, preparando-se a revolta que levou à restauração da nacionalidade; 1834 - Com a extinção das Ordens Militares, pelo Decreto de 30 de Junho, a quinta é incorporada na Fazenda Nacional passando-a para a Coroa, verificando-se progressiva degradação; 1984 - Compra da quinta por José e Laura Cardoso da Rocha - a casa encontrava-se em estado de degradação quase completo.

Dados Técnicos

Cantaria; Construção de alvenaria de granito; Muros de suporte.

Materiais

Inertes: granito, madeira, xisto, ferro; Vegetal: ameixoeira-dos-jardins (Prunus cerasifera), aveleira (Corylus avellana), azevinho (Ilex aquifolium), buxo (Buxus sempervirens), alfazema (Lavandula officinalis), agapantos (Agapanthus africanus), cipreste (Cupressus sempervirens), cedro-do-buçaco (Cupressus lusitanica), cerejeira-brava (Prunus avium), chorão (Carpobrotus edulis), choupo-branco (Populus alba), castanheiro-da-índia (Aesculus hippocastanum), castanheiro (Castanea sativa), freixo (Fraxinus angustifolia), hera (Hedera helix), hortênsia (Hydrangea macrophylla), macieira (Malus domestica), Nespereira (Eriobotrya japonica), Nogueira (Juglans regia), pereira (Pyrus communis), Roseira brava (Rosa canina), Videira (Vitis vinifera).

Bibliografia

OLIVEIRA, António, História de Coimbra, volume XVI, Coimbra, Universidade de Coimbra, 1977; UNIBANCO, Solares de Portugal, s.d.; CASTEL-BRANCO, Cristina, Jardins com História, Poesia Atrás dos Muros, Edições INAPA, Lisboa, 2002; www.quintadacomenda.com.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; Arquivo fotográfico da Quinta da Comenda.

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1984 - obras de resaturo da parte arquitectónica da casa mantendo a traça original e primitiva.

Observações

D. Afonso Henriques, após a batalha de S. Mamede, terá permanecido uma temporada nesta quinta, mais tarde administrada pela Ordem de Malta. Com a extinção das Ordens Religiosas em 1834 e com a República, acentuam-se as dificuldades para uma exploração adequada das terras, o que deu origem a uma progressiva degradação do património construído. Adaptada a turismo rural e à missão da agricultura biológica. Quinta de Agrobioturismo: Escritório - Av. da Boavista, 2.600, 4100-119 Porto, tel. 226179889, fax 226183491, quintadacomenda@sapo.pt; produção de vinho "Quinta da Comenda".

Autor e Data

Luísa Estadão 2005

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login