Pelourinho de São Martinho de Mouros

IPA.00004206
Portugal, Viseu, Resende, São Martinho de Mouros
 
Pelourinho seiscentista, de bloco prismático, com soco octogonal, fuste octogonal e capitel simples, encimado por paralelepípedo com elementos heráldicos. A base em quatro das faces tem menos um patamar, destacando-se o facto de assentar em alta plataforma, também de perfil octogonal. Existência de elementos heráldicos, como as cruzes de Avis e Malta.
Número IPA Antigo: PT011813140004
 
Registo visualizado 327 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição régia  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco octogonal de desproporcionada altura, sobre o qual se desenvolvem quatro degraus igualmente de secção octogonal. Fuste de oito faces e capitel de base quadrangular, com pequena moldura circundante. A um terço do fuste, cinta de ferro. Remate constituído por paralelepípedo tendo nos quatro ângulos friso decorativo delimitador das faces onde se destacam figuras heráldicas, cruzes de Avis e Malta, as Quinas e a data de 1601. Como coroamento pinha quadrangular truncada.

Acessos

EN 222, ao Km 113,2 para São Martinho de Mouros; a 1,3 Km, em artéria principal, no Largo do Concelho. WGS84 (graus decimais) lat.: 41.102798; long.: -7.897130

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, em superfície plana, isolado em pequeno largo junto à via pública

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 17 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

séc. 12 - concessão de foral por D. Teresa; 1513, 20 Outubro - D. Manuel concedeu-lhe Foral Novo; 1601 - possível data da face E. do coroamento, que indicará a data de construção; 1708 - a povoação, com 300 vizinhos, é do rei; tem 2 juízes ordinários, 2 vereadores, procurador do concelho, escrivão da câmara, juiz dos órfãos com seu escrivão, 5 tabeliães e um meirinho com o seu escrivão; 1855 - extinção do concelho.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

CHAVES, Luis, Os Pelourinhos - Elementos para o seu Catálogo Geral, Lisboa, 1939; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; DUARTE, Joaquim Correia, Resende e a sua História, Resende, 1995; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, 1997; PINTO, Joaquim Caetano, Monografia do seu Concelho Resende, Braga, 1982; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/72920 [consultado em 28 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DSARH

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

João Carvalho 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login