Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Sobreira Formosa

IPA.00007305
Portugal, Castelo Branco, Proença-a-Nova, União das freguesias de Sobreira Formosa e Alvito da Beira
 
Arquitectura religiosa maneirista. Igreja da Misericórdia composta por 1 nave única, com sacristia adossada ao alçado tardoz. Embasamento de cantaria e demais fachadas rebocadas. Remate da fachada em empena. Nave com cobertura em falsa abóbada de berço abatido. Retábulo de estrutura tardo-barroca.
Número IPA Antigo: PT020508060003
 
Registo visualizado 241 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja de Confraria / Irmandade  Misericórdia

Descrição

Planta longitudinal simples com anexo de 2 pisos. Volumes articulados, sendo o da Igreja de disposição horizontal e o volume da sacristia e anexo de disposição vertical. Coberturas diferenciadas em telhado de 2 águas. Fachada principal orientada a SE. com 3 panos e embasamento de pedra. O pano central é rebocado e pintado a branco e os panos laterais em pedra com aparelho isódomo. Os panos laterais são coroados superiormente por campanário com vão de volta perfeita e os cunhais afirmados por pináculos. Apenas o campanário do lado SO. possui sino. No pano central, portal em arco perfeito com impostas salientes e pedra de fecho decorada com 1 querubim esculpido com inscrição a data de 1558. Remate superior deste pano em empena com cornija e superiormente cruz latina. Acede-se à porta principal por 3 degraus exteriores de planta curva. Fachada orientada a SO., com 1 porta em arco perfeito com acesso por degrau que liga à igreja, e 1 postigo de rampa, única fonte de iluminação do edifício. Remate superior em beiral e cornija. Lateralmente, volume da sacristia e anexo com 2 pisos, tendo no 1º porta com lintel em arco perfeito, a que corresponde no 2º piso a 1 janela com o mesmo perfil. Este volume é coroado superiormente por cornija e beiral. Fachada orientada a NO., cega com remate em empena angular. Lateralmente à Igreja, do lado SE., localiza-se 1 edifício *1. Este edifício possui 2 pisos, tendo no 1º 1 portal de volta perfeita com porta de 2 folhas com bandeira e 1 janela, vãos a que correspondem no 2º piso 2 janelas. Todos os vãos possuem lintéis em arco perfeito com impostas salientes. Remate em cornija e beiral. INTERIOR de 1 nave, piso em tijoleira, friso em azulejos, com cobertura em abóbada de berço abatido que arranca de cornija. Capela-mor destaca-se, pois está mais elevada, acedendo-se por 3 degraus. Retábulo de madeira pintada. A partir da capela- mor, tem-se acesso à sacristia e anexo que funcionam por trás da capela-mor.

Acessos

Largo da Misericórdia, Rua de Santiago

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, flanqueada a SE. por edifícios. Na fachada principal abre-se um largo e confina a NO. com via pública.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Utilização Actual

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Propriedade

Privada: Misericórdia

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1558 - data inscrita no lintel da porta principal e que se supõe ser a data da fundação da Igreja *2.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Madeira, reboco, granito, telha de meia cana, tijoleira, azulejos

Bibliografia

GOODOLPHIM, Costa, As Misericórdias, Lisboa, 1897; VILHENA, M. Assunção, Sobreira Formosa - Passado e Presente, Covilhã, Julho de 1995.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMPAN

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

SCMSF

Intervenção Realizada

SCMSF: 1989 / 1994 - recuperação e restauro total da Igreja; 2000 - recuperação e restauro do antigo albergue e hospital.

Observações

*1 - Funcionou como albergue e, já no séc. 20, o hospital. *2 - os autores não concordam sobre a data da fundação. Costa Goodolphim refere a data de 1589, enquanto Maria Assunção Vilhena refere a data de 1598.

Autor e Data

Luís Castro 2000

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login