Igreja Paroquial de Várzea de São Salvador / Igreja de São Roque

IPA.00006656
Portugal, Aveiro, Arouca, Várzea
 
Arquitectura religiosa, gótica e barroca. Igreja paroquial de origem gótica com planta longitudinal de nave única e capela-mor ampliada no comprimento pela reforma barroca que lhe acrescentou a sacristia do lado esquerdo e torre sineira quadrada adossada junto da frontaria construída em época recente. Vãos de arco quebrado, cachorrada constituída por modilhões simples; arco triunfal quebrado com impostas; frontaria de vãos rectangulares simples com portal chanfrado sobreposto por janela do coro; na capela-mor, cunhais com pilastras e pináculos, janela rectangular de esbarro e empena de cimalha recortada lateralmente; coberturas internas de madeira. Tem paralelos regionais próximos nas igrejas paroquiais do Burgo, Santa Eulália e Alvarenga.
Número IPA Antigo: PT010104200026
 
Registo visualizado 157 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta por nave única, capela-mor e sacristia adossada do lado esquerdo, a N., volumetricamente distintos, com cobertura em telhado de 2 águas indiferenciada sobre a capela-mor e a sacristia e diferenciada na nave, aos quais se une, à direita, a S., adossada à frontaria, torre sineira quadrangular com cobertura em coruchéu piramidal. Fachada principal com portal único de vão rectangular com chanfros e encimado, mas desalinhado, por janela do coro rectangular com cornija pouco saliente; pingadoiro sobre a verga da janela, breve cornija na empena e cruz no vértice; ao lado da porta, vestígios de pequena inscrição ilegível. Torre sineira de dois registos separados por simples faixa de cantaria, saliente sendo o inferior cego; no registo superior, um único vão de arco redondo em cada face; cornija sobre cachorrada, pináculos piramidais nos ângulos e coruchéu piramidal coroado por cruz. Fachadas laterais com portas travessas na nave, formadas de dois arcos quebrados reentrantes, e com o vão obturado por tímpano, colocadas sobre diferentes eixos transversais e de dimensões diferenciadas, menor e a um terço da capela-mor a N., maior e quase a meio a S.; a porta do lado esquerdo tem actualmente a soleira colocada duas fiadas acima do nível exterior e está fechada por cantarias; a cimalha na nave é formada por pedras de cornija biseladas em cavado sobre cachorros tendo na capela-mor e sacristia apenas cornijas simples; apenas as paredes exteriores da capela-mor e da sacristia são rebocadas, tendo pilastras só nos ângulos, coroadas por pináculos. A fachada lateral esquerda tem corpo da torre seguido de escada de pedra colocada longitudinalmente, cordão lacrimal acima da linha média e duas estreitas frestas sobre aquele; na capela-mor, porta rectangular simples marcada por cantarias e janela rectangular de esbarro. Na fachada lateral esquerda, uma única estreita fresta na nave; a fachada posterior mostra janela rectangular simples na sacristia, empena de cimalha recortada lateralmente na capela-mor e pequeno óculo circular e cruz sobre o vértice na empena da nave. Interior com coro-alto de cimento e balaustrada de madeira; púlpito do lado esquerdo com bacia de pedra apoiada em mísula com voluta e balaustrada de madeira; lambril de azulejos de tapete industriais; pavimento de mosaico industrial. Arco triunfal quebrado de arestas vivas só com impostas e mostrando pequeno rebaixe na superfície geral; pavimento lajeado, plataforma do altar-mor de pedra com escada encaixada ao meio. Retábulo principal de madeira pintada a branco, ouro e azul. Coberturas internas na nave e na capela-mor com caixotões de madeira.

Acessos

EN 224 (Arouca - Vale de Cambra), km 34.5, EM para o Lugar da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolado. Implanta-se em encosta de pendor suave. A N., O. e a E. confronta com caminhos municipais e a S. com cemitério paroquial, casa da paróquia em construção e casa da Junta de freguesia. Envolta em adro murado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Porto)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 12 - no local funciona um Mosteiro da Ordem dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho; 1224 - já era igreja secular; séc. 15 - fábrica a que pertencem as paredes laterais; séc. 16, 1ª metade - fábrica a que pertence a frontaria; 1705 - era comenda da Ordem de Cristo tendo sido avaliada em 180 000 réis; 1729 - data gravada numa janela da capela-mor datando a respectiva fábrica; 1732 - data gravada na bacia do púlpito; 1737 - data gravada na porta da sacristia indiciando a sua construção; 1755 - danificada pelo terramoto; 1788 - segundo o Inquérito Paroquial as paredes da igreja estavam em bom estado mas eram antigas, necessitando de reforma nas coberturas externas e internas e nos retábulos; 1853 - data do retábulo principal; 1908 - data gravada num armário da sacristia indicando a data provável dos desaterros realizados no exterior N. e da construção da actual sacristia.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Granito (cantarias), telha marselha, madeira (portas, caixilhos, retábulos), azulejos (lambril na nave e capela-mor), mosaico cerâmico (pavimento interior).

Bibliografia

BRANDÃO, D. de P. e OLÍMPIA, M. da C. L., Arouca - Notas Monográficas 1, Arouca, 1991, pp. 173 - 180; GONÇALVES, A. N., Inventário Artístico de Portugal - XI, Distrito de Aveiro, Zona de Nordeste, Lisboa, 1991, pp. 105 - 107; SIMÕES JÚNIOR, M. R., Arouca (subsídios para a sua monografia) in PEREIRA, V., Cancioneiro de Arouca, Porto, 1959, pp. 90 - 91.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1936 - douramento do retábulo-mor; 1949 - construção da torre sineira; 1954 - douramento do retábulo-mor; 1969 - construção da cobertura interna em madeira e do coro alto, colocação do lambril de azulejos e das portas; 1972 - douramento do retábulo-mor; 1979 - pavimento de mosaico no interior; 1997 - arranjo do adro.

Observações

Autor e Data

Paulo Dordio 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login