Igreja Paroquial da Romeira / Igreja de São Brás

IPA.00006421
Portugal, Santarém, Santarém, União das freguesias de Romeira e Várzea
 
Arquitectura religiosa, maneirista e chã. Igreja paroquial rural, com galilé antecedendo o portal, torre sineira adossada à fachada principal, nave e capela-mor abobadadas. Espacialidade da nave unificada, adequada às determinações da igreja postridentina. A austeridade dos volumes e das fachadas características da arquitectura chã, contrastando com o ritmo, o brilho e a cor conferidos pelo revestimento integral de azulejos e pelos retábulos em talha dourada. A abóbada da capela-mor pintada com os motivos de um dos padrões dos azulejos da nave, enquadrando a representação do padroeiro;
Número IPA Antigo: PT031416180048
 
Registo visualizado 202 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta. Volumes articulados com cobertura homogénea em telhado de 2 águas. Fachada principal virada a E., rematada por empena angular, com galilé cobrindo o portal de verga recta, assente em colunas apoiadas em murete; janela rectangular no eixo do portal; no pavimento da galilé lápide assinalando o túmulo de Pedro Moniz de Albuquerque, falecido em 1845, comendador da Ordem de Cristo. Torre sineira adossada a S., rasgada por ventanas de arco redondo, com pináculos nos vértices e coroamento em coruchéu; na fachada lateral S. portal de verga recta e janela de vão rectangular. Interior: nave única coberta por abóbada de berço pintada com emblemas e temas da vida do orago, que se prolongam às lunetas das 2 extremidades da nave; coro-alto com guarda em balaústres de cantaria; púlpito adossado à parede N., com caixa quadrada e guardas constituídas por colunas jónicas de fustes canelados; na mesma parede rasga-se nicho que guarda a pia baptismal com a inscrição "esta pia foi aqui posta no anno de 1553, por Jorge Pires, Mordomo da Mesa". Paredes laterais da nave e do subcoro integralmente revestidas de azulejos polícromos seiscentistas de vários padrões (P-101, 205, B -20); arco triunfal de volta redonda sobre pilastras toscanas, 2 altares colaterais com retábulos em talha dourada de estilo nacional. Capela-mor coberta por abóbada de berço redondo pintada com os motivos de um dos padrões dos azulejos da nave, enquadrando a representação do padroeiro; paredes revestidas até à sanca com silhares de albarradas e azulejos de figura avulsa setecentistas; retábulo do altar-mor, em estilo nacional, com tribuna coberta por caixotões e anjos esvoaçantes segurando uma coroa; a imagem de São Brás figura sobre o altar.

Acessos

Casais de São Brás - pela EN 362, na direcção Santarém - Porto de Mós, desvio à direita na povoação de Romeira

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolado. Implanta-se no topo de uma colina, com estrada íngreme de acesso; rodeada por amplo adro empedrado, com muro envolvente e vários acessos. Embebida no muro envolvente uma estela funerária com dupla cruz latina e a cruz da Ordem do Templo.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Santarém)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1553 - data provável de construção do templo, por Jorge Pires; 1673 - colocação do púlpito, provavelmente na mesma altura em que a nave é forrada de azulejos; 1697 - data epigrafada no portal, assinalando certamente uma campanha de obras; séc. 18, inícios - revestimento azulejar da capela-mor; construção dos retábulos; 1755, 01 Novembro - o terramoto causa a queda de parte da torre sineira; 1758 - reconstrução do edifício; 2002, 14 fevereiro - Despacho de abertura do processo de classificação; 2006, 12 maio - Despacho de encerramento do processo de classificação.

Dados Técnicos

Estruturas mistas

Materiais

Estrutura em alvenaria de pedra, rebocada e caiada, telha cerâmica, cantaria em molduras, colunas e pilastras, pavimento em tijoleira, caixilharia e portas em madeira.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1967; BRAZ, José Campos, Santarém raízes e memórias - páginas da minha agenda, Santarém, Santa Casa da Misericórdia de Santarém, 2000; CÂNCIO, Francisco, Ribatejo Histórico e Monumental, vol. 1, s.l., 1939; MENDES, Octávio da Silva Paes, Santarém Monumental. Roteiro, Santarém, 1988; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, vol. 5, Lisboa, 1949; SIMÕES, J.M. dos Santos, Azulejaria em Portugal no séc. XVII, vol. 2, Lisboa, 1971; SOUSA, Francisco Luís Pereira de, O terramoto do 1º de Novembro de 1755 em Portugal e um estudo demográfico, vol. 2, Lisboa, 1919.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

APRODER e JFRomeira - recuperação da imaginária, arranjo exterior - acesso em calçada e estrada do perímetro de Casais de São Brás; 1997 - reconstrução da cobertura.

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login