Casa dos Cota Falcões

IPA.00004644
Portugal, Santarém, Coruche, União das freguesias de Coruche, Fajarda e Erra
 
Casa nobre de planta retangular, constituído por edifício composto por 2 blocos rectangulares adossados, deitando a fachada principal para a via de circulação e a posterior, virada a S., para um pátio interior, a partir do qual se faz a comunicação com o piso nobre, antecedido por lógia de 5 arcos. Inicialmente o r/c era reservado a serviços e armazenagem de produtos, o piso superior à residência dos proprietários. A pedra de armas dos Cotta Falcão encontrava-se sobre o portão do lado poente, onde hoje se pode ver um nicho com uma imagem em pedra.
Número IPA Antigo: PT031409010005
 
Registo visualizado 281 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo planta retangular

Descrição

Planta longitudinal, composta por dois rectângulos irregulares adossados. Massa simples com cobertura em telhado de quatro águas. Fachada principal formada por 2 corpos acompanhando a inflexão da rua, de 2 e 3 pisos, com cunhais apilastrados e pilastra divisória, rodapé e friso em cantaria separando o 1º do 2º piso, cimalha moldurada em remate, rasgados no piso térreo por portas e janelas de vãos rectangulares, no primeiro andar por portas-janelas também de vãos rectangulares e molduras lisas em cantaria, com balcões com gradeamentos metálicos em forma de colunelos, no 3º piso por janelas de vãos rectangulares de molduras lisas. Fachada lateral nascente constituída pelo corpo correspondente ao alçado de 3 pisos da fachada principal e por corpo rasgado por portão de vão rectangular e molduras lisas em cantaria; fachada lateral poente constituída pelo alçado do corpo de 2 pisos e por corpo rasgado por portão rectangular rematado por frontão vazado por nicho. Fachada posterior abrindo para um pátio, com escada de um lanço adossada dando acesso a uma lógia de arcos abatidos sobre colunas toscanas, que se prolonga numa varanda sobre arcadas. Interior - no piso térreo arcadas em tijolo de vão redondo suportam os sobrados do piso superior; neste as divisões intercomunicantes (salas e quartos) abrem para as 4 fachadas e para um corredor central; em algumas das salas tectos em caixotão pintados e pinturas murais; no 3º piso vários quartos abrindo para o átrio da escada de acesso de um lanço.

Acessos

Rua de São Francisco, nº 2, Trav. do Lagar, nº 1, R. da Misericórdia nº 46

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 67/97, DR, 1.ª série-B, n.º 301 de 31 dezembro 1997

Enquadramento

Urbano, planície, adossada. Implantada na malha urbana da povoação, no coração do centro histórico, deita a fachada principal para a R. da Misericórdia, as duas fachadas laterais para duas travessas transversais, a fachada posterior para um pátio interno.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Residencial: casa / Comercial: loja

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 16, inícios - D. Manuel pernoita nas casas de Martim Cotta Falcão, em Coruche; séc. 17 - data provável de construção do actual edifício; 1665 - inscrição sobre o portal principal; 1679 - António Cota Falcão recebe Carta d'Armas; séc. 18 - construção do 3º piso sobre o corpo do lado E.; 1718, 12 de Dezembro - escritura de venda, referindo a existência da casa e a compra de outras a ela anexas, por João Cota Falcão Mestre de Campo do terço de Aviz e filho de António Cota Falcão; 1911 - parte da casa passa a servir de quartel à GNR; séc. 20, inícios - a casa estava então alugada a vários locatários - GNR, Grémio da Lavoura, Hotel Filipe; 1936 - arrendada, ao então proprietário José Manuel Alves do Rio, por António Feliciano Branco Teixeira; 1946 - António Feliciano Branco Teixeira compra o edifício a Manuel Pereira de Lucena Alves do Rio, descendente da família Cotta Falcão; transformação do edifício em habitação própria do novo proprietário; 1960 - a GNR abandona as instalações que aí mantinha, concluíndo então o proprietário as obras de adaptação que vinha realizando no edifício, entre as quais a construção da varanda que continua a lógia sobre o pátio e o portão do lado nascente; 1979, 10 abril - é classificado pela Secretaria de Estado do Ordenamento Físico, Recursos Hídricos e Ambiente do Ministério da Habitação e Obras Públicas, pelo Decreto n.º 28/79, no âmbito da paisagem e objetos culturais, competência que lhe é atribuída pelo Decreto-Lei n.º 613/76 de 27 julho; 1993, 23 janeiro - revogação da classificação por falta de regulamentação específica, conforme o artigo 37 do Decreto-Lei n.º 19/93.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma e autoportante

Materiais

Estrutura em alvenaria de pedra e tijolo rebocado e caiado, massa pintada a amarelo ocre; cantarias em molduras, cunhais e colunas; pavimentos em cantaria, tijoleira, madeira; tectos em madeira; cobertura de telha cerâmica; caixilhos e portadas em madeira.

Bibliografia

MORAIS, Cristóvão Alão de, Pedatura Lusitana - Nobiliário das Famílias de Portugal, tomo 4, vol. 2, Porto, 1946; Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, Lisboa, 1949; ABREU, Jorge de Brito e, A Carta de Armas de António Cotta Falcão (1679), Armas e Troféus, 3ª Série, T. 1, nº 1, Braga, 1972; RAPOSO, Francisco Hipólito, Nos caminhos de Portugal - Estremadura e Ribatejo, Lisboa, 1985; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/71257 [consultado em 2 janeiro 2017].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login