Igreja Paroquial de Pedrógão Pequeno / Igreja de São João Baptista

IPA.00006522
Portugal, Castelo Branco, Sertã, Pedrógão Pequeno
 
Igreja paroquial quinhentista, com decoração barroca, de planta composta por dois rectângulos justapostos, compondo três naves separadas por quatro arcos formeiros de volta inteira assentes em colunas toscanas e capela-mor. Tem duas sacristias de planta rectangular adossadas à capela-mor, duas capelas laterais e torre sineira de planta quadrada. Fachada principal tardo-barrroca com vãos em arco abatido. Torre com coroamento piramidal bojudo. Cobertura em madeira com caixotões, em masseira na nave central e a uma asna nas colaterais. Capela-mor coberta por abóbada de berço com caixotões. Retábulos em talha dourada dos estilo barroco nacional e barroco joanino. Capela baptismal com figuração escultórica do Baptismo na pedra de fecho do arco; pia baptismal em forma de cálice com a superfície decorada por estrias espiraladas. Integra cadeiral na capela-mor. Lavabo e depósito de água em cantaria ornamentada, integrados na sacristia.
Número IPA Antigo: PT020509110007
 
Registo visualizado 345 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por dois rectângulos justapostos, correspondentes às três naves e capela-mor, com duas sacristias de planta rectangular adossadas à capela-mor, duas capelas laterais de planta rectangular adossadas às naves laterais e torre sineira de planta quadrada adossada à fachada. Volumes articulados. Disposição horizontalista das massas com coberturas diferenciadas a duas águas e a quatro águas na Capela de Nossa Senhora de Fátima. Fachada principal voltada a O., com três registos e pano único delimitado por pilastras toscanas rematadas por pinhas. No primeiro registo, portal em arco abatido com friso saliente ladeado por pinhas e com a data de 1779 gravada. No segundo registo, nicho rematado por concha e com imagem de São João Baptista em mármore;, ladeado por duas janelas de arco abatido. No terceiro registo, janela em arco abatido central. Remate em empena com cornija. Torre sineira com o alçado um pouco recuado relativamente ao da igreja, rasgado por duas frestas rectas e óculo circular, sobrepostos no primeiro registo. Superiormente, abertura sineira em arco pleno, tendo coroamento piramidal com revestimento azulejar azul e branco. Alçado N. com dois registos, o primeiro rasgado por porta de lintel recto e moldura chanfrada, na zona da nave, porta de lintel recto e moldura simples na sacristia e contraforte na zona da capela-mor, adossado ao corpo da sacristia. No segundo registo, janela de lintel recto. Remate em cornija. Alçado S. dividido em dois registos, o primeiro com porta de lintel recto e moldura chanfrada na zona da nave, porta em arco abatido na sacristia e contraforte na capela-mor. No segundo registo, fresta e janela de lintel recto na zona da sacristia e fresta com capialço e janela quadrangular na zona da capela-mor Alçado E. com janela quadrangular. Remate em empena. INTERIOR de três naves separadas por quatro arcos torais de volta inteira, assentes em colunas toscanas, sendo a nave central mais elevada do que as laterais. Coro-alto em madeira assente sobre dois pilares em cantaria. Capela baptismal inserida no primeiro piso da torre sineira que avança sobre o primeiro tramo da nave lateral N., tendo acesso através de arco pleno com figuração escultórica do Baptismo na pedra de fecho. A pia baptismal é em forma de cálice com a superfície decorada por estrias espiraladas. Quatro altares laterais com retábulos em talha dourada. Púlpito adossado à coluna do quarto tramo N., em cantaria e com balcão cilíndrico apoiado em coluna. Pavimento em tijoleira cerâmica. Cobertura em madeira com caixotões lisos, em masseira na nave central e a uma asna nas laterais. A nave central apresenta cinco caixotões pintados com figuração de cenas da vida de São João Baptista. Arco triunfal de volta inteira com a data de 1587 gravada. Capela-mor com iluminação directa a S.. Retábulo em talha dourada e cadeiral. Pavimento lajeado e cobertura em abóbada de berço com caixotões revestidos a estuque, sendo o reticulado marcado por cantaria.

Acessos

Largo do Adro

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 45/93, DR n.º 280 de 30 novembro 1993

Enquadramento

Urbano, situa-se isolada em plataforma plana, sobranceira ao vale e à vila. Implanta-se em adro delimitado por murete, com acesso através de escadaria, integrando espaço arborizado e coreto. Proximidade de casa solarenga setecentista, actualmente sede da Junta de Freguesia.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Portalegre - Castelo Branco)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1551 - existência da Igreja dedicada a São João Baptista documentada pelos Registos da Confraria do Santíssimo Sacramento; pertencia à Ordem de Malta e era vigairaria apresentada pelo Grão-Prior do Crato; 1587 - hipotética conclusão da igreja ou da capela-mor ( data inscrita no arco triunfal ); 1618 - desenho da povoação, levantada por Pedro Nunes Tinoco e por encomenda do Prior do Crato, Frei Manuel Carneiro; 1779 - obras de reparação da igreja devido aos efeitos causados pelo terramoto de 1755 ( data inscrita na porta principal ); 1758 - tinha os altares do Espírito Santo, São Vicente Ferrer, Nossa Senhora do Rosário e das Almas; séc. 20 - esporádicas intervenções de conservação.

Dados Técnicos

Estrutura mista.

Materiais

Granito; calcário; mármore; cantaria e alvenaria; aparelho isódomo; revestimento inexistente e reboco; madeira; telha marselha e de aba e canudo.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, dir., Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; COSTA, António Carvalho da, Corographia Portugueza, Lisboa, 1706 / 1712; FARINHA, António Lourenço, A Sertã e o seu Concelho, Lisboa, 1930; LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1873; Monumentos, n.º 5, Lisboa, DGEMN, 1996; SALVADO, António, Elementos para um Inventário Artístico do Distrito de Castelo Branco, Castelo Branco, 1976; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73757 [consultado em 14 outubro 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DSARH

Intervenção Realizada

1946 - douramento dos retábulos por Pedro de Oliveira, residente na Sertã; 1950 - colocação de tela no retábulo do altar-mor escondendo o trono, encomendada pelo Pe. Serafim Serra; Comissão Fabriqueira: 1985 - obras na cobertura da capela-mor, sacristia e dependências anexas; Câmara Minicipal da Sertã: 1988, c. - drenagem do pavimento exterior, construção de muro de suporte das fundações em betão; DGEMN e Comissão Fabriqueira: 1989 - obras de beneficiação, procedendo-se ao levantamento e execução parcial do pavimento em tijoleira cerâmica; remodelação da cobertura; colocação de placa em betão na capela-mor e sacristia; 1994 / 1995 - recuperação das coberturas; 1996 - tratamento do reboco exterior e caiação; 2000 - inicio da recuperação interior, com reparação de tectos da nave e rebocos interiores, do pavimento da capela e instalação eléctrica.

Observações

Autor e Data

Margarida Conceição 1994

Actualização

Lúcia Pessoa 2001
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login