Fábrica dos Tecidos de Seda / Museu Arpad Szenes - Vieira da Silva

IPA.00004308
Portugal, Lisboa, Lisboa, Santo António
 
Arquitectura industrial, pombalina. O edifício fazia parte de várias unidades modulares, de unidades fabris que se caracterizavam por uma uniformidade estilística: os edifícios desenvolviam-se paralelamente aos arruamentos, com 2 pisos e preocupações de arejamento e iluminação. É um dos poucos módulos que restam da primitiva unidade fabril implantada nesta zona.
Número IPA Antigo: PT031106460150
 
Registo visualizado 398 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Extração, produção e transformação  Fábrica    

Descrição

Planta rectangular, edifício de acentuada horizontalidade, composto por 2 pisos, cunhal em cantaria no vértice esquerdo, telhado de 4 águas. A fachada principal é rasgada, em cada piso, por 10 vãos rectangulares alinhados horizontal e verticalmente, emoldurados a cantaria simples. As janelas são de quadrícula em madeira preenchidas por vãos. 2º piso - 10 janelas com um pé direito mais alto que as do 1º Edifício anexo na parte posterior, com as mesmas dimensões e paralelo a este. A fachada lateral S., apresenta um tratamento diferente: ao nível do 1º piso é rasgada por uma porta simples, em chapa, encimada por uma janela inscrita numa espécie de arco contracurvado, emoldurado em cantaria. Esta janela tem gradeamento em quadrícula de ferro preenchida por vidro. A empena, em forma de frontão interrompido, tem os vértices em forma de aletas sobrepujadas por um círculo em azulejo azul e branco, coroado por cimalha. Tanto a empena como a cimalha são coroadas por uma fiada de telhas de canudo.

Acessos

Praça das Amoreiras, n.º 50 a 58; Travessa da Fábrica dos Pentes

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 29/84, DR, 1.ª série, n.º 145 de 25 junho 1984 / ZEP, Portaria n.º 1099/95, DR, 1.ª série-B, n.º 207 de 07 setembro 1995

Enquadramento

Urbano. Situa-se no lado NE. da praça e adossa-se a outra edificação de forma harmónica.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Extração, produção e transformação: fábrica

Utilização Actual

Cultural e recreativa: museu

Propriedade

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1759 - o Marquês de Pombal assina o plano de edificação do Bairro das Águas Livres, logo confirmado pelo Rei, inserindo na politica de proteccionismo industrial; foram criadas, nesta área, várias unidades fabris bem como alojamentos para os seus operários; terá sido por esta altura a construção da Fábrica das Sedas; 1994, Novembro - inauguração da fundação, para divulgar a obra dos pintore Arpad Szenes e Vieira da Silva; construído no local onde funcionou uma fábrica e o Real Colégio das Manufacturas.

Dados Técnicos

Materiais

Alvenaria, cantaria, madeira, vidro e telha.

Bibliografia

ARAUJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, Lisboa, s.d.; ALMEIDA, Fernando de, Monumentos e Edifícios Notáveis de Lisboa, 2º. Tomo, Lisboa, 1975; Recordações de Jacome Ratton, Londres, 1813; Recantos da Cidade - Amoreiras, in Jornal da Região de Lisboa, 06 Janeiro 2003.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

João Silva 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login