Igreja Paroquial da Granja / Igreja de São Brás

IPA.00004454
Portugal, Évora, Mourão, Granja
 
Arquitectura religiosa, chã, barroca, rococó. Igreja paroquial, localizada em posição dominante sobre o casario envolvente, de fundação trecentista, profundamente reformulado entre os Séc. 16 - 18. Composição barroca das fachadas, de traça filipina, ostentando portais atribuídos a Pedro Alvarez Moniz. No interior pinturas murais e imaginária seiscentista e setecentista e retábulo-mor rococó. As grandes proporções do edifício, desajustadas da escala da aldeia, dão-lhe uma visibilidade privilegiada em toda a povoação da qual é também o seu elemento mais marcante.
Número IPA Antigo: PT040708010003
 
Registo visualizado 235 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta, dividida em tramos, com altar-mor diferenciado. Volumes articulados dispostos na vertical. Cobertura diferenciada em telhado de 2 águas. Fachadas laterais contrafortadas por seis tramos rematados por volutas com enrolamento. Fachada principal orientada a O., flanqueada por pilastras, pouco ornamentada, tem frontão triangular com cruz em mármore, janelão simples, pórtico, também em mármore, ladeado por colunas dóricas e empena com escudo da Casa de Bragança colocado abaixo da cruz da Ordem de Avis. No lado N. da frontaria, torre sineira, quadrada com quatro olhais, três sinos fundidos e remate piramidal; Fachada N. tem janela gradeada para iluminação do acesso à torre; Na fachada E., porta com seis degraus semicirculares em cimento; Fachada S. com portal em mármore de cornija muito saliente; No interior, espaço único, bem iluminado. Nave de planta rectangular com cinco tramos reforçados por pilastras de alvenaria caiada. Em frente ao púlpito o altar de Santo António, único no corpo da nave, do tipo de baldaquino. Cinco capelas na cabeceira, capela-mor de planta rectangular e tecto de meio canhão coberto por frescos, retábulo do altar-mor e retábulo filipino alusivo às almas do purgatório; púlpito em madeira entalhada sobre repisa de mármore; Baptistério com taça circular de mármore com base de balaústre quadrado; cobertura interior em abóbada; pavimento em lageado de xisto com sepulturas anepigrafadas.

Acessos

Rua Pedro Piteira

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria n.º 199/2013, DR, 2.ª série, n.º 71 de 11 abril 2013

Enquadramento

Urbano. Situa-se no ponto mais elevado da povoação, inserida na malha urbana, dominando inteiramente, pelas suas proporções, o largo em cujo centro o edifício está implantado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Évora)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Sec. 14 / 16

Arquitecto / Construtor / Autor

CANTEIRO: Pedro Alvares Moniz (portais da igreja)

Cronologia

Séc. 14 - primitivo templo gótico pertencente aos hospitalários de São João de Acre (Defesa da Granja do Hospital, transitou mais tarde para a Ordem de Avis, cuja comenda estava anexa à matriz de Mourão; 1534 - beneficiação do templo gótico por ordem do bispo-infante D.Afonso; Séc. 16 - início da construção do templo actual, nas últimas décadas, por D.Teotónio de Bragança (Mesa Metropolitana); Séc. 17, inícios - conclusão do templo; 1602 - fundação do altar de Nossa Senhora das Neves, o mais antigo da igreja, com irmandade e licença de missa diária dada pelo prelado de Évora, D.Teotónio de Bragança; 1620 - retábulo filipino alusivo às almas do purgatório; 1629 - obra dos portais da igreja; séc. 17 / 18 - pinturas murais da capela-mor; 1761 - enriquecimento do edifício com altares de talha polícroma e retábulo da capela-mor e acrescentamento da cabeceira com a caixa do trono; 1960, década de - obras de restauro; 2005, 30 novembro - Proposta de classificação pelo IPPAR/DRÉvora; 2006, 17 fevereiro - Despacho de abertura do processo de classificação pela Vice-Presidente do IPPAR; 2009, 03 março - Proposta da DRCAlentejo para a classificação como IIP - Imóvel de Interesse Público e de ZEP; 2009, 30 abril - Parecer favorável à classificação e à ZEP pelo Conselho Consultivo do IGESPAR; 2012,14 junho - Anúncio nº 12829/2012, DR, 2.ª série, n.º 113, relativo a Projeto de decisão de classificação como MIP - Monumento de Interesse Público e fixação da respetiva ZEP.

Dados Técnicos

Estrutura mista reforçadas por contrafortes com tectos em abóbada de berço e coberturas de pendentes com telhas.

Materiais

Alvenarias rebocadas e caiadas. Mármore em molduras de portas e degraus. Xisto em molduras de portas, pavimentos e degraus. Madeiras em caixilharias de vãos e pavimentos interiores.

Bibliografia

ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Évora, vol. 8, Lisboa, 1978.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMM

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IPPAR: DRE Procº 22.07.010. LOC.1

Intervenção Realizada

Década de 60 - obras de restauro da talha e dos frescos das capelas e do altar-mor; Paróquia: 1998 - obras de arranjo das coberturas, alteamento do piso do altar mor com construção de novo pavimento em xisto, abertura de duas portas na cabeceira, para acesso interior à Sacristia e à casa mortuária. Abertura de uma porta na fachada E. para acesso exterior à casa mortuária; Substituição da mesa do altar, em madeira, por uma em xisto.

Observações

.

Autor e Data

Paula Amendoeira 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login