Igreja Paroquial de Tresminas / Igreja de São Miguel de Tresminas

IPA.00006831
Portugal, Vila Real, Vila Pouca de Aguiar, Tresminas
 
Arquitectura religiosa, românica e barroca. Igreja românica de planta longitudinal e nave única, totalmente coberta com tectos de madeira, fachadas de silharia com cachorrada ornamentada, sendo a principal de empena truncada por dupla sineira e com portal de arco quebrado com duas arquivoltas molduradas. No interior, retábulo-mor barroco, de estilo joanino. Igreja românica de grande simplicidade, reutilizando na sua estrutura elementos de mós de mineração de época romana; conserva no seu frontispício a marcação vertical provocada pela corda de tocar os sinos da empena. O arco triunfal, com a arquivolta exterior bosantada, possui pelo lado interior consolas de apoio do eixo de portadas que devem ter fechado o espaço da capela-mor. Destaca-se ainda o arcossólio armoriado medieval na capela-mor e as pinturas talvez do séc. 17 / 18 conservadas parcialmente sob camadas de cal na parede posterior, atrás do retábulo de talha.
Número IPA Antigo: PT011713120030
 
Registo visualizado 305 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave e capela-mor rectangulares, com sacristia adossada a S. Disposição horizontal das massas formando 3 volumes com coberturas diferenciadas em telhados de 2 e 1 águas. Fachada principal de silharia, orientada a O., com remate em empena truncada por sineira de 2 vãos em arco pleno, encimada por empena coroada por cruz latina. Embasamento saliente e portal de arco quebrado com duas arquivoltas molduradas assentes em impostas molduradas. Fachadas laterais de silharia de granito e remate em cornija moldurada assente em cachorrada ornamentada com motivos antropomórficos, zoomórficos e geométricos. A S. abre-se, na nave, uma porta de arco quebrado com chanfro, assente em impostas molduradas, e uma janela de vão em arco abatido; na capela-mor rasgam-se duas janelas de vão rectangular em rampa. Sacristia em cimento encarapinhado com juntas simulando silharia, tendo a O. porta rectangular e a S. e E. pequenos óculos de vão rectangular. Fachada posterior em silharia, com fresta rústica e remate em empena coroada por cruz de Malta. A fachada N. possui na capela-mor fresta estreita, e na nave porta de vão rectangular elevada, de acesso ao coro-alto através de escada de um lanço adossada lateralmente à fachada. A partir deste patamar desenvolve-se uma escada com degraus embebidos, de acesso à sineira. No INTERIOR, pavimento lajeado, paredes brancas, as da nave com embasamento cinzento, remate em cornija moldurada e tecto curvo de madeira envernizada. Na nave, guarda-vento central de madeira envernizada. Do lado do Evangelho pia baptismal octogonal moldurada e púlpito com degraus embebidos, base circular moldurada e ornamentada, sobre mísula, e parapeito de granito ornamentado com volutas e cruz latina. Retábulos laterais singelos em talha branca e dourada, apresentando remate em frontão triangular e painel pictórico entre colunas. Arco triunfal com duas arquivoltas de arco quebrado, molduradas, sendo a exterior ornamentada com bosantes, assentes em impostas e pilastras molduradas. Sobre o arco triunfal abre-se uma fresta. A capela-mor tem do lado da Epístola um arcosólio em arco quebrado com tampa armoriada. Sobre um supedâneo de granito com acesso por degraus centrais, o retábulo de talha dourada apresenta estrutura tripartida separada por colunas torsas. Sacristia de soalho, paredes brancas rebocadas e tecto plano de madeira envernizada, integrando-se na parede S. um lavabo com pia circular moldurada.

Acessos

Rua da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural. Zona de montanha da Serra da Padrela, situando-se a igreja encaixada a meia-encosta, sobranceira ao aglomerado, isolada no centro de um adro de planta rectangular e pavimento térreo, definido por um muro de alvenaria que suporta os terrenos mais elevado a E. e N., e forma plataforma a S. e O. Do lado N. encontra-se um nicho rectangular integrado no muro albergando um sarcófago antropomórfico com tampa.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Vila Real)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 14 (conjectural) / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 14 - provável construção da igreja; séc. 16 - provável construção do púlpito; 1520 - 1540 - data de execução das pinturas murais; 1718 - construção do retábulo de talha do altar-mor; 1908 - provável construção do coro-alto ou do seu acesso exterior (data inscrita sobre a porta); 1981 - remoção do coro-alto após a sua derrocada.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura, pavimentos e púlpito de granito, tectos, guarda-vento, e pavimento da sacristia em madeira, cobertura de telha de aba e canudo.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de (coord.), Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976, p. 562; BARROCA, Mário Jorge, MORAIS, António J. Cardoso, A Terra e o castelo. Uma experiência arqueológica em Aguiar da Pena, Revista Portugalia, Nova série, 6 - 7, 1985 - 6, p. 49; GRAF, Gerhard N. (coord.), Portugal Roman, 2, St. Léger Vauban, 1987, p. 439.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Comissão Fabriqueira: c. 1989 - reparação do telhado.

Observações

O nicho rectangular integrado no muro do adro, albergando um sarcófago antropomórfico com tampa, foi construído na sequência de uma derrocada do referido muro, cerca de 1976. Na parede testeira, atrás do retábulo de talha, conservam-se sob várias camadas de cal pinturas de tonalidade cinzenta e ocre, sendo perceptível a representação de um vaso ornamental.

Autor e Data

Ricardo Teixeira 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login