Núcleo urbano da vila de Folgosinho / Outeiro

IPA.00005932
Portugal, Guarda, Gouveia, Folgosinho
 
Núcleo urbano sede de freguesia. Povoação situada em encosta..Elementos de estruturação urbanística do bairro do Outeiro: malha viária regular constituída por conjunto de vias de orientação E. / O., conjugadas com transversais de menor dimensão; eixos viários principais: vias de orientação E. / O., R. do Bairro do Outeiro de orientação N. S.; eixos viários secundários: rede de travessas de orientação N. / S.; quarteirões regulares. Tipologia dominante do espaço construído: casa de arquitectura popular; alvenaria de granito sem revestimento; dois pisos; diferenciação loja - habitação; cobertura a duas águas com telha de canudo. Sede concelhia medieval. Regularidade da malha urbana do bairro do Outeiro, pouco comum em aglomerados rurais e num terreno acidentado e de forte pendente; recurso às escadinhas nas vias de menor circulação; conjunto pouco individualizado e consideravelmente descaracterizado. Castelo revivalista contemporâneo.
Número IPA Antigo: PT020906050008
 
Registo visualizado 291 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoação  Vila medieval    

Descrição

Local ou bairro do Outeiro: estrutura urbanística: - definição de limites: conjunto homogéneo, com limites pouco precisos; podem-se referenciar as seguintes vias como possíveis linhas demarcadoras: R. do Outeiro e Lg. dos Irmãos Tadeu (orientação N. / S.), R. das Escolas (orientação E. / O.), Escola Primária a O. e zona planáltica a S., o topo do Outeiro, onde se localiza o campo de futebol e o parque de merendas. - Distinguem-se dois tipos de malha, que não reflectem núcleos diferenciáveis: 1. malha relativamente regular na zona S. e mais alta, delimitada pelo topo do Outeiro, área não construída; definida por rede de vias paralelas à R. das Escolas (orientação E. / O. e que tomam a designação de "Bairro do Outeiro, Rua 1, 2...."), relativamente largas e que permitem o acesso às construções; quarteirões regulares; rede complementar de pequenas transversais (orientação N. / S. e que tomam a designação de "Bairro do Outeiro, Travessa 1, 2....") e que devido à forte pendente topográfica se transformam por vezes em escadinhas; principal via de atravessamento do conjunto: R. do Bairro do Outeiro, que corta a malha no sentido N. / S.; malha estruturada a partir das plataformas das curvas de nível, estabelecendo espécie de patamares cortados pelas transversais, num esboço de esquema rádio-concêntrico; 2. malha irregular na zona mais baixa, a O. e paralelamente à R. do Outeiro e a S. da R. das Escolas, na confluência com a malha consolidada e tradicional do aglomerado; quarteirões de configuração irregular estruturados por vias transversais à R. Escolas e de orientação N. / S., estabelecendo alguma continuidade com as travessas da zona mais regular. - Eixos viários estruturadores: R. do Bairro do Outeiro que atravessa o conjunto, R. do Outeiro e R. das Escolas como vias limite, e num plano secundário, as vias de orientação E. W..- Diferenciação entre espaço público e privado não marcada; ausência de logradouro, sobretudo na zona mais regular. - Pavimentação das vias: paralelos de granito.

Acessos

EN17, EN338-1, EM555-2, Rua do Outeiro

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1ª série, n.º 231, de 11outubro 1933 (Local conhecido por Outeiro)

Enquadramento

Urbano. Paisagem natural da Serra da Estrela e contexto urbano do aglomerado; situa-se na zona mais alta da encosta sobranceira ao cabeço do Castelo (v. PT020906050005); conjunto menos descaracterizado que o centro da povoação; apresenta limites urbanísticos e morfológicos indefinidos.

Descrição Complementar

Elementos de caracterização da imagem urbana: - Sítio: adaptação a uma topografia irregular e de forte pendente, através do recurso às escadinhas e da estruturação de vias seguindo os patamares das curvas de nível. - Noção de distância: local sobranceiro ao vale do Mondego. - Perfil: compactidade do casario; originalidade do conjunto de empenas angulares. - Volumes: não existem volumes destacados. - Direccionalidade: R. do Outeiro, R. do Bairro do Outeiro, travessas com percurso ascensional. - Articulações: escadinhas. - Limites: vias que circundam o conjunto,zona planáltica sem construções a S.. - Cores e texturas dominantes: granito, telha de canudo, marselha e betão; branco, verde, laranja, castanho, azul (cores de introdução recente).

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Não aplicável

Afectação

Não aplicável

Época Construção

Séc. 13 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

1183 - hipotética edificação do castelo, talvez construído sobre ruínas de castro lusitano, por D. Sancho I (J. Almeida), do qual subsistiriam alguns vestígios no início do séc. 20; 1187 - concessão de foral por D. Sancho I; 1217 - confirmação do foral por D. Afonso II; 1350 - concessão de foral por D. Dinis; séc. 15 - pertencia à família Sousa; 1512 - concessão de foral por D. Manuel I; 1937 - construção de pequeno parque de merendas com duas mesas em cantaria no topo do Bairro do Outeiro, numa zona planáltica e sem construções, por iniciativa da Junta de Freguesia de Folgosinho; 1938-1939 - construção do castelo por iniciativa da Junta de Freguesia de Folgosinho.

Dados Técnicos

Não aplicável

Materiais

Não aplicável

Bibliografia

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

No âmbito do GTL de Gouveia, está prevista a elaboração de um Plano de Salvaguarda.

Autor e Data

Margarida Conceição 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login