Palácio de São Pedro

IPA.00006985
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Funchal, Funchal (São Pedro)
 
Palácio barroco de planta rectangular integrando ao centro torre ( esta já de feição neoclássica ), com as fachadas revelando a típica organização social madeirense, com "lojas", andar de serviços no 2º e andar nobre no 3º, com portal armoriado central e importante conjunto de varandas de sacada no andar nobre.
Número IPA Antigo: PT062203080030
 
Registo visualizado 340 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa  Palácio  

Descrição

Planta composta por corpo principal, quase quadrado, integrando torre central, a que se justapõe um longitudinal a N. e avançar para O. definindo para esse lado e com um pequeno corpo de serviços um pátio com portão sobre a R. da Mouraria. Grande massa volumétrica articulada sobre o torreão telhado, com mais 2 pisos; cobertura por telhados tipo tesoura, de 4 águas, e 3 e 2 águas nos edifícios para N. entre o corpo principal e a muralha. Fachada principal, à R. da Mouraria, de 3 pisos tendo nos cunhais importantes pilastras de cantaria aparente assentes em estilóbatos, com embasamento de cantaria rematado por friso relevado onde assentam as janelas gradeadas do piso térreo e rasgado ao centro por imponente portal com pilastras triplas, entablamento, lintel de balanço e frontão curvo interrompido pelas armas dos Carvalhal, esculpidas em mármore, com escudo ondulado e ladeado por palmas, com coronel de nobreza e timbre; no andar de serviços, janelas de guilhotina com molduras de cantaria boleadas, filete exterior relevado, entablamento e a articularem-se com o piso superior pelo prolongamento das ilhargas; piso nobre separado do anterior por friso relevado, onde assentam as janelas de sacada com grades elaboradas, prolongadas e corridas sobre os cunhais, molduras de cantaria idênticas às do andar inferior mas com lintel de balanço. Remate com cornija de balanço assente sobre friso de cantaria com 3 gárgulas em forma de canhão, no ritmo dos telhados de tesoura; beiral de telha de canudo. Fachadas laterais com o mesmo esquema decorativo com 5 vãos. À Cç. de Santa Clara, aparece recuada a fachada do corpo posterior, com a porta da antiga capela, encimada por largo arco de cantaria gradeado e janelão superior, igualmente gradeado; remate por beiral duplo de telha. Na continuação da fachada principal à R. da Mouraria segue muro de alvenaria com embasamento pintado a cinza e friso relevado superior em cantaria aparente, com portão de ferro delimitado por altas pilastras de cantaria aparente; corpo poente com fachada à rua com o mesmo embasamento, 2 janelas no piso do pátio interior, piso superior cego e beiral duplo de telha com remates em cerâmica lanceolados. Pátio acima do nível da rua, com acesso por "degraus de corça" e piso de calhau rolado miúdo, com desenhos a pedra branca e a data de 1929 sob a entrada; edifício poente com 2 pisos, portas e janelas com molduras simples de cantaria e remate com beiral duplo. Corpo N. / E. posterior com 4 pisos e janelas com molduras de cantaria vermelha de Cabo Girão; fachada virada ao pátio com um vão e virada a O. com 3. Interiormente, átrio empedrado com larga escadaria, distribuindo os acessos ao Aquário, Arquivo Regional, e Biblioteca e Museu municipais.

Acessos

Funchal (São Pedro), Rua da Mouraria, n.º 70 a 78; Calçada de Santa Clara

Protecção

Categoria: VCR - Valor Cultural Regional, Resolução do Presidente do Governo Regional n.º 1067/93, JORAM, 1.ª série, n.º 124 de 27 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, isolado, junto à estrada, na encosta dos arrifes da Cç. de Santa Clara, com pátio ajardinado vedado por muros, tendo palmeiras para S. e espaço semi-rural com tanques para N. / E..

Descrição Complementar

O átrio de acesso ao Arquivo Regional e ao Aquário é empedrado, apresentando desenho idêntico ao pátio O., dando ainda acesso por escadaria central de cantaria a um vestíbulo e por 2 lances gémeos à Biblioteca Municipal, no 2º piso. No 3º e 4º pisos situam-se as salas de exposição do Museu Municipal, essencialmente vocacionado para a Oceanografia, com varanda de balaustrada no 3º piso sobre o vestíbulo central. Este, é coberto por tecto de estuque, ao nível do 5º piso da torre, com amplo brasão policromado dos condes de Carvalhal, sendo o 6º piso ocupado com uma sala-mirante de amplas janelas sobre a cidade. No corpo posterior, no qual se situava a capela, hoje profanada, existe pequeno compartimento com azulejos policromos dos meados do Séc. 17, provavelmente, de construções anteriores.

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Cultural e recreativa: aquário / Cultural e recreativa: arquivo / Cultural e recrativa: biblioteca / Cultural e recreativa: museu

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Pintor Max Romer ( 1947 ) e escultor mestre Anjos Teixeira ( 1963 ).

Cronologia

1567 - registo de uma residência de certa importância neste local; 1778, 7 Mar. - nascimento de João José Xavier do Carvalhal Esmeraldo Vasconcelos de Atouguia Bettencourt Sá Machado, futuro conde de Carvalhal; 1800 - referência na planta do Funchal de Marques Rosa do Palácio de São Pedro ser "Dito de João do Carvalhal"; 1804, Out. - registo do nome da rua: "Rua da Moradia"; 1831, 6 Out. - nascimento no Funchal de António Leandro da Câmara de Carvalhal Esmeraldo Atouguia Sá Machado, futuro 2º conde de Carvalhal e sobrinho e herdeiro do 1º conde; 1835, 13 Out. - atribuição pela rainha D. Maria II do título de conde de Carvalhal a João do Carvalhal; 1837, 11 Nov. - falecimento do 1º conde de Carvalhal na sua residência do Palheiro Ferreiro, sem descendência, herdando o Palácio o seu sobrinho António Leandro; 1858 - recepção ao infante D. Luís de Portugal no Palácio de São Pedro pelo futuro 2º conde de Carvalhal, António Leandro; 1859, Dez. - descrição de um baile de Natal no Palácio de São Pedro pela imperatriz do México, Carlota da Bélgica; 1860 - atribuição do título de 2º conde de Carvalhal por D. Pedro V a António Leandro de Carvalhal Esmeraldo, sobrinho do 1º conde; 1882 - instalação no edifício do Hotel Sheffield, dirigido por Varolina Sheffiel; 1883 - instalação em parte do Palácio do colégio de São Jorge, dirigido pela futura madre Mary Jane Wilson; 1888, 4 Fev. - falecimento no Palácio do 2º conde de Carvalhal, António Leandro Carvalhal Esmeraldo; 1897 - instalação do Clube Internacional; 1921 - início do processo de venda do Palácio pela viscondessa do Ribeiro Real, por 535 contos, tendo a Câmara oferecido 400 através do seu advogado, Dr. Nuno Ferreira Jardim; a venda foi contestada pelos co-proprietários conde de Resende e família de Eça de Queiroz; 1923, 20 Jan. - venda em leilão do recheio do Palácio pela viscondessa do Ribeiro Real; 1929, 19 Set. - confirmação da expropriação do Palácio, passando à posse da Câmara e sendo o pagamento efectuado mediante um empréstimo da Caixa Geral de Depósitos; instalação no andar nobre das colecções do museu de História Natural; data na entrada para o pátio O.; 1930 - instalação da Biblioteca Municipal no 1º piso do Palácio; 1933 - instalação provisória do Arquivo Regional da Madeira no 1º piso do Palácio; 1935 - instalação do presidente da Câmara, Dr. Fernão de Ornelas Gonçalves ( 1908; 1978 ), até à sua saída, em 1946; 1938, 12 Jan. - decisão camarária de ampliação do acervo bibliográfico municipal, hoje com mais de 130.000 volumes; 1947, Jan. - incêndio na torre do palácio perecendo a colecção de pinturas de Alfredo Miguéis; 1947, meados - restauro do palácio, procedendo ao retoque do tectos armoriados o pintor Max Romer; 1964, 9 Set. - inauguração do busto do naturalista Adolfo César de Noronha, da autoria de mestre Anjos Teixeira ( 1963 ).

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Cantaria mole e rígida regional aparente, alvenaria de cantaria regional rebocada, madeira ( carvalho e outras ), ferro fundido, azulejo, vidro, estuque, amarrações mistas, telha de meio canudo e calhau rolado miúdo.

Bibliografia

NORONHA, Henrique Henriques de, Nobiliário da Ilha da Madeira...1700, São Paulo, 1947; SILVA, Padre Fernando Augusto da, Elucidário Madeirense, 3 vols., Funchal, 1945; LUCENA, Vasco de, Portas Armoriadas, in DADHM, nº 4, Funchal, 1950; TRUEVA, José Manuel de Sainz, Heráldica madeirense, Atlântico, nº 11, Outono de 1987; idem, Tectos armoriados, Islenha, nº 1, Jun. - Dez. 1987; CARITA, Rui, História da Madeira, 3º, 4º e 5º vols., Funchal, 1992 a 1999; CARITA, Rui e TRUEVA, José Manuel de Sainz, Itinerário Cultural do Funchal, Funchal, 1997; VERÍSSIMO, Nelson e TRUEVA, José Manuel de Sainz, Inventário de Escultura da Região Autónoma da Madeira, Funchal, 1998; ROCHA, Luís, Arquivo Regional, provisório desde 1931. Memória do passado à espera do futuro, revista Diário de Notícias, 13 a 19 Jun. 1999.

Documentação Gráfica

Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro ( planta do Funchal de Mateus Fernandes, 1567 ); BPM Porto ( planta de Agostinho José Marques Rosa, 1800 ); Mapoteca do IGC ( planta do Funchal de Reinaldo Oudinot, 1804 ), Lisboa; GR / Equipamento Social; DRAC, Funchal

Documentação Fotográfica

Museu Vicentes Photographos; antiga Junta Geral; DRAC, Funchal

Documentação Administrativa

ARM; CMF; Juízo dos Resíduos; Capelas; antiga Junta Geral; DRAC, Funchal

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Rui Carita 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login