Edifício da Farmácia Portuguesa

IPA.00008075
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Funchal, Funchal (Sé)
 
Arquitectura civil, revivalista. Prédio urbano revivalista de planta irregular e fachada em reboco de cimento trabalhado ao geito de cantaria, com 4 pisos, possuindo no 1º estabelecimento comercial - uma farmácia - com vãos em arco de diferente amplitude sobre pilastras e colunas e um 3º piso de maior riqueza decorativa, com varanda corrida.
Número IPA Antigo: PT062203100107
 
Registo visualizado 28 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial multifamiliar  Edifício  Edifício residencial e comercial  

Descrição

Planta complexa, definindo um pequeno pátio interior, com edifício de fachada para a rua e outro interior. Volumes articulados. Fachada principal de 4 pisos em cimento pintado na sua cor e imitando cantaria. Piso térreo demarcado por cornija de balanço e duplo arco relevado assente em pilastras com rebaixo decorativo central, capitéis, filetes e bases relevadas. O arco estreito enquadra porta de acesso aos pisos superiores e um amplo integra 3 vãos da farmácia: 2 portas laterais e ampla devanture central, entre meias colunas com base, aneletes e capitéis relevados, sobre os quais assentam volutas de apoio a frontão curvo; espaço intermédio com letras relevadas no mesmo material e acompanhando a curva do arco geral abatido: "FARMACIA PORTUGUEZA" e, por baixo e em escala mais pequena, "CHEMIST AND DRUGGIST" e "FARMACIE DROGUERIE", em letra arial. Portas de arco de volta perfeita rebaixado formando bandeira; a porta de acesso aos andares têm portadas de almofadas de madeira na sua cor, postigos com grade de ferro fundido e bandeira fixa de madeira envidraçada em leque; as de acesso à farmácia e moldura da montra são em madeira repetindo o mesmo gosto. Na montra repete-se o nome da farmácia a folha de ouro, em "algerian", acrescido de "11-11-1917", a preto e "ANDRADE", a vermelho, em "arial". Segundo piso com 3 largas janelas de vão recto, de portadas de madeira pintadas a branco, encimadas por moldura simples corrida, sobre a qual assenta a varanda de sacada corrida do 3ª piso, com balaustrada também de cimento; neste piso, abrem-se 4 janelas com molduras semelhantes e importantes consolas superiores clássicas, suportando arquitrave, sobre a qual ainda existe cornija separadora do 4º piso, também rasgado por 4 janelas simples com persianas de madeira verde escuro; remate em cornija e platibanda. A farmácia apresenta as paredes cobertas por armários envidraçados ao gosto dos princípios do século, em madeira aparente, tendo nos alçados pilastras relevadas, cornija de balanço e portadas terminadas em arco apontado.

Acessos

Funchal (Sé), Rua João de Tavira, n.º 3 a 7

Protecção

Categoria: VL - Valor Local, Resolução do Presidente do Governo Regional n.º 94/99, JORAM, 1.ª série, n.º 13, de 02 fevereiro 1999

Enquadramento

Urbano, flanqueado, integrado em quarteirão virado a uma rua da baixa, de grande circulação pedonal, nas proximidades da Sé.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: edifício

Utilização Actual

Residencial: edifício

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Mestre empreiteiro João Cândido Gomes; projecto do arq. Agostinho Xavier Andrade ( 1998 ).

Cronologia

Séc. 16 - instalação nesta rua do corregedor João de Tavira, ficando o seu nome como topónimo; Sécs. 18 / 19 - instalação de vários comerciantes estrangeiros na rua; 1917, 11 Nov. - instalação da Farmácia Portugueza, ( Andrade ); 1923 - início das obras do Banco Nacional Ultramarino e reformulação da R. João de Tavira, recuando a Farmácia Portugueza a sua fachada para alinhamento da rua; 1926, 2 Fev. - inauguração do Banco Nacional Ultramarino.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Alvenaria de cimento pintada, madeira ( carvalho, pinho e outras ), amarrações mistas de tirantes de madeira e de ferro, estuque e vidro.

Bibliografia

CARITA, Rui e TRUEVA, José Manuel de Sainz, Roteiro Histórico e Cultural da Cidade, Funchal, 1997.

Documentação Gráfica

DRAC, Funchal

Documentação Fotográfica

DRAC, Funchal

Documentação Administrativa

Câmara Municipal do Funchal

Intervenção Realizada

Proprietário: 1998 - reabilitação geral do prédio.

Observações

Autor e Data

Rui Carita 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login