Castro do Banho / Povoado fortificado do Banho / Povoado fortificado de Beirós

IPA.00005006
Portugal, Viseu, São Pedro do Sul, União das freguesias de São Pedro do Sul, Várzea e Baiões
 
Aglomerado proto-urbano. Povoado da Idade do Ferro com posterior ocupação romana. Povoado fortificado / castro de tipo arcaico, pela existência de casas talhadas na rocha. Os sistemas defensivos, as habitações, de planta circular, quadrangular e elíptica, e o espólio cerâmico encontrados indicam uma continuidade em termos de ocupação desde a época do Ferro até à época romana ou mesmo medieval. Algumas casas parcialmente talhadas na rocha, aproveitando-a como caixa-murária e cobertura, em jeito de cavernas.
Número IPA Antigo: PT021816180008
 
Registo visualizado 103 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoado  Povoado da Época do Ferro  Povoado fortificado  

Descrição

Povoado castrejo adaptado à natureza e inclinação do terreno, com casas escalonadas, dispostas em socalcos, parcialmente abertas nas fragas, aproveitando-as como paredes e tectos, e encastradas no terreno, acompanhando as curvas de nível. O aglomerado apresenta grande densidade, sendo composto por cerca de 100 casas de plantas quadradas, circulares, elípticas, e algumas de plantas mais elaboradas com vários compartimentos. O conjunto é circundado por alguns panos de muralha parcialmente desmoronados. Rampas de acesso e degraus encontram-se escavados na rocha. Numa das casas, junto à necrópole, existem bancadas curvas e largas com c. 6,80m de comprimento e 0,30 de altura. O Castro do Banho encontra-se completamente coberto de matagal, silvas, giestas e arvoredo, que apenas deixam à vista escassos vestígios de 2 casas e um pequeno pedaço de pano de muralha.

Acessos

EM Várzea - Serrazes, no cruzamento para Ferreiros, cerca de 2 Km. à esquerda, 500 m. em caminho de terra e 500 m. em carreiro, a pé

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 41 191, DG, 1.ª série, n.º 162 de 18 julho 1957 *1

Enquadramento

Rural. Em outeiro fragoso na margem direita do rio Vouga, revestido de pinheiros, carvalhos e giestas, na confluência da ribeira de Beirós com o rio Vouga, ocupando toda a encosta voltada a S., em esporão muito íngreme.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Época Construção

Idade do Ferro

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

500 a.C. - Época medieval, início - prováveis balizas cronológicas da construção e ocupação do castro, segundo o espólio encontrado *1; 1918 - descoberta do Castro do Banho junto às Caldas de Lafões, dando início às primeiras escavações arqueológicas dirigidas sucessivamente por Afonso de Melo e Amorim Girão; 1951 - Russell Cortez foi nomeado director das escavações arqueológicas, custeadas pela Junta de Turismo local e Junta da Província da Beira-Alta, mediante parecer da Junta Nacional de Educação; outros trabalhos foram aí realizados por José Coelho a expensas da Junta de Turismo, e por J.M. Bairrão Oleiro, auxiliado por.Moreira de Figueiredo; 1995 - Manuel Barros Mouro escreve uma carta à Direcção do IPPAR chamando a atenção para o Castro que se encontrava ao abandono e sem caminhos de acesso, carta que foi remetida à Direcção Regional de Coimbra.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Granito

Bibliografia

CORTEZ, F. Russell, Da Terra Sigillata Tardia Encontrada em Portugal, Beira Alta, vol. 10, Viseu, 1951, pp. 23-25; FIGUEIREDO, Moreira de, Arqueologia Lafonense, Beira Alta, vol. 17, Viseu, 1958, pp. 354-389; CAMPOS, João Pires de, Actas do I Congresso de Arqueologia, vol. 1, Lisboa, 1959; Guia de Portugal, vol. 3, Lisboa, 1994; MOURO, Manuel Barros, A Região de Lafões (Subsídios para a sua História), Coimbra, 1996; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/72916 [consultado em 28 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

CMSPS

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1951 - Escavações arqueológicas *2; 1954 - preparou-se a Estação para escavações ordenadas, limpando-se e isolando-se as casas postas a descoberto nas sondagens anteriores e arrumando-se terra e pedras; 1996 - foi feita uma limpeza e roçado o mato do pinhal circundante ao outeiro onde se encontra o Castro, o que possibilitou a localização de algumas das habitações, voltando a ser abandonado.

Observações

*1 - DOF:...perto das termas de São Pedro do Sul; *1: fragmentos de terra sigilata tardia de fabricação hispânica; vasos de terra sigilata de barro negro grosseiro e vermelho polido, de paredes finas, mal cozidos romanos e anteriores; vasos de bronze e outros metais preciosos; recipientes de vidro verde; moedas do Baixo Império, usadas na Idade Média como divisionárias: moedas de Constantino e de Constante, do séc 4; *2: foram encontrados restos de cerâmica de fabrico peninsular ornamentada por molde com círculos concêntricos; tégulas, ímbrices, pesos de tear, mós manuais, pregos de ferro e 1 fíbula de bronze, completa.

Autor e Data

Lina Marques 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login