Convento de São Domingos / Convento de Nossa Senhora da Consolação / Biblioteca Municipal de Abrantes / Biblioteca Municipal António Botto

IPA.00003349
Portugal, Santarém, Abrantes, União das freguesias de Abrantes (São Vicente e São João) e Alferrarede
 
Convento dominicano construído em torno de um claustro, com a nave da igreja paralela a uma das suas alas. Se a presença das colunas toscanas, o rasgar das arcadas a pleno centro no 1º registo do claustro, e as proporções aí evidenciadas, apontam para a arte do renascimento, todavia o tipo de solução encontrada para os ângulos do mesmo (meia coluna adossada a pilastra), bem como o rasgar dos arcos ao nível superior remetem já para uma arquitectura dominada pela corrente maneirista. Sugestão de elementos arquitectónicos clássicos no rasgamento da fachada principal da antiga igreja, empregando materiais recentes, propositadamente deixados à vista. Da igreja resta apenas parte de um dos braços do transepto. Claustro de planta rectangular.
Número IPA Antigo: PT031401110006
 
Registo visualizado 1291 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem de São Domingos - Dominicanos

Descrição

Planta composta por vários rectângulos adossados em redor de um claustro rectangular. Volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhado de duas e três águas. Na fachada principal, virada a NO., distinguem-se dois corpos de diferente volumetria: o corpo que corresponde à antiga igreja, do lado esquerdo, mais elevado e saliente, com a fachada NO. rematada por cimalha e delimitada por cunhais, dois pisos rasgados por janelas molduradas, de verga recta, e a fachada SO., encimada com empena angular, vazada por portal encimado por janelão e óculo, com molduras em betão; o corpo do lado direito, recuado, correspondente ao antigo edifício conventual, mostra três panos encimados por cimalha, delimitados por pilastras, com dois pisos, o inferior rasgado por portal com frontão triangular, o superior por janelas molduradas de verga recta. A fachada posterior, de dois pisos, irregularmente vazada, é centrada por corpo com frontão contracurvado, rasgado por porta-janela com balcão. Da antiga igreja resta apenas parte do braço do transepto do lado da Epístola, com o seu arco de comunicação com a nave e a abóbada de berço, ainda com vestígios de pintura mural. Dos anexos conventuais destaca-se o claustro com dois pisos, circundado por cimalha moldurada; o primeiro piso vazado por arcos a pleno centro sobre colunas toscanas assentes em estilóbata rasgado a meio de cada ala, o piso superior por arcos em asa de cesto e colunas semelhantes às inferiores; cobertura em madeira nas quatro alas. Na antiga portaria destaca-se o revestimento azulejar, em azul e branco, com albarradas floridas rococó.

Acessos

Praça da República. WGS84 (graus decimais) lat: 39.460567 long:-8.196663

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 735/74, DG, 1.ª série, n.º 297 de 21 dezembro 1974 *1

Enquadramento

Urbano, planalto, flanqueado. Integrado na malha urbana, junto ao antigo largo do Rossio para o qual abre a fachada principal, domina a encosta e o vale do rio Tejo da fachada posterior.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Cultural e recreativa: biblioteca / Educativa: jardim de infância / creche

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTOS: Pero Fernandes (1542-1547); Castel-Branco (1990).

Cronologia

1509 - 1517 - construção do convento, patrocinado pela coroa e sobretudo pelo infante D. Fernando, filho de D. Manuel, sepultado com a mulher, D. Guiomar Coutinho, na capela-mor da igreja; 1542 - 1547 - obras realizadas por Pero Fernandes, enviando cartas sobre as mesmas; 1789 - 1799 - parte do convento é cedido às legiões do marquês de Alorna; 1809 - instalação de 2 regimentos de milícias; 1810 - instalação do hospital militar; 1833 - a comunidade religiosa abandona o convento, que passa a funcionar apenas como hospital e quartel; 1966 - projecto para demolição dos restos do antigo convento; por intervenção do ministro Arantes e Oliveira a demolição não se concretizou, tendo-se dado início ao estudo para adaptação do espaço arquitectónico; 1987 - conclusão do projecto; 1990 - início da obra para instalação da biblioteca e centro cultural, seguindo projecto do arquitecto Castel-Branco; 1993 - inauguração do novo espaço cultural; 2017, junho - escavações arqueológicas no mosteiro, para obras de ampliação e instalação do Museu Ibérico e de Arqueologia, põem a descoberto vários vãos, vestígios das estruturas mais antigas do primitivo Convento, grande parte da necrópole e áreas de armazenagem de alimentos, com um silo e uma talha, posteriormente utilizada como ossário, tudo do séc. 16.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria rebocada e caiada; cantaria em molduras; betão (fachada da biblioteca); cobertura em telha cerâmica; madeira, vidro, azulejo.

Bibliografia

CÂNCIO, Francisco, Ribatejo Histórico e Monumental, vol. II, s.l., 1939; MORATO, Manuel António, CAMPOS, Eduardo, Memória Histórica da Notável Vila de Abrantes, 2ª ed., Abrantes, 1990; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, vol. III, Lisboa, 1949; VITERBO, Sousa, Diccionario Historico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portuguezes ou a serviço de Portugal, Lisboa, Imprensa Nacional, 1904, vol. I; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74094 (consultado em 08-07-2016).

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMAbrantes

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMAbrantes

Documentação Administrativa

CMAbrantes; DGARQ/TT: Corpo Cronológico (Parte I, Maço 79, Doc. 58 (publ. por VITERBO)

Intervenção Realizada

CMAbrantes: 1990 - obras gerais de adaptação do antigo convento a espaços culturais.

Observações

*1 - DOF: Antigo Convento de São Domingos. *1 - Uma planta de conjunto e um alçado da fachada do convento feitos em 1866 mostram um edifício conventual e igreja ainda bastante íntegros, antes das adaptações feitas para nele instalar o quartel e hospital. *2 - No braço do transepto do lado da Epístola (o elemento conservado da antiga igreja, servindo de enquadramento a uma escada metálica de acesso ao piso superior, guardou-se desde 1571 a imagem milagrosa do Senhor Jesus do Capítulo, protector da peste e propiciador da chuva, trazida por D. Lopo de Almeida de Roma e oferecida ao convento e que inicialmente se guardou na casa do capítulo. A imagem foi transferida para a igreja de S. João em 1847. *3 - Um primitivo convento dominicano fora fundado em 1472 por D. Lopo de Almeida, nos arredores de Abrantes; a insalubridade do local levou à transferência para dentro da vila.

Autor e Data

Rosário Gordalina 1990 / Isabel Mendonça 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login