Edifício da Alfândega da Faro

IPA.00004538
Portugal, Faro, Faro, União das freguesias de Faro (Sé e São Pedro)
 
Arquitectura financeira, setecentista. Alfândega que resulta da ampliação setecentista de um primitivo edifício quatrocentista. Planta rectangular composta por três corpos volumetricamente distinta, longa fachada rectilínea, com janelas de sacada no andar nobre com guardas de ferro forjado; as molduras em cantaria das janelas de sacada e os gradeamentos de ferro forjado são característicos do Séc.19.
Número IPA Antigo: PT050805040026
 
Registo visualizado 75 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Político e administrativo central  Alfândega    

Descrição

Planta rectangular composta por três corpos, dois laterais e um central, adossados, dispostos os primeiros num único psio, o central em dois pisos. Volumes articulados, massas dispostas na horizontal com cobertura diferenciada em cinco telhados de tesouro no corpo central e de três águas nos corpos laterais. Fachada principal a S., com corpo central de 5 panos definidos por pilastras e dois registos e de pano único nos corpos laterais; rasgam-se ao todo nos três corpos 15 vãos, com molduras rectas de cantaria, 3 nos corpos laterais e 9 no central seguindo o esquema c (fresta)-c-a (porta) -b (janela) -a-b-a-a-b-b-a-b-a-c-c; no piso nobre do corpo central, rasgam-se 11 janelas de sacada, 3 nos panos extremos, duas emparelhadas nos panos que flanqueiam o principal e neste uma axial ao portão; todos os vãos apresentam vergas arquitravadas e guardas de ferro forjado nos balcões; a sacada central, encimada pelo brasão nacional, tem acesso por escada de dois braços avançada; remates em cornija e beirado no corpo central e em beirado saliente nos laterais. Fachadas laterais O. e E., de pano único rasgadas por portal de molduras recta de cantaria e com remate em beirado saliente. Fachada posterior rasgada inferiormente por 6 vãos, dois em cada corpo; superiormente rasgam-se no corpo central 5 janelas; todos os vãos de molduras rectas de cantaria; rematse em beirado saliente. Alçados de alvenaria rebocada e caiada com embasamento envolvente. INTERIOR: no piso térreo sala rectangular com cobertura diferenciada, em madeira nos tramos correspondentes ao panos extremos e de abóbada de aresta sobre pilares e arcarias de volta perfeita nos restantes; no piso nobre cobertura de madeira.

Acessos

Avenida da República, nº 2A - 14A

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, no centro Histórico (v. PT050805050140), na zona ribeirinha, fachadas dando para a via pública.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Política e administrativa: alfândega

Utilização Actual

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 15 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1499, c. de - construção do edifício primitivo correspondente ao piso térreo, com 3 tramos e cobertura de alvenaria; Séc. 18, 2ª metade - ampliação do edifício com a adição de mais de dois tramos e correspondente construção a nível do andar nobre; séc. 19, meados - grande campanha de obras, nomeadamente a construção dos lanços da escada exterior de acesso ao andar nobre, colocação de novas molduras de cantaria no andar nobre e novos gradeamentos; séc. 20, princípios - construção de um falso beirado mais alto somente na fachada principal; 1955 - Autorização para a execução de trabalhos de beneficiação pela Delegação nas Obras de Edifícios de Cadeias, das Guardas Republicana e Fiscal e das Alfândegas; 1995 - proposta de classificação enviada ao IPPAR, pela Câmara Municipal de Faro; 2001, 23 Junho - Anúncio de Concurso Público para adjudicação da empreitada de remodelação do edifício pela DGEMN, publicado em Diário da República, 3ª série, nº144; 2009, 23 outubro - o processo de classificação caduca nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, n. 206, publicado nesta data.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Taipa, cantaria calcária, alvenaria, ferragens, madeira e cobertura com telhas de canudo aplicadas sobre sub-telha aplicadas sobre sub-telha.

Bibliografia

Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1955, Lisboa, 1956; LAMEIRA, Francisco Ildefonso C., Faro - Edificações Notáveis, Faro,1995; PAULA, Rui M. e PAULA, Frederico, Faro Evolução Urbana e Património, Faro, 1993; ROSA, J. A. Pinheiro e, Monumentos e Edifícios Notáveis do Concelho de Faro, Faro, 1984.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DREL, DGEMN/DREMS/DE; CMF

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1955 - Obras de beneficiação incluindo revisão geral do telhado e substituição de telhas partidas; DREMS: 2002 - obras de conservação de rebocos e caixilharias, substiutuição de cobertura; remodelação de interiores incluindo recompartimentação do espaço, instalação de infraestruturas (águas e esgotos), instalação contra incêndios, electricidade.

Observações

Autor e Data

Francisco Lameira 1996

Actualização

Maria João 2002
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login