Capela de São Paulo

IPA.00005954
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Funchal, Funchal (São Pedro)
 
Arquitectura religiosa, gótica e mudéjar. Pequena capela gótica, de planta longitudinal, frontispício em empena e com portal de arco quebrado, integrada em conjunto residencial, com amplo adro murado, mantendo ainda elementos da construção dos finais do Séc. 15 e inícios do 16.
Número IPA Antigo: PT062203080011
 
Registo visualizado 490 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal, composta de nave e capela-mor, à qual se encosta para N. uma pequena sacristia, para S. a residência do capelão com fachada para a R. da Carreira e Lg. de S. Paulo, e para E. o antigo hospital, com fachada à R. das Cruzes. Volumes articulados com coberturas diferenciadas, de 4, 3 e 2 águas, com beirais duplos de telha de canudo portuguesa. Fachada principal orientada a O., com embasamento pintado a cinza, e terminada em empena, encimada por cruz; portal de arco quebrado e chanfrado, parte em cantaria e parte em alvenaria, com portadas de madeira, assente em 2 degraus de cantaria salientes. Para N. a fachada é cega, dando acesso por pequeno corredor à estreita porta da sacristia, com moldura de cantaria boleada e largo lintel. Interior com coro-alto, com balaustrada de madeira, tendo no sub-coro pia de água benta em mármore, em forma de cálice, esculpida, do lado da Epístola e confessionário do lado do Evangelho; a nave possui soalho de madeira e tecto em abóbada de meia cana assente em cornija de estuque e amarrações com tirante de ferro; apresenta púlpito com escada de acesso e baldaquino, pintado em marmoreado e com pontuais apontamentos de talha; em frente do púlpito, porta de acesso à residência do capelão. Arco triunfal quebrado, chanfrado de ambos os lados e em cantaria colorida aparente, encimado por grande tela do "Anjo Peregrino" e com 2 altares laterais, idênticos, postos de ângulo, dedicados a São José e Santo António. A capela-mor apresenta altar assente em degrau elevado, com 3 degraus ao centro, retábulo ladeado por colunas de talha lavrada e dourada, com lintel decorado com querubins e encimado por frontão enquadrando tábua com pintura de "Deus Pai, criador do Mundo". O camarim é ocupado por conjunto de pilastras múltiplas em madeira com entablamento superior e sanefa, pintadas a ouro e marmoreado, enquadrando uma imagem de Nossa Senhora. O conjunto é ainda ladeado com nichos cobertos por baldaquinos pintados por decalque para as imagens de São Paulo e São Francisco. Tecto de alfarje assente em pendentes sobre o altar e faixa ao longo das paredes laterais decorada com falsas "pontas de diamante".

Acessos

Funchal (São Pedro), Largo de São Paulo e Rua da Carreira

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 37 077, DG, 1.ª série, n.º 228 de 29 setembro 1948

Enquadramento

Urbano, integrado num conjunto de edificações de que faz parte a residência do capelão e o antigo hospital, formando adro fechado. O muro que o fecha à R. da Carreira possui portal de acesso, com moldura de cantaria, filete saliente superior, cornija de balanço e frontão de duas aletas emoldurando 2 chaves, sob uma meia laranja descascada e sobre a qual se levanta uma cruz; ao nível do muro levanta-se a residência do capelão, com 2 pisos, 2 janelas por piso com molduras de cantaria e portadas de madeira, cegas de um lado e envidraçadas do outro.

Descrição Complementar

A residência do capelão articula-se com o antigo hospital através de forte cunhal de cantaria, no qual se insere para a R. das Cruzes a porta de acesso aos "fundos", conjunto encimado por 2 janelas com moldura de madeira e portadas de madeira fasquiadas pintadas de verde, sobre as quais se levanta estrutura de madeira com mais 2 janelas, do tipo "casinha de prazeres". O antigo hospital apresenta fachada de 2 pisos, com 2 janelas e 2 portas, com molduras de cantaria, uma das quais chanfrada, e 4 janelas no piso superior. Interiormente é de destacar a pia de mármore, com pé em coluna oitavada, nó central, capitel com decorações fitomórficas e cálice com animais fantásticos e carrancas. Ainda existe pia do lado da Epístola, entre o altar de Santo António a porta de acesso à residência, em cantaria regional, ovalada, com rebordo superior e bucete inferior alveolado, e junto à entrada para a sacristia, na capela-mor, mais pequena, com bordo elevado e decoração boleada múltipla. Os altares colaterais têm forma de tríptico, com o nicho central rematado por talha dourada, enquadrado por par de colunas em vulto e rematado por frontão curvo. Os "volantes" laterais têm pilastras, definindo nichos apontados por talha e todo o conjunto é rematado por frontão recto. Apresentam frontais pintados por decalque a imitar brocado. O altar-mor apresenta várias campanhas de obras, sendo reconhecível uma maneirista, de que restam 2 réguas de talha sob os nichos laterais, uma protobarroca, de que resta a estrutura principal, com 2 colunas com o terço inferior entalhado, nó central e terço superior estriado, entablamento com lintel entalhado encimado por frontão; uma rococó, com a montagem do camarim, 2 pilastras serpentinadas a enquadrarem o frontão e a pintura geral de marmoreados, assim como uma neoclássica tardia, com a montagem dos 2 nichos laterais e, ainda posteriormente, a montagem do frontal com emblemagem franciscana. A capela possui pequena sacristia, com acesso por porta de almofadas pintadas e douradas, arcaz tendo no alçado 2 painéis populares pintados sobre madeira, alusivos à vida de São Paulo e pia de parede, com nicho onde teria estado o reservatório do lavabo. A residência, hoje ocupada por franciscanos, possui ainda algumas imagens.

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Funchal)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15 / 16 / 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1421 / 1425 - data provável da instalação de João Gonçalves Zarco e família nos arrifes de S. Catarina; 1454, 14 Fevereiro - referência à confrontação entre o "arrife que se faz abaixo da igreja de S. Maria até S. Pedro e por cima dos arrifes que se fazem sobre a ribeira de S. Francisco"; 25 Março - idem, a S. Paulo; 25 Maio - escritura pública do 1º capitão donatário em que faz doação dos terrenos junto da capela, para edificação do primeiro hospital do Funchal; 1469 - construção do edifício, à "custa do povo"; 1471, 27 Julho - primeira referência camarária a S. Pedro, então limite da vila; 1495, 21 Setembro - ordem do ouvidor Fernão de Parada para se fazerem as pontes de cantaria e de pedra as calçadas; 1498, 23 Julho - pagamento ao pedreiro Luís Afonso para a primeira calçada, "a calçada ao rego de S. Pero"; 1520, cerca - oferta de um tríptico de S. Pedro, S. Paulo e S. André, atribuível a Joos Van Cleve; 1540, 28 Nov. - referência a "Pedro Rodrigues Fidalgo mordomo da Igreja de S. Pedro que hoje he a Igreja de S. Paulo aforou uma vinha por detrás da dita Igreja" (riscado: "qual foi Hospital") "por 400 rs."; séc. 16, meados - data provável da pia de água benta de mármore à entrada da capela; 1556, 20 Jul. - alvará régio para se instalar em Freguesia a ermida de S. Pedro do Funchal e o ordenado anual de 15$000, um moio de trigo e uma pipa de vinho a favor do 1º vigário, padre Gaspar Teixeira; 23 Julho - alvará do cardeal Infante do mesmo teor; 1 Agosto - ordem do então bispo D. Frei Jorge de Lemos, então em Lisboa, do mesmo teor; 1566, Outubro - ataque dos corsários franceses ao Funchal entrando pela ponte de S. Paulo; 1567 - planta com a localização da capela e das casas anexas; 1571, 6 Abril - carta de apresentação na igreja do padre Gaspar Teixeira; 1572, 20 Agosto - alvará de D. Sebastião de acrescentamento ao vigário, com a obrigação de ensinar doutrina aos fregueses; 1574, 12 Março - carta régia de D. Sebastião da mercê anual de 4$000 para a fábrica da colegiada de S. Pedro; 1579, 3 Março - alvará para se extinguir a Freguesia de S. Pedro e criar duas igrejas paroquiais no seu termo, uma em S. Roque e outra em S. Martinho; 1587, 24 Outubro - alvará de Filipe II de confirmação do ordenado do vigário; 1588, 18 Agosto - alvará para se criarem três benefícios na igreja paroquial de S. Pedro; 6 Nov. - carta de apresentação de vigário na igreja do padre José Gonçalves; 1605, 26 Junho - referência a S. Pedro "o Velho"; séc. 17, inícios - pintura da tábua de Deus Pai, hoje no retábulo-mor; meados - reconstrução do retábulo-mor; 1790, cerca - obras, com construção de um camarim no altar-mor, pinturas várias e levantamento dos 2 altares colaterais; Séc. 19, inícios - montagem do púlpito; meados - construção do confessionário; 1871 - obras na capela; 1920 / 1940 - construção da residência do capelão; 1940, 26 setembro - publicação de Decreto nº 30 762, no DG, 1.ª série, n.º 225, determinando a classificação da Capela de São Paulo como Imóvel de Interesse Público; 01 novembro - publicação do Decreto nº 30 838, DG, 1.ª série, n.º 254, suspendendo o decreto n.º 30 762, de 26 de setembro do mesmo ano, relativamente à classificação de imóveis de propriedade particular; 1996 - demolição parcial do antigo hospital devido à "Cota 40".

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Cantaria mole e rígida regional aparente, alvenaria de cantaria regional rebocada, mármore, madeira (carvalho e outras), amarrações mistas de tirantes de madeira e de ferro, talha dourada e pintada, pintura sobre madeira e tela, vidro e telha de meio canudo.

Bibliografia

CANNE, Ellen e Florence du, The Flowers and Gardens of Madeira, Londres, 1904 e 1909; CARITA, Rui, A capela de São Paulo, Jornal da Madeira, Abr. a Out. 1985; idem, História da Madeira, vol. 1, Funchal, 1989; CORDEIRO, padre António, História Insulana..., Lisboa, 1717, Ponta Delgada, 1981; COSTA, José Pereira da, Vereações da Câmara do Funchal, século XV, Funchal, 1995, pp. 20, 208, 210 e 461; idem, Notas sobre o Hospital e a Misericórdia do Funchal, Arquivo Histórico da Madeira, vol. 14, Funchal, 1964 - 1966, pp. 168 a 171; FLORENÇA, Teresa, Um espaço onde surgiu o 1º hospital; Cota 40 destrói imóvel histórico, Diário de Notícias, 4 Abr. 1996; FRUTUOSO, Gaspar, Saudades da Terra, Livro II, anotado por Álvaro Rodrigues de Azevedo, Funchal, 1873; HENRIQUES, J. M. Passos, Ermidas e Oragos, DADHM, nº 27 Funchal, 1957 pp. 10 e 11; LEITE, Jerónimo Dias, Descobrimento da Ilha da Madeira..., Coimbra, 1947; MARQUES, João Martins da Silva, Descobrimentos Portugueses, Lisboa, 1944, p. 514, nº 403; MARTINS, Rosário, E tudo a Cota 40 levou ?; Património das Cruzes abandonado às ruínas, Diário de Notícias, 21 Jun. 1998; NORONHA, Henrique Henriques de, Genealogia... Ilha da Madeira, ano de 1700, São Paulo, Brasil, 1948; IDEM, Memórias Seculares e Eclesiásticas...1722, Funchal, 1997; PEREIRA, Fernando António Baptista, Museu de Arte Sacra do Funchal, Arte Flamenga, Lisboa, 1997; SILVA, Padre Fernando Augusto da, Moradias de Zarco, V Centenário do Descobrimento da Madeira, Dez. 1922; IDEM, Das Artes e da História da Madeira, nº 34, 1964, pp. 29 e 30; Elucidário Madeirense, 3 vols., Funchal, 1945; SOUSA, João José de, A Freguesia de São Pedro do Funchal, Diário de Notícias, 2 Fev., 2 Mar. e 6 Abr. 1986; IDEM, As propriedades de Zarco no Funchal, Islenha nº 3, Funchal, 1988, pp. 35 a 45; TOMÁS, Manuel, Insulana, Anvers, 1632.

Documentação Gráfica

Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro (planta do Funchal de Mateus Fernandes, 1567); mapoteca do IGC (planta do Funchal de Reinaldo Oudinot, 1804), Lisboa; gravuras e litografias de viagem várias (Casa-Museu Dr. Frederico de Freitas, Museu da Quinta das Cruzes e col. particulares); GEAEM (Arma de Engenharia), Lisboa; GR / Equipamento Social e DRAC, Funchal; IHRU: DGEMN/ DSID

Documentação Fotográfica

Museu Vicentes Photographos, antiga Junta Geral e DRAC, Funchal; IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

AN/TT, Convento de Santa Clara; BNLisboa, Resíduos e Capelas da Madeira, ARM, CMF e Juízo dos Resíduos e Capelas, Funchal; IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

JG do Funchal: 1920 / 1940 - recuperação geral e construção da residência do capelão.

Observações

Em 1989 foi feito levantamento sumário dos bens, entregues na Diocese e na Paróquia de São Pedro.

Autor e Data

Rui Carita 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login