Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Coruche

IPA.00004643
Portugal, Santarém, Coruche, União das freguesias de Coruche, Fajarda e Erra
 
Arquitectura religiosa, maneirista, rococó. Igreja da Misericórdia, ladeada por construções destinadas a serviços a ela associados - sala da irmandade e hospital; o espaço interno - nave única englobando a zona destinada à celebração, apenas demarcada pelo pavimento mais elevado, coro-alto e tribuna de comunicação com a sala da irmandade - constituem características comuns à maioria das igrejas da Misericórdia. Linguagem maneirista despojada e severa no tratamento dos volumes da igreja e anexo lateral esquerdo e na iluminação franca do interior; a reformulação do espaço interno - abobadamento, decoração de marmoreados, altar-mor e altares laterais - obedece já ao gosto intimista rococó da 2ª metade do séc. 18. Apesar das várias obras de remodelação, a igreja da Misericórdia revela na decoração do seu interior um conjunto de grande coerência estética, a nível do trabalho de estuques, dos retábulos, do mobiliário religioso, da imaginária e da pintura.
Número IPA Antigo: PT031409010004
 
Registo visualizado 225 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja de Confraria / Irmandade  Misericórdia

Descrição

Planta longitudinal, rectangular. Volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhado. Fachada principal virada a poente, enquadrada por pilastras toscanas, com um pano subindo em dois registos encimado por cimalha moldurada, sobre a qual assenta frontão contracurvado, com as armas da Misericórdia no tímpano, rematado por cruz e ladeado por 2 pequenas sineiras com cúpulas bolbosas; rasga o pano inferior um portal com pilastras toscanas e frontão segmentar e dois portais de vão menor com frontões contracurvados; no piso superior 3 janelas de vão rectangular, com frontões idênticos aos dos portais inferiores; sobre eles quadrifólios em massa, o central com a representação da Visitação; abrindo para o átrio e ladeando a fachada da igreja o corpo anexo do hospital, com lógia de dupla arcada separada por colunelo central, no piso superior, uma porta e vão rectangular o inferior; fachada lateral da igreja rematada por cimalha moldurada e enquadrada por cunhais apilastrados, rasgada por janelas rectangulares no piso inferior e por lunetas no superior; na fachada posterior, com o mesmo enquadramento e remate, o balanço do altar-mor. Interior - nave única rectangular, com 5 tramos separados por pilastras toscanas, cobertos por abóbadas de penetrações, rasgadas por lunetas, entaipadas do lado N.; o nártex sob o coro alto é coberto por 3 abóbadas de aresta e separado da nave por três arcos redondos; o coro alto prolonga-se sobre a nave apoiado em colunas de ferro; no 2º tramo, dois altares encastrados no paramento, o da esquerda, de Nossa Senhora da Piedade, com o grupo escultórico do Calvário, encimado por tribuna com balcão contracurvado em madeira; no 3º tramo, púlpito com guarda-voz adossado do lado do Evangelho; uma teia delimita o espaço central da nave dos dois corredores laterais, encimada por confessionários do lado esquerdo, resguardando o cadeiral da irmandade do lado oposto; a zona reservada ao altar-mor é demarcada por pavimento elevado, com acesso por degraus; na parede fundeira rasgam-se 3 arcos redondos onde se inserem o altar-mor e os dois altares laterais, com retábulos em madeira polícroma e dourada, rasgados por tribunas, o central com a imagem de Nossa Senhora da Conceição, os laterais com as imagens de Santa Bárbara e de São Brás. Painéis no 2º registo dos alçados laterais da nave e da parede do altar-mor. No coro alto guarda-se um órgão de tubos; apoiada à balaustrada a bandeira da Misericórdia. Abrindo para a zona do altar-mor a sacristia, de onde parte o acesso ao púlpito.

Acessos

Rua da Misericórdia

Protecção

MIP - Monumento de Interesse Público, Portaria n.º 310/2020, DR, 2.ª série, n.º 61/2020 de 26 março 2020 *1

Enquadramento

Urbano, planície, adossada. Implantada na malha urbana da povoação, dentro do núcleo histórico, abre a fachada principal para um pequeno átrio separado da rua por muro baixo rematado por gradeamento e a fachada lateral direita e posterior para duas vias de circulação; a fachada lateral esquerda adossa-se ao antigo edifício do Hospital.

Descrição Complementar

No paramento da plataforma que demarca a zona do altar-mor, 2 pedras de armas, assinalando sepulturas, a do lado da Epístola pertencente a Brás Dias de Gois, a do lado do Evangelho, a Luís Leitão, esta ladeada por lápide com inscrição alusiva à fundação da capela da Piedade, em 1668, por Luís Leitão (BRITO E ABREU: 1971). No pavimento do átrio pedras tumulares dos sécs. 17 e 18.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Utilização Actual

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Propriedade

Privada: Misericórdia

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 17 / 18 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

ORGANEIRO: António Xavier Machado Cerveira (1803).

Cronologia

1528 - a Misericórdia de Coruche existia já com organização autónoma; 1564 - anexação das Confrarias de Nossa Senhora da Purificação e de São Brás com todos os seus bens; 1579 - anexação da Confraria de Nossa Senhora da Conceição; séc. 17, inícios - data provável da construção da igreja, sala da irmandade e primitivo hospital anexo, certamente no local do anterior edifício; 1668 - instituição da capela da Piedade por Luís Leitão e sua mulher (Brito e Abreu: 1971); séc. 18, 2ª metade - reconstrução da fachada e do interior, aproveitando certamente parte da estrutura primitiva; nessa altura terá sido entaipada a porta travessa rasgada no alçado S., onde se inseriu um altar; são então colocados os retábulos e o órgão assinado pelo organista António Xavier Machado Cerveira, irmão do escultor Machado de Castro; 1755, após - a igreja substituíu a matriz, quando esta deixou de poder funcionar, em virtude dos estragos sofridos após o terramoto; 1797 - construção do Hospital, em terrenos a N. da Igreja, comprados para esse fim, tendo a obra importado em 6.706$745 réis (BRITO E ABREU: 1971); séc. 19 - acrescento do coro alto assente em colunas em ferro; 1803 - construção do órgão por António Xavier Machado e Cerveira; 1851 - restaurada; 1910 - reconstrução do edifício do Hospital; 1960, c. de - abandona as funções de matriz após da construção da actual Igreja matriz de São João Baptista; 1979, 10 abril - é classificado pela Secretaria de Estado do Ordenamento Físico, Recursos Hídricos e Ambiente do Ministério da Habitação e Obras Públicas, pelo Decreto n.º 28/79, no âmbito da paisagem e objetos culturais, competência que lhe é atribuída pelo Decreto-Lei n.º 613/76 de 27 julho; 1993, 23 janeiro - revogação da classificação por falta de regulamentação específica, conforme o artigo 37 do Decreto-Lei n.º 19/93; 2018, 22 agosto - publicação do Anúncio de abertura do procedimento de classificação em Anúncio n.º 152/2018, DR, 2.ª série, n.º 152, compreendendo a Igreja, a sacristia, a Casa do Despacho, o adro e o património móvel integrado; 2019, 28 outubro - publicação do projeto de decisão relativo à classificação do edifício como Monumento de Interesse Público, em Anúncio n.º 183/2019, DR, 2.ª série, n.º 207/2019.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Estrutura em alvenaria de pedra e de tijolo, rebocada e caiada, com cunhais e algumas pilastras assinalados a azul; telha cerâmica em cobertura; pavimento e coro alto em madeira, colunas de apoio do coro em ferro fundido; púlpito, teia, retábulos e órgão em madeira, caixilhos e portadas em madeira.

Bibliografia

SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém, Lisboa, 1949; RIBEIRO, Margarida, Estudo Histórico de Coruche, Coruche, 1959; BRITO E ABREU, Jorge de, O Largo de São Pedro da Vila de Coruche (texto policopiado, Faculdade de Arquitectura, Escola Superior de Belas Artes), Lisboa, 1971; ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976; SILVA, Mário Justino, Monumentos de Interesse Histórico e Turístico do Concelho de Coruche, Coruche, 1996.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: Restauro dos retábulos

Observações

*1 - DOF: Classifica como monumento de interesse público a Igreja da Misericórdia de Coruche, incluindo a sacristia, a Casa do Despacho, o adro e o património móvel integrado.

Autor e Data

Isabel Mendonça 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login