Matadouro Municipal de Santarém

IPA.00004605
Portugal, Santarém, Santarém, União de Freguesias da cidade de Santarém
 
Matadouro municipal, revelando um tratamento espacial funcional - sistema de ventilação formado pelo jogo dos telhados, no recinto da matança; pavimento inclinado e sulcado por regos, para escoamento do sangue dos animais. Elementos arquitectónicos classicizantes e medievalizantes na organização e decoração da fachada principal. A construção do edifício tomou como modelos os vários matadouros edificados na Europa e Estados Unidos da América, durante a 2ª metade do séc. 19, que, por sua vez, se inspiravam nos matadouros públicos mandados construir por Napoleão entre 1807 e 1810. A fachada principal, com uma gramática decorativa erudita, eivada de referências estilísticas revivalistas, não deixa adivinhar a função de matadouro do edifício, já plenamente assumida no seu interior, onde surge, embora de forma tímida, o ferro nas colunas de sustentação do vigamento.
Número IPA Antigo: PT031416120050
 
Registo visualizado 111 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Extração, produção e transformação  Matadouro    

Descrição

Planta longitudinal composta por 3 rectângulos alongados unidos por muro envolvente e separados por pátios. Os edifícios laterais são constituídos por massas simples com telhado de 2 águas; o edifício central por volumes articulados, com coberturas diferenciadas em telhado de 2 e 4 águas. A fachada principal, virada a N., é composta pelas fachadas destacadas dos 3 corpos - o central de um pano e um registo, rasgado por uma porta e 2 janelas de verga redonda, é rematado por platibanda recortada com a sugestão de merlões, com as armas da cidade adossadas a um falso torreão ameado na zona central; os laterais também com um pano e um registo, rematado por empena angular com platibanda, rasgados por janela de 3 lumes e vergas redondas a que se soprepõe óculo. Fachada posterior - fachada do corpo central de remate rectilíneo, rasgada por vãos rectangulares, fachada do corpo lateral com empena angular, vazada por óculo e meio óculo. As fachadas laterais dos 3 corpos são rasgadas a espaços regulares por meios óculos intervalados por portas de verga recta. Interior - corpo principal - um corredor com arcos redondos de acesso a salas laterais (zonas administrativas) e ao recinto da matança; corredor e salas têm tecto em madeira; o grande recinto da matança, coberto por telhado assente em vigamento de madeira, com lanternim de ventilação, tem 3 naves divididas por colunas em ferro fundido sustentando as asnas do tecto; um silhar alto de azulejos brancos, com cercadura em azul, rodeia o recinto; na parte posterior a habitação do guarda; corpos laterais com divisões alinhadas longitudinalmente, comunicando com os pátios e o corpo central - no corpo do lado direito funcionavam os vestiários, o balneário, o serviço de inspecção de bovinos, o palheiro, arrecadações, zona de lavagem de tripas; o do lado esquerdo centralizava a inspecção, matança e preparação de suínos e a inspecção de lanígeros.

Acessos

Rua Pedro de Santarém

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Deliberação da Assembleia Municipal de Santarém de 19 maio 2003, Edital camarário n.º 145/2003 de 03 novembro 2003

Enquadramento

Urbano, planalto, isolado. Implanta-se em zona de desenvolvimento urbanístico recente, nas imediações da Praça de Touros, fora dos limites do centro histórico; a fachada principal destaca-se ao fundo da R. Pedro de Santarém; o corpo lateral direito foi em parte cortado para dar lugar a uma fiada de prédios aí construídos nos anos 50.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Extração, produção e transformação: matadouro

Utilização Actual

Armazenamento e logística: armazém / Cultural e recreativa: associação cultural e recreativa

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Domingos Parente da Silva (1880). EMPREITEIRO; José Alexandre de Carvalho (1886-1889).

Cronologia

1879, 24 Outubro - decisão de construir um novo matadouro, em São Lázaro; 1880, 30 Dezembro - auto de arrematação do edifício a Domingos Parente da Silva; 1883, 21 Fevereiro - deliberação de abertura do Matadouro; 1886 - 1889 - construção dirigida pelo empreiteiro José Alexandre de Carvalho; 1889, 01 Julho - início de funcionamento do corpo central; 1936 - 1937 - obras de conservação e adaptação - revestimento de azulejos; 1937, 25 Maio - concessão de verbas para conservação e adaptação do edifício; 1950 - 1960 - destruição de parte do corpo lateral direito para construção de uma fiada de edifícios de 4 andares; 1983 - o matadouro passa a funcionar na Quinta do Mocho, na Várzea; 1997, 11 janeiro - Despacho de homologação de classificação como Valor Concelhio; 2009, 16 Março - abertura de concurso para requalificação do espaço do antigo Matadouro Municipal para instalação de uma "Loja do Cidadão", publicado em Diário da República, 2.ª série - n.º 52 - Anúncio de procedimento n.º 1024/2009.

Dados Técnicos

Estruturas autoportantes e autónomas.

Materiais

Estruturas em alvenaria de pedra, cobertura em telha cerâmica, portas e janelas em madeira e vidro; vigas em madeira, colunas de sustentação em ferro.

Bibliografia

BRAZ, José Campos, Santarém raízes e memórias - páginas da minha agenda, Santarém, Santa Casa da Misericórdia de Santarém, 2000; CUSTÓDIO, Jorge, Matadouro Municipal, Memória descritiva, (texto policopiado, Câmara Municipal de Santarém), Santarém, 1991; Matadouro Municipal in Património Monumental de Santarém, Santarém, 1997; VITERBO, Sousa, Diccionario Historico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portuguezes ou a serviço de Portugal, Lisboa, Imprensa Nacional, 1904, vol. II.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMS: Divisão do Centro Histórico

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Isabel Mendonça 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login