Igreja Paroquial de São Pedro / Igreja de São Pedro

IPA.00004158
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Funchal, Funchal (São Pedro)
 
Igreja paroquial maneirista de planta retangular, fachada principal em empena com portal de arco pleno e cimalha de balanço encimado por 3 janelas, interior revestido a azulejos enxaquetados e com retábulos de talha dourada joaninos.
Número IPA Antigo: PT062203080031
 
Registo visualizado 1319 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta retangular composta de nave única, com torre sineira quadrada e 3 capelas colaterais adossadas, e capela-mor tendo encostada a O. a sacristia geral, com entrada pela Cç. de Santa Clara e a S., a "sacristia dos cónegos" e os serviços da freguesia com entrada pela R. de S. Pedro. Volumes articulados com coberturas diferenciadas, de 4, 3 e 2 águas, com beirais duplos e triplos de telha de canudo portuguesa, e torre encimada por lanternim, coruchéu e pináculo revestidos a azulejos, com cata-vento de ferro, representando um galo. Fachada principal virada a S., com embasamento de cantaria, ladeada por aletas em cantaria aparente e terminada em empena e cimalha de cantaria com balanço, encimada por cruz. Portal ladeado por colunas com astrágalo, fuste superior estriado e assentes em estilóbatos, cimalha de balanço; 3 janelões superiores, sendo o central maior e mais decorado. Torre no alinhamento da fachada, com janelas fundas, quase frestas, de iluminação do baptistério e das escadas. No interior, coro-alto sobre mísulas entalhadas, com balaustrada de madeira, no qual se encontra o cadeiral; nave com soalho de madeira, paredes forradas a azulejos enxaquetados, com o terço superior ocupado por pintura vária com molduras de talha, coberta com tecto de madeira pintado sobre cornija de estuque; no lado do Evangelho, púlpito cilíndrico com balaustrada cega assente em 2 volutas, tudo em cantaria pintada em marmoreado e com baldaquino entalhado. Junto ao púlpito, confessionários duplos embutidos, que se repetem em frente. Ainda no lado do Evangelho, baptistério e as capelas do Sagrado Coração de Jesus e de Nossa Senhora da Boa Morte; no lado da Epístola, a capela do Santíssimo, o acesso aos serviços paroquiais e o cadeiral da Confraria do Santíssimo. O arco triunfal é encimado por frontão em arco abatido enquadrando uma alegoria a São Pedro e ladeado por 2 altares laterais em talha dourada e dedicados a Nossa Senhora da Candelária e Santa Luzia. A capela-mor apresenta altar assente em degrau elevado, com 3 degraus ao centro, retábulo de talha dourada, com complexo frontão encimado pelas armas reais, nichos laterais com baldaquinos entre colunas e profundo camarim com dossel. Paredes laterais revestidas a azulejos. Cobertura em abóbada de meia cana estucada, pintada com uma alegoria a Nossa Senhora. No lado do Evangelho tem acesso à sacristia geral, revestida a azulejos, com arcaz de alçado e importante lava-mãos em cantaria regional e, no lado da Epístola, à "sacristia dos cónegos", com importante acervo de pratas e imaginária.

Acessos

Funchal (São Pedro), Largo de São Pedro; Calçada de Santa Clara

Protecção

Categoria: VCR - Valor Cultural Regional, Resolução do Presidente do Governo Regional n.º 1071/93, JORAM, 1.ª série, n.º 124 de 27 de outubro 1993

Enquadramento

Urbano, com implantação destacada sobre a rua, sobre escadaria de 8 degraus e sobre a cidade através da sua alta torre, que se articula na paisagem com a de Santa Clara, do Colégio e da Catedral.

Descrição Complementar

Importantes capelas, duas das quais com imponentes arcos encimados por frontões, enquadrando o arco triunfal da capela-mor, à maneira de falso transepto: a capela do Santíssimo, totalmente coberta por fina talha vazada e dourada a enquadrar pintura sobre tela, paredes e tecto, onde sobressai o importante sacrário igualmente entalhado, de 3 andares e ainda encimado por uma Fénix, que se recorta sobre uma pintura de Nossa Senhora de Monserrate, primitiva evocação da capela; a capela de Nossa Senhora da Boa Morte, com talha mais simples, emoldurando pinturas sobre tela e paisagens sobre madeira, apresenta altar com colunas salomónicas a enquadrarem pintura central e nichos laterais encimados por baldaquinos e com a urna de Nossa Senhora sobre o altar. O tecto é estucado e pintado. Nos inícios do séc. 20 ainda foi levantada nova capela, com o espaço compartimentado por 2 balcões assentes numa estrutura de ferro pintada, vitrais e altar policromado com marmoreados. A igreja ainda possui mais 5 altares: os 2 colaterais, em volumosa talha dourada, com colunas salomónicas a enquadrarem nichos ovais profundos, assentes em predela onde sobressaem as importantes mísulas de suporte das colunas, enquadrando no altar da Candelária 2 pequenas telas atribuíveis à oficina de Martim Conrado e, no de Santa Luzia, 2 telas que parecem ter pertencido ao primitivo altar-mor. Junto a este altar subsiste um pequeno armário de parede, em cantaria vermelha insular, da primitiva construção; um na "sacristia dos cónegos", espaço revestido a azulejos, com altar entalhado e policromado, com a imagem do Senhor Crucificado, enquadrado por arcazes almofadados e frontal dourado e policromado a imitar brocado; o antigo altar do alçado da sacristia geral, onde esteve o célebre tríptico de São Pedro, São Paulo e Santo André, hoje no Museu de Arte Sacra e que ainda apresenta mais 2 pinturas laterais executadas sobre madeira. Por último ainda existe uma capela interior, junto aos serviços paroquiais, lajeada e dedicada a Nossa Senhora, com estuques pintados e balcão sobre a entrada, parcialmente desmontada e aguardando futura recuperação. De salientar ainda o magnífico cadeiral, com elementos escultóricos nos assentos e nas pilastras entre as cadeiras. INSCRIÇÕES: 1. Inscrição funerária gravada numa tampa de sepultura. Tipo de letra: capital quadrada.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Entalhadores: Manuel Pereira, Manuel Pereira de Almeida e Julião Francisco Ferreira; mestres das obras reais: Mateus Fernandes III, Jerónimo Jorge e Bartolomeu João; organeiros: B. Flight & J. Robson; outros: Rodolfo de Freitas Rosa e Manuel Francisco Migueis; pedreiro: Manuel Fernandes Rocha; pintores: Manuel Vieira, Martim Conrado e Nicolau Ferreira.

Cronologia

1556, 20 Jul. - alvará régio para se instalar em Freguesia a ermida de S. Pedro e o ordenado anual de 15$000, um moio de trigo e uma pipa de vinho a favor do 1º vigário, padre Gaspar Teixeira; 23 Jul. - alvará do cardeal Infante do mesmo teor; 1 Ago. - ordem do bispo D. frei Jorge de Lemos, então em Lisboa, do mesmo teor; 1579, 3 Mar. - alvará para se extinguir a Freguesia de S. Pedro e criar duas igrejas paroquiais no seu termo, uma em S. Roque e outra em S. Martinho; 1587, 24 Out. - alvará de Filipe II confirmando ordenado do vigário; 1588, 18 Ago. - alvará para se criarem três benefícios na igreja paroquial de S. Pedro; 6 Nov. - carta de apresentação de vigário na igreja do padre José Gonçalves; 1590, 14 Mar. - alvará de Filipe II para a construção da nova igreja de São Pedro sendo bispo, D. Luís Figueiredo de Lemos e vigário, Jerónimo Dutra; 1596, 5 Nov. - pagamento de umas casas térreas a Jorge Ferreira de 270 mil réis para levantamento da matriz de São Pedro; 1598, 15 Jul. - alvará de Filipe II de acrescentamento da fábrica da colegiada de São Pedro; 1604 - pagamento ao pintor Manuel Vieira, pelo altar-mor; 1605, 26 Jun. - referência a S. Pedro "o Velho"; 1610, 23 Jul. - alvará de Filipe III da mercê dos 3 sinos para a fábrica da colegiada de São Pedro; 1619, 13 Jun. - vereação camarária onde foi ordenado ao pedreiro Manuel Fernandes Rocha que consertasse o caminho de Santa Clara de onde tinha tirado a pedra para a construção da matriz de São Pedro; 1633 - data do cadeiral; 1640, 6 Fev. - instituição da Capela do Santíssimo por João de Moura Rolim; 1642, 31 Mar. - venda do terreno anexo à "capela do Senhor" de São Pedro pelo mestre das obras reais Bartolomeu João e sua mulher Madalena de Abreu Escórcia aos testamenteiros de João de Moura Rolim; c. 1650 - intervenção do pintor Martim Conrado de que ficaram as telas no altar da Candelária; 1661 - data da inscrição evocativa em pedra das primeiras obras da capela do Santíssimo; 1675, 14 Jun. - mandado do Conselho da Fazenda para se concertar o coruchéu da torre; 1680, 1 Abr. - mandado do Conselho da Fazenda para se arrematar a grimpa do coruchéu da torre da Igreja; 1675, 15 Set. - mandado do Conselho da Fazenda para ornamentos e para a remessa de um sino quebrado para se enviar um novo; 1709 - data de uma mesa da autoria de Carlos de Brónio dedicada a D. João V; 1710, 6 Nov. - mandado do Conselho da Fazenda para ornamentos; 1722 - descrição da matriz por Henrique Henriques de Noronha; 1733, 9 Out. e 1742, 12 Mai. - mandados do Conselho da Fazenda para a factura do retábulo e camarim da capela-mor, e portas, concerto das paredes e tecto da igreja; 1743 - data da reconstrução da capela do Santíssimo, inscrita na talha da janela; 6 Mai. - mandado do Conselho da Fazenda para remessa do sino grande quebrado para se fundir um novo; 1747, 20 Mai. - mandado do Conselho da Fazenda para se fazer o orçamento e arrematação da obra da sacristia, vestuário e patim do adro; 1749, 11 Set. - mandado do Conselho da Fazenda para se fazer a obra das molduras em dourado e os 4 painéis da capela-mor e para a remessa de pagamento das imagens de São Paulo e Santo André para o altar-mor; c. 1790 - reconstrução da capela de Nossa Senhora da Boa Morte pelo mestre entalhador Estêvão Teixeira de Nóbrega e pintor João Nicolau Ferreira; séc. 19 - feitura do órgão pelos organeiros B. Flight e J. Robson; 1815 - data da pintura do tecto da "sacristia dos cónegos"; 1878 - aquisição do órgão por Gray & Davison; 1900, 29 Dezembro - decide-se oferecer o lustre da sala de espectáculos do teatro da ciadade à Igreja de São Pedro; 1901, 16 Julho - o Diário Popular informa que o lustre foi dividido em oito para ilumuinação da igreja, pelos senhores Rodolfo de Freitas Rosa, com oficina na R. da Carreira, e Manuel Francisco Migueis, com oficina na R. da Princesa; 1904, 17 Jul. - data do orçamento da nova capela do Sagrado Coração de Jesus pelo engenheiro Adriano Augusto Trigo; 1940, 26 setembro - inventariação de três painéis (de São Paulo, São Pedro e Santo André) que se conservam na sacristia da igreja, pelo Decreto nº 30 762, publicado no DG, 1.ª série, n.º 225.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Cantaria mole e rígida regional aparente, alvenaria de cantaria regional rebocada, mármore, madeira (carvalho e outras), amarrações mistas de tirantes de madeira e de ferro, talha dourada e pintada, pintura sobre madeira e tela, vidro, prataria e ourivesaria, e telha de meio canudo.

Bibliografia

NORONHA, Henrique Henriques de, Genealogia... Ilha da Madeira, ano de 1700, São Paulo, Brasil, 1948; idem, Memórias Seculares e Eclesiásticas...1722, Funchal, 1997; CORDEIRO, padre António, História Insulana..., Lisboa, 1717, Ponta Delgada, 1981; SILVA, Padre Fernando Augusto da, Elucidário Madeirense, 3 vols., Funchal, 1945; SOUSA, João José de, A Freguesia de São Pedro do Funchal, Diário de Notícias, 2 Fev., 2 Mar. e 6 Abr. 1986; CARITA, Rui, A capela de São Paulo, Jornal da Madeira, Abr. a Out. 1985; idem, História da Madeira, vols. 1 e 2, Funchal, 1989 e 1991; VALENÇA, Manuel, A Arte Organística em Portugal, vol. II, Braga, 1990; CARITA, Rui, A Capela do Santíssimo da Matriz de São Pedro, Diário de Notícias e Jornal da Madeira, 7 Jul. 1991; idem, Património Cultural, A Freguesia de São Pedro. Um exemplo de trabalho, A Capela do Sagrado Coração de Jesus da Matriz de São Pedro, A devoção do padre Paiva, Diário de Notícias, Funchal, 8 Dez. 1991 e 15 Mar. 1992; FERNANDEZ, Juan, Enquanto não chegam os subsídios regionais, Paróquia solicita apoio à Europa para recuperar igreja de São Pedro, Diário de Notícias, Funchal, 22 Abr. 1992; LIZARDO, Branca Maria Palla, Raridade iconográfica na pintura mural da igreja de São Pedro, revista do Diário de Notícias, 4 Jul. 1993, pp. 17 a 19; PEREIRA, Fernando António Baptista, Museu de Arte Sacra do Funchal, Arte Flamenga, Lisboa, 1997; CARITA, Rui, Arquitectura Militar da Madeira, séculos XV a XVII, tese de doutoramento, 1993, Lisboa / Funchal, 1998; CARITA, Rui e TRUEVA, José Manuel de Sainz, Itinerário Cultural do Funchal, Funchal, 1998; CARITA, Rui, A Freguesia de São Pedro do Funchal, Funchal, 1999 (em preparação).

Documentação Gráfica

Mapoteca do IGC (planta do Funchal de Reinaldo Oudinot, 1804), Lisboa; GR / Equipamento Social e DRAC, Funchal

Documentação Fotográfica

Museu Vicentes Photographos, antiga Junta Geral e DRAC, Funchal; IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

AN/TT, Convento de Santa Clara, Provedoria da Fazenda do Funchal e Chancelaria da Ordem de Cristo; BNLisboa, Resíduos e Capelas da Madeira, ARM, CMF e Juízo dos Resíduos e Capelas, Arquivo Eclesiástico do Paço Episcopal, Arquivo da Freguesia de São Pedro, Funchal; IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Fábrica paroquial: 1991 / 1992 - recuperação geral das talhas do altar-mor, cujo camarim ruíra, com apoio do Fundo Social Europeu; consolidação das estruturas do coro; 1992 / 1994 - levantamento de todo o sistema de coberturas e consolidação do coruchéu da torre; 1998 - limpeza e consolidação das 4 telas do tecto da capela do Santíssimo (atelier da Zona Velha). Fábrica da Igreja Paroquial: 2000 - protecção por meio de vidro da tampa sepulcral de João de Moura Rolim, existente no pavimento da Capela do Santíssimo.

Observações

Em 1989 foi feito levantamento sumário dos bens, entregue na Paróquia de São Pedro, para a qual se encontra em elaboração um trabalho de divulgação alargado a imprimir em 1999. O método de preservação da tampa sepulcral de João de Moura Rolim, situada na capela do Santíssimo, criado pelo senhor cónego Ernesto Fernandes de Freitas, deveria ser seguido, sempre que possível, para proteger as epígrafes localizadas em pavimentos.

Autor e Data

Rui Carita 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login