Pelourinho de Sul

IPA.00004998
Portugal, Viseu, São Pedro do Sul, Sul
 
Pelourinho quinhentista, de bola, de fuste liso e remate esferóide, desprovido de elementos decorativos, e de carácter rústico. Decoração azulejar tardia e dissonante.
Número IPA Antigo: PT021816160003
 
Registo visualizado 329 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo bola

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de dois degraus escalonados, onde assenta a base, na forma de plinto cúbico. Fuste cilíndrico, liso, composto por três tambores de altimetria desigual. Remate em forma de capelo encimado por uma maçaneta ou esfera achatada. A face S. do plinto apresenta pequeno registo azulejar figurativo azul e branco com imagem de Nossa Senhora aureolada com uma fita que contém a legenda "VIRGEM EMACULADA SENHORA NOSSA". Acantonados superiormente um escudo de Portugal-antigo e a legenda "AV MAR IA", nos flancos as datas de "1646" e "1946". Inferiormente, outra legenda "HA 3 SÉCULOS VOS PROCLMAMOS PADROEIRA". No lado E. do fuste, a 2 m. de altura, três perfurações em triângulo, onde estiveram cravados ferros de sujeição.

Acessos

Largo do Pelourinho. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.834782; long.: -8.041998

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano. Isolado, em pequeno largo com inclinação para E., circundado por casas de habitação modernas e descaracterizadas de um a três pisos, a S. e N. e por arruamentos a O. e E..

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1288 - as Inquirições de D. Dinis referem o Julgado de Sul; séc. 13 / 14 - concessão de foral por D. Dinis, embora já anteriormente a povoação fosse cabeça de concelho; 1514, 04 Abril - foral manuelino dado ao concelho de Sul por D. Manuel I; séc. 16, 2ª metade - provável construção do Pelourinho; 1708 - a povoação, com 326 vizinhos, é de D. Francisco de Castro; tem juiz ordinário, vereadores, procurador e um tabelião; 1836 - o Concelho de Sul subsiste na reforma de Manuel da Silva Passos, com 1.028 fogos; 1855 - decreto que extinguiu o Concelho de Sul, integrando as suas freguesias nos de São Pedro do Sul e Castro de Aire; 1857 - o imóvel da Casa da Câmara e o terreno onde estava originalmente o Pelourinho foram vendidos em hasta pública, levando à posterior deslocação do Pelourinho para o local onde se encontra actualmente; 1880 - ainda existia a Casa da Câmara e Cadeia, em ruínas, parcialmente ocupada pela Escola Primária; 1955 - emissão de um parecer da DGEMN a favor do embargo de uma obra para construção de um talho na ZP do Pelourinho, a 4 metros.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; registo cerâmico de azulejos industriais.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; FIGUEIREDO, Padre Alberto Poças de, Sul e o seu Antigo Concelho, Viseu, 1949; LEAL, A. Pinho, Portugal Antigo e Moderno, vol. 9, Lisboa, 1880, pp. 463-465; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997, p. 394; REAL, Mário Guedes, Pelourinhos da Beira Alta, Sul, Beira Alta, vol. 38, Viseu, 1979, pp. 441-457; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

CMSPS

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1949 - restauro do Pelourinho, com reconstrução total dos degraus e plinto.

Observações

Autor e Data

Lina Marques 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login