Capela de Nossa Senhora das Lezírias

IPA.00000778
Portugal, Aveiro, Anadia, São Lourenço do Bairro
 
Arquitectura religiosa, maneirista. Capela maneirista de planta longitudinal e nave única, inscreve-se no puro estilo coimbrão, desenvolvido pela arquitectura mondeguina por toda a região de influência, quer a N., quer a S., como se documenta pelos também periféricos exemplos de Pereira do Campo (Capela do Santíssimo Sacramento) ou de Mogofores (Igreja Paroquial - Capela dos Pintos, dedicada a Nossa Senhora da Piedade). Capela-mor com retábulo tardo-maneirista, com ferragens flamengas, colunas ornadas com grotescos e a continuidade da linguagem renascentista de querubins e hieratismo das imagens.
Número IPA Antigo: PT020103100004
 
Registo visualizado 209 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta rectangular. Desenvolve, num eixo longitudinal, profunda capela-mor e sacristia adossada. Volumes articulados e cobertura em telhado de 2 águas. Verticalidade acentuada e cobertura em telhado de 2 águas. Fachada com frontão triangular circunscrito ao corpo interior, tendo nos cunhais dois pináculos de remate piramidal. Portal emoldurado por cantaria com remate semicircular interrompido, onde se ergue uma cruz, entre dois vãos quadrangulares gradeados e sineira lateral. Nave única, a capela incorpora dois bancos corridos em L, duas pias baptismais e um púlpito paralelepipédico decorado, assente em corpos misulados. A iluminação lateral é realizada por quatro janelões rectangulares chanfrados, repartidos dois a dois pelo corpo do templo, com marcação da capela-mor pelo desenvolvimento de um arco cruzeiro decorado com ferragens na arquivolta, motivos vegetalistas e querubins, adaptando a ordem arquitectónica a um sistema pilastral, onde óvulos e pendentes ornamentam o entablamento que corre ao longo da capela-mor, mas de molduras lisas ao longo da nave, marcando o arranque da abóbada. O sistema decorativo estende-se ao fuste das pilastras com cartelas e ao intradorso do arco cruzeiro, com molduras geométricas. Na capela-mor, de abóbada de esquadria, rasgam-se lateralmente dois arcos cegos e ergue-se na parede fundeira, sobre dois vãos rectangulares e um elevado altar-mor assente em degraus, um retábulo de talha dourada, em dois registos, com escultura de vulto redondo no piso inferior e baixos-relevo no piso superior, tripartido numa estrutura vertical marcada pela ordem arquitectónica, dupla ao centro, e com coroamento circular central e em aletas, lateralmente. Pelos vãos inferiores, acesso a sacristia decorada com azulejaria monocromática, tal como as paredes da capela-mor, incluindo um lavatório pétreo decorado com duas carrancas.

Acessos

EN 334, Km. 30,80 à direita (vindo de São Lourenço)

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 67/97, DR, 1ª Série-B, nº 301 de 31 dezembro 1997

Enquadramento

Urbano, isolado. Destaca-se entre casario e a estrada nacional que corre paralela.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Aveiro)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1684 - Data gravada na lápide memorial do patrono da capela, António Álvares, prior, falecido no dia 13 de Julho, responsável pela sua edificação.

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Alvenaria, tijolo (abóbada da nave e sacristia), calcário (púlpito, pias baptismais, bancos corridos, arco cruzeiro e entablamentos, capela-mor, lajedo e cantarias), madeira (estatuária e retábulo) e barro (deposição no Túmulo), talha dourada, pavimento de lajes.

Bibliografia

GONÇALVES, A. Nogueira, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Aveiro, VI, Lisboa, 1959, pp. 91 - 92; Monumentos, n.º 10, Lisboa, DGEMN, 1999; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74896 [consultado em 14 outubro 2016].

Documentação Gráfica

Câmara Municipal de Anadia; IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DREMC

Intervenção Realizada

1890 - Segundo uma "Memória Descritiva da Paróquia de São Gonçalo" (DREMC), há 100 anos a igreja levou telhado; 1986, cerca - reparação no telhado (infiltrações pluviais); DGEMN: 1997 - reconstrução da cobertura; 1999 - picagem e recolocação de rebocos interiores e exteriores; caiação interior e esterior; reparação de cantarias em molduras e pilastras; reparação de pavimentos; instalação eléctrica

Observações

Embora tenha existido, muito possivelmente, um oratório anterior, a esculturinha da Virgem que se abriga no nicho central do retábulo-mor, obra do séc. 15, é o seu único vestígio. Iconograficamente, às esculturas de madeira carnadas de Santo António e São Gonçalo de Amarante correspondem baixos-relevos, no segundo registo, com a temática da Epifania e da Creche, enquanto ao centro, a Assunção da Virgem concorda com o nicho central, onde se guarda a patrona da capela, estatueta em pedra policromada, do séc. 15, única obra anacrónica perfeitamente goticizante. No altar e num dos arcos cegos da capela-mor, encontram-se figuras de meio corpo de uma Deposição no Túmulo, na linha do modelo coimbrão.

Autor e Data

Margarida Alçada 1983 / Carlos Ruão 1996

Actualização

Antero Carvalho 2005
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login