Convento e Igreja de São João de Deus de Montemor-o-Novo

IPA.00005509
Portugal, Évora, Montemor-o-Novo, União das freguesias de Nossa Senhora da Vila, Nossa Senhora do Bispo e Silveiras
 
Arquitectura religiosa gótica, barroca e rococó. Vestígios das construções góticas conventuais na cripta. Igreja salão, barroca e rococó, obedecendo aos padrões da arquitectura chã alentejana do séc. 17 / 18, com uma articulação entre os elementos que tem como referente o modelo da Igreja do Espírito Santo em Évora (v. PT040705120023). Cripta de planta rectangular, coberta por abóbada de berço em arco abatido, com acesso através da sacristia. Fachada principal de duas empenas sobrepostas. Pinturas murais no interior.
Número IPA Antigo: PT040706030010
 
Registo visualizado 328 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta - Hospitalários

Descrição

Planta longitudinal, composta por nave única, duas torres sineiras, transepto inscrito, capela-mor, ábside e sacristia adossada à direita; massas dispostas na horizontal com cobertura diferenciada em telhado de 2 águas na nave, em coruchéus piramidais nas torres e em cobertura piramidal, revestida a azulejo, ao nível do cruzeiro. Fachada principal dividida em 3 panos demarcados por pilastras em cantaria. Ao centro, porta de vão rectangular encimado por frontão triangular interrompido com volutas e ladeado por pináculos piramidais encastrados na parede; no enfiamento, janela de coro gradeada, de verga recta e arco abatido, encimado por cornija levemente arqueada e motivo barroco em estuque; empena truncada encimada por nicho com pilastras e frontão triangular encastrados, que remata com outra empena com volutas; duas torres sineiras de secção quadrada, delineadas por 3 registos, ladeiam este corpo central; o primeiro registo é cego, o segundo apresenta superiormente uma fresta vertical, o registo superior, um vão de arco redondo na fachada principal e 2 laterais, todos com sino, pináculos piramidais com esfera no topo de cada ângulo e cobertura em coruchéu piramidal revestido a azulejo bicolor. INTERIOR: nave de planta rectangular, 6 capelas laterais abrindo para a nave por arcos de volta perfeita, unidos entre si ao nível das mísulas por cornija; cobertura em abóbada de berço pintada com motivos vegetalistas, grutescos e medalhão central figurado; elementos estruturais, cornijas e molduras de vãos revestidos por pinturas murais polícromas e douradas; azulejos de padrão azuis, amarelos e brancos nos rodapés e nos paramentos laterais dos arcos das capelas laterais; do lado da Epístola púlpito de madeira sobre peanha de cantaria e com acesso por porta de molduras de cantaria; cruzeiro de planta quadrada coberto por cúpula hemisférica sob pendentes totalmente revestidos por pinturas murais de caracter vegetalista e no tambor fingindo balaustrada; capela-mor pouco profunda cuja cobertura projecta a da nave; arco triunfal de volta perfeita revestido a talha dourada e polícroma; retábulo-mor de trono e camarim, com dois nichos e sanefa central, em talha dourada e polícroma, com acesso por duas portas ladeando o altar. Cripta de planta rectangular, coberta por abóbada de berço em arco abatido, com acesso através da sacristia; pórtico de cantaria de mármore com arco em flecha e capitéis prismáticos; na parede fundeira mesa de altar de barriga e sobre ela nicho enquadrado por pequena composição retabular enquadrado o busto do santo. Na sacristia cobertura em abóbada e arcaz de espaldar, apresentando cada pano quadro em tela e remate de volutas em talha.

Acessos

Largo de São João de Deus

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 37 801, DG, 1. ª série, n.º 78 de 02 maio 1950 *1

Enquadramento

Urbano, adossado. Localizado na encosta da colina onde se implanta a cidade, em largo de planta rectagular pouco arborizado. À direita situam-se as construções conventuais, com frontaria ligeiramente recuada em relação à igreja, e à esquerda a Igreja da Misericórdia (v. PT040706030036 ), formando este conjunto quase um quarteirão.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Évora)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

MESTRES de OBRAS: Manuel Pires (1712), José Nunes e José Gonçalves (1726) e João Ribeiro e Gabriel Alvares (1757)

Cronologia

1627 - lançamento da primeira pedra, sendo Arcebispo D. José de Mello; 1629 - conclusão das obras; 1643 - referências à obra concluída; 1633 - concessão de porção de terreno municipal para a obra; 1679 - tecto do sub-coro cronografado; 1712 - obras de ampliação dirigidas por Manuel Pires; o Padre Carvalho da Costa refere que existia um hospital administrado pelos frades de São João de Deus; 1726 - obras de ampliação dirigidas por José Nunes e José Gonçalves; 1757 - obras de ampliação dirigidas por João Ribeiro e Gabriel Alvares; 1759 - ladrilhamento; 1834 - concessão ao município para aí instalar repartições públicas; 1875 - estava em reparação; 1950 - grande reformulação a nível dos interiores tendo desaparecido a tribuna da capela-mor do lado da Epístola e as pinturas oitocentistas em grisaille fingindo estruturas arquitectónicas que revestiam os alçados e cobertura da nave.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Alvenaria, cantaria de granito e mármore em elementos secundários, azulejos no revestimento dos paramentos interiores.

Bibliografia

COSTA, P. António Carvalho da, Corografia Portugueza..., 2.ª ed., tomo II, Braga, 1868 [1.ª ed. de 1712]; ESPANCA, Túlio, Convento de S. João de Deus, A Cidade de Évora, nº 48/50, 1967; IDEM, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Évora, vol.8, Lisboa, SNBA, 1975; ANDRADE, António Banha de, Breve história das ruínas do antigo burgo e concelho de Montemor-o-Novo, Évora, 1977, p. 34.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMMN/GTL

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMMN/GTL

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; CMMN/GTL

Intervenção Realizada

DGEMN: 1950 / 1951 - colocação de pavimentos em tijolo prensado no corredor e vestíbulo de acesso ao coro, colocação de degraus de cantaria de granito na escada de acesso ao coro e remoção dos existentes em alvenaria, alteração das escadas de acesso ao púlpito, execução de rebocos na nave, caiação de paredes, reparação e limpeza de telhados, pintura de caixilhos, portas e grades de ferro, colocação de lambris de azulejo decorado nas salas destinadas ao museu e na capela-mor, desentaipamento de altar na sala contígua à nave, restauro dos murais da nave central e da capela-mor, restauro e douramento do altar-mor, restauro dos altares laterais, enchimento da fresta na cripta, modificação do altar na cripta, recuperação da sacristia, incluindo restauro do arcaz, colocação de vitrais e caixilharias em chumbo, execução da instalação eléctrica em toda a igreja, colocação de lustres e lanternas, fornecimento de bancos em cedro brasileiro para a nave central. Ordem Hospitaleira de São João de Deus: 1961 - abertura de porta (onde existia vão de janela) na sala que antecede a cripta, dando acesso ao Lg. da Liberdade. DGEMN: 1980 / 1981 - recuperação das coberturas; Paróquia: 1999 - obras de substituição do pavimento.

Observações

*1 - DOF... conjunto da Igreja e cripta de São João de Deus; *2 - A tradição assinala a cripta como sendo a morada de nascimento de São João de Deus; a cripta aproveita restos de edificação medieval embutida nas fundações do edifício conventual, e deles restando apenas o pórtico gótico.

Autor e Data

Manuel Branco e Castro Nunes 1994

Actualização

Margarida Tavares e Anouk Costa 1999
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login