Igreja Paroquial de Tropeço / Igreja de Santa Marinha

IPA.00005170
Portugal, Aveiro, Arouca, Tropeço
 
Arquitectura religiosa, barroca. Igreja paroquial de planta longitudinal, nave única, capela-mor, sacristia do lado direito e torre sineira quadrada adossada à frontaria do lado esquerdo; frontaria com portal rectangular simples a que se sobrepõe janela do coro rectangular com cornija pouco saliente; torre sineira de dois registos com coruchéu; cunhais com pilastras e pináculos; janelas laterais rectangulares de esbarro, com padieira curva e cornija pouco saliente nas da capela-mor; arco triunfal com pilastras decoradas; coberturas internas de madeira.
Número IPA Antigo: PT010104180020
 
Registo visualizado 151 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta por nave única, capela-mor e sacristia adossada do lado S., volumetricamente distintas, com coberturas diferenciadas em telhados de 2 e 3 águas, aos quais se une, a N., adossada à frontaria, torre sineira quadrangular coberta com coruchéu em pirâmide levemente arqueada. Fachada principal flanqueada por pilastras com portal único de vão rectangular simples encimado por janela do coro rectangular gradeada com cornija pouco saliente; na empena, cornija em ângulo, pináculos de remate piramidal sobre os cunhais e cruz no vértice. Torre sineira de dois registos com pilastras nos ângulos sobrepostas de cornija; no registo superior, um único vão de arco redondo em cada face e pináculos nos ângulos. Fachadas laterais com pilastras nos ângulos e cornija de cantaria. Na da esquerda, escada de acesso à torre disposta longitudinalmente ao corpo da nave, duas janelas rectangulares de esbarro na nave, estando a mais próxima da torre a um nível superior, porta travessa rectangular simples, colocada entre as duas frestas, outra idêntica na capela-mor que mostra uma única janela rectangular de padieira curva com cornija pouco saliente. Fachada lateral direita mostra corpo da sacristia, adossado à capela-mor, com cunhais revestidos com pilastras e vãos rectangulares, adossado à capela-mor que tem janela idêntica à da outra fachada lateral; o alçado posterior mostra pedra com inscrição sobre a linha de base da empena. Interior com coro-alto sobre mísulas e balaustrada de madeira; púlpito do lado da Epístola com bacia de pedra apoiada em mísula moldurada e parapeito de madeira entalhada e dourada; lambril de azulejos de tapete industriais; arco triunfal com pilastras e aduelas decoradas com almofadas nas duas faces e no intradorso. Retábulo principal, quatro colaterais e sanefas de talha, branco e ouro, decorados em concheado. Pavimento de mosaico industrial. Coberturas internas da capela-mor e da nave de secção poligonal com três panos em madeira; cobertura interna da sacristia artesoada, octogonal, com duas séries de caixotões trapezoidais de madeira convergindo ao centro num octogono.

Acessos

EN 224 (Arouca - Vale de Cambra), km 33, EM 506, km 3

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolado. Implanta-se em encosta de pendor suave no interior de recinto parcialmente murado, desnivelado e pavimentado com calçada portuguesa decorada; a cota mais baixa, diante da fachada principal (lado NO.), confronta com muro do cemitério e a NE. com a residência paroquial.

Descrição Complementar

Inscrição no exterior da parede do fundo da capela-mor: ESTA CAPELA MOR A M/ANDOV FAZER O R[EVEREND]O FR[ANCIS]CO / DE ALM[EI]DA NVNES AB[A]DE DESTA FR[E]G[UESI]A ANO D[E] 1779.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Porto)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1148 - referência à igreja de Santa Marinha de Tropeço; séc. 15 - mudança da igreja para o local actual; séc. 18, inícios - construção do actual corpo da nave; 1779 - inscrição no exterior da parede do fundo da capela-mor; 1788 - no Inquérito Diocesano refere-se que o edifício da igreja era novo, tanto na nave como na capela-mor tendo cinco altares também novos que ainda faltava dourar sendo também nova a sacristia que estava forrada com «caixoens à moderna»; 1851 - data inscrita na padieira da porta da torre.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes

Materiais

Granito (cantarias); cerâmica (telha plana e de aba e canudo, azulejos, mosaico); madeira (portas, caixilhos, retábulos e coberturas internas)

Bibliografia

BRANDÃO, D. de P. e OLÍMPIA, M. da C. L., Arouca - Notas Monográficas 1, Arouca, 1991, pp. 157 - 165; GONÇALVES, A. N., Inventário Artístico de Portugal - XI, Distrito de Aveiro, Zona de Nordeste, Lisboa, 1991, pp. 101 - 102; SIMÕES JÚNIOR, M. R., Arouca (subsídios para a sua monografia) in PEREIRA, V., Cancioneiro de Arouca, Porto, 1959, pp. 92 - 93.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1982 / 1983 - obras de conservação geral e limpeza das fachadas, novas coberturas internas, pavimento de mosaico e lambril de azulejos no interior; 1984 - obras de remodelação do adro.

Observações

Autor e Data

Paulo Dordio 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login