Capela da Santa Casa da Misericórdia do Carvoeiro / Capela de Nossa Senhora da Visitação

IPA.00002073
Portugal, Santarém, Mação, Carvoeiro
 
Capela da Misericórdia quinhentista, de planta retangular, composta por nave e capela-mor, interiormente com tecto de madeira e abóbada de berço, respectivamente e pouco iluminada. Retábulo-mor maneirista, de planta recta e três eixos, com painéis seguindo os cânones maneiristas, de composições arrojadas, figuras alongadas e contorcionadas, embora com inegável cunho popular e ingénuo. Segundo Pereira (1995, p. 12), o tipo de suporte, tratamento dos rostos, a escolha dos temas e de algumas cores, aproximam este políptico das realizações dos mestres de Abrantes e do Sardoal. Segundo Pereira (1995, p. 5), a capela teria inicialmente um alpendre adossado à actual capela-mor, o qual seria mais tarde fechado para criar a nave, o que explicaria o pé direito mais baixo da nave e o assentamento da sua cobertura interna directamente nas paredes. O actual remate da fachada principal, com espaldar semicircular assente no pano de remate recto, resultou de um restauro sem qualquer critério de rigor arquitectónico. O retábulo não se adapta ao espaço onde se integra, tendo-lhe sido retirado o frontão para caber na estrutura. Segundo as Memórias Paroquiai de 1758, a capela tinha inicialmente "uma casa separada para acomodar os pobres, a qual chamam hospital".
Número IPA Antigo: PT021413040020
 
Registo visualizado 658 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja de Confraria / Irmandade  Misericórdia

Descrição

Planta longitudinal composta por nave rectangular e a capela-mor quadrangular, tendo adossado à fachada lateral esquerda da nave a sacristia. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhado de duas águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco terminadas em beirado simples. Fachada principal virada a S., com a capela terminada em empena recta coroada por espaldar semicircular sobre o qual assenta pequena sineira de verga curva, rematada por cata-vento; é rasgada por portal de verga abatida. A sacristia termina em meia empena e é rasgada por vão rectangular. A fachada lateral E. tem dois panos, o da capela-mor mais elevado e rasgado por janela rectilínea. INTERIOR com paredes rebocadas e pintadas de branco; na nave, com tecto em madeira de dois panos, tem arco triunfal de volta perfeita sobre pilastras toscanas. Capela-mor coberta por abóbada de berço assente em cornija. Sobre supedêneo de dois degraus, surge o retábulo-mor de talha policroma e dourada, de planta recta e três eixos, definidos por quatro pilastras jónicas, de terço inferior decorado em pontas de diamante, assentes em plintos paralelepipédicos, de faces almofadadas pintadas; cada um dos eixo apresenta painéis sobre madeira pintados (0,94 x 0,54cm), de molduras lisas, o central com representação do Senhor da Cana Verde o do lado do Evangelho com "o Beijo de Judas", vendo-se num primeiro plano o Apóstolo de Pedro cortando o orelha de Malco, escravo do sumo sacerdote, e no da Epístola "a Agonia de Cristo no Horto"; sobre o entablamento, com friso decorado por três querubins relevados, desenvolve-se o ático, em tabela rectangular, vertical com painel pintado representando a "Visitação", enquadrado por consolas que suportam cornija do remate, aletas e dois pináculos piramidais; predela (0,24 x 0,54cm), com painéis pintados representando São Jorge e o Dragão, do lado do Evangelho, São Jerónimo e S. Pedro, ao centro, e dois cavaleiros, um deles com turbante, do lado da Epístola.

Acessos

Na povoação do Carvoeiro, do lado nascente

Protecção

Em vias de classificação (Homologado como IM - Interesse Municipal), Despacho 23 dezembro 1996

Enquadramento

Urbano, meia encosta. Integrada na malha urbana da povoação, a E. da mesma, paralela à via pública, com a fachada posterior adossada a habitação de dois pisos. Em frente da fachada principal, possui pequeno adro empedrado, com dois alegretes ladeando o portal axial.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Utilização Actual

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Propriedade

Privada: Misericórdia

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1518 - D. Manuel concede foral Novo a Belver e concelhos anexos, de que fazia parte a povoação de Carvoeiro; séc. 16, último quartel - fundação da Misericórdia pelo Padre Jorge Fernandes, sacerdote do hábito de São Pedro, natural da freguesia, na sequência da qual se construiu a capela; 1560, cerca - provável feitura do retábulo, segundo Pereira (1995, pp. 11, 12); séc. 17 - provável reforma das tábuas do retábulo terá sido realizado por volta de 1560, tendo sido possivelmente refeitas as tábuas do segundo registo, explicando assim a ordem trocada dos mesmos, a sua temática alheia às imposições iconográficas das Misericórdias (cenas da vida da Virgem), o cunho acentuadamente dramático de alguns painéis e as armaduras e roupa ao gosto espanhol; 1758 - segundo as Memórias Paroquiais, a capela tinha uma casa separada para acomodar os pobres e que chamavam de hospital; séc. 19 - extinção da Misericórdia, cujos bens passaram à Misericórdia de Mação.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes (nave), estrutura mista (capela-mor).

Materiais

Estrutura em alvenaria rebocada e caiada; tecto da nave em madeira e em abóbada na capela-mor; portas e caixilharia em madeira; janelas com vidro; pavimento em cantaria e tijoleira; cobertura em telha de canudo.

Bibliografia

Memórias Paroquiais, tomo IX, Lisboa, Arquivo Nacional da Torre do Tombo, 1758; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, vol. III, Lisboa, 1949; PEREIRA, Maria Amélia Horta, A capela de Nossa Senhora da Visitação do Carvoeiro, Processo de classificação, 1995.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1940, cerca - obras de restauro na fachada principal.

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login