Igreja Paroquial de Vila Ruiva / Igreja de Nossa Senhora da Encarnação / Igreja de Nossa Senhora da Expectação

IPA.00000994
Portugal, Beja, Cuba, Vila Ruiva
 
Igreja paroquial manuelina, de dimensões médias, com fachada marcada por torreão cilíndrico cupulado e interior totalmente abobadado; portas em arco quebrado, abóbadas polinervadas, estreladas, com fechos decorados com pedras de armas e máscaras, estribadas em mísulas esculpidas com ornatos manuelinos, na nave e capela-mor. O esquema da fachada, embora com rasgamentos diferentes, é idêntico ao da Igreja Paroquial de Vila Alva (v. PT040207030003). Alçados interiores decorados por pinturas murais quinhentistas, seiscentistas e setecentistas. Retábulo-mor rococó. O magnífico repositório de pinturas murais, de carácter popular, cobrindo diferentes épocas, do primeiro terço do séc. 16 ao séc. 18, as seiscentistas apresntando afinidades estilísticas com as Igreaja da Misericórdia (v. PT040207040019) e atribuiveis ao mesmo pintor.
Número IPA Antigo: PT040207040004
 
Registo visualizado 995 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta poligonal composta pelo rectângulo da nave (15,80 x 6,85 m.) justaposto ao quadrado da capela-mor (4,80 x 4,80 m.), a que se adossa uma sacristia a N. e capelas, a N e S.. Volumes escalonados cobertos por telhados de 3, 2 e 1 águas. Fachada principal orientada com empena recta rematada por volutas, centradas pela cruz e torre sineira cilíndrica coberta por domo, com pináculos nos acrotérios; porta em arco quebrado moldurado e janela de verga redonda no eixo da fachada; na fachada posterior assinalam-se contrafortes escalonados adossados aos vértices da capela-mor e da nave; portal em arco quebrado moldurado, encimado por fresta, na fachada N.. INTERIOR: no alçado O., ladeando a porta 2 pias de água benta; nave de 3 tramos coberta por abóbadas estreladas, estribadas em mísulas esculpidas, com os escudos dos Melo - Bragança nos fechos. Nos alçados laterais abrem-se, do lado do Evangelho, a Capela do Rosário, de 2 tramos com abóbadas de cruzaria de ogivas; apresenta nos alçados pinturas murais figurando a Apresentação no Templo, São Sebastião, Santo André e Anjos; de uma campanha posterior, na abóbada, pinturas murais figurando anjos; estas pinturas são contemporâneas de outras presentes no alçado do Evangelho, figurando passos da vida de São Francisco de Assis. Do lado da Epístola, a Capela de Santo António, com pinturas murais figurando o Padre Eterno e Santa Clara; de uma campanha pictórica posterior os murais figurando Apresentação do Menino no Templo, milagre de Santo António, Calvário, São Pedro e Cristo com a cruz às costas e Santa Catarina de Alexandria; contemporâneas as pinturas murais dos arcos desta apela e da de Nossa Senhora do Rosário; ainda do lado da Epístola as Capelas de São José e do Senhor Jesus dos Passos. Sob a torre sineira pia baptismal oitavada. Arco triunfal em arco quebrado decorado por pinturas murais, de duas campanhas pictóricas distintas, a mais recente, contemporãneas da dos arcos das Caoelas de Santo António e de Nossa Senora do Rosário, a mais tardia, na parte inferior, figurando São Bartolomeu e São Nicolau. Capela-mor com cobertura em abóbada, idêntica à da nave mas mais baixa, apoiada em mísulas, com as armas dos marqueses de Ferreira nos fechos; retábulo-mor em talha polícroma. No pavimento (entrada da nave, degrau da capela-mor e soleira da porta travessa) inúmeros fragmentos de pedras tumulares, algumas com inscrições góticas.

Acessos

Largo da Igreja

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982

Enquadramento

Urbano, isolado, meia encosta. Está implantada num adro elevado em relação à estrada, rodeado pelo casario da vila, a N. e O. e pela Igreja da Misericórdia (v. PT040207040019), a E.. Integração harmoniosa, sem elementos destoantes.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Beja)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 16 / 18 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

MESTRE DE OBRAS: Tomás Fernandes (atr., 1523). PINTORES: João Fialho (atr., séc. 18); José de Escovar (atr., 1610), Mestre da Misericórdia da Misericórdia de Vila Ruiva (atr., 1630-1640).

Cronologia

1523 - data provável de construção, por Tomás Fernandes, natural de Vila Ruiva, mestre de obras de Afonso de Albuquerque, na Índia (SERRÃO: 1992) e que de regressa a Portugal residirá desde este ano até 1534 na sua vila natal; 1525 / 1530, c. de - pinturas murais da capela de Nossa Senhora do Rosário; 1610, c. de - pinturas murais da Capela de Santo António, atribuídas a José de Escovar; 1630 / 1640, c. de - pinturas murais dos arcos das Capelas de Nossa Senhora do Rosário e de Santo António, do arco triunfal e do interior da Capela de Santo António, figurando Apresentação do Menino no Templo, milagre de Santo António, Calvário, São Pedro e Cristo com a cruz às costas e Santa Catarina de Alexandria, atribuídas ao mestre da Misericórdia de Vila Ruiva (v. PT040207040019); séc. 18 - pinturas murais, da parte inferior do arco triunfal, dos alçados do lado do Evangelho e da abóbada da Capela de Nossa Senhora do Rosário, atribuídas ao capitão João Fialho, de São Cucufate, entre outros (SERRÃO, 1992 ); séc. 17 / 18 - construção das capelas de São José e do Senhor Jesus dos Passos; Séc. 20 - descoberta e restauro das pinturas murais por detrás dos altares das capelas laterais.

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Alvenaria de pedra e tijolo rebocada e caiada, telha cerâmica, tijoleira, madeira, vidro.

Bibliografia

BORGES, Emília Salvado, O Concelho de Cuba - Subsídios para o seu Inventário Artístico, Cuba, 1981; VIANA, Abel, Misericórdia de Vila Ruiva in Arquivo de Beja, Vol. VIII, Beja, 1951; SERRÃO, Vítor e outros, A Pintura dos séculos XVI a XVIII no concelho de Cuba, Cuba, 1992; ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal, Distrito de Beja, Lisboa, 1993.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Instituto José de Figueiredo: 1973 - restauro das pinturas murais; 1976 - reparação da cobertura; 1978 - reparação de pavimentos, reconstrução de rebocos, caiação; 1978 - apeamento do coro e púlpito, reparação de pavimentos e rebocos; 1979 - reparação da torre, beneficiações na sacristia; 1986 - execcução de ramal de ligação de energia eléctrica; 2003 - Restauro das pinturas murais ( em curso ).

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login