Casa do Ermo / Hotel Rural da Quinta de Santo António

IPA.00000562
Portugal, Braga, Fafe, Passos
 
Casa unifamiliar seiscentista.
Número IPA Antigo: PT010307190007
 
Registo visualizado 151 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa    

Descrição

Casa de planta em "U", constituída por dois pisos, volume homogéneo, bastante degradada e devoluta. O piso térreo tinha dependências ligadas à produção agrícola e o andar destinava-se à habitação. O acesso à casa faz-se através de ampla escadaria, de dois lanços de "tiro" e grande desenvolvimento, localizada a eixo da fachada principal. Esta escada conduz à única porta existente neste alçado ao nivel do andar.É ladeada por 4 janelas de cada um dos lados. Sobre a escada, um vão e porta por onde se faz o acesso directo ao pátio no interior. Este pátio, bastante interessante, tem uma marquise, com janelas de guilhotina, ao nivel do andar e colunata no piso térreo, sendo de destacar a grande dimensão das peças de granito que integram a sua estrutura. Num dos lados, uma escada coberta por um alpendre de madeira, permitia o acesso directo desta marquise e do corpo da cozinha ao pátio, que é murado, ligando assim as duas extremidades do "U". No enfiamento desta escada, em posição lateral relativamente ao pátio, um vão de porta rematado por uma cruz e dois pináculos, pelo qual se tem acesso á propriedade agrícola. No alinhamento da fachada principal e encostado à fachada lateral foi construido um sequeiro

Acessos

Rua do Pombal

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto nº 45/93, DR, 1ª Série-B, nº 280, de 30 de novembro de 1993

Enquadramento

Rural, isolado, à margem de caminho municipal, no centro da povoação

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Comercial e turística: casa de turismo rural

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 17 - data provável de construção; 1695 - o padre João Cardoso manda construir fontanário; séc. 19, segunda metade - Camilo Castelo Branco aloja-se na casa.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Paredes exteriores em alvenaria de granito, pavimentos do andar em soalho de madeira e cobertura em estrutura de madeira revestida a telha.

Bibliografia

Camilo e Vieira de Castro enriquecem a história da Casa do Ermo, in Diário do Minho, 13 Julho 2006, p. 26; http://www.igespar.pt/pt/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimovel/detail/71003/, 30 Abril 2012.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Séc. 20 - obras de adaptação a turismo rural.

Observações

A casa do Ermo ficou célebre pela presença assídua de Camilo Castelo Branco, que chegou mesmo a referir-se ao imóvel na sua obra "Memórias do Cárcere". José Cardoso Vieira de Castro conheceu o escritor de quem se tornou amigo. Este refugiou-se, já em 1860, na casa do Ermo, em consequência da sua ligação a Ana Plácido. José Cardoso Vieira de Castro tornou-se, então, personagem dos seus livros, a ele se referindo, por exemplo, ao relatar a sua chegada à casa do Ermo: "Fui de Santo António das Taipas para as cercanias de Fafe, quinta do Ermo, onde me esperava com os braços abertos e o coração no sorriso, José Cardoso Vieira de Castro, Falseei a verdade. Vieira de Castro esperava-me a dormir, naquela madrugada dele, que era meio-dia no meu relógio." (Memórias do Cárcere).

Autor e Data

Isabel Sereno / João Santos 1994

Actualização

Sónia Basto 2012
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login