Igreja Paroquial de São Manços / Igreja de São Manços / Capela de São Manços

IPA.00003949
Portugal, Évora, Évora, União das freguesias de São Manços e São Vicente do Pigeiro
 
Ermida de provável fundação medieval, construída hipoteticamente no período muçulmano, no contexto cultural moçárabe e evidenciando a influência islamo-bizantina; este primitivo templo, de planta central em cruz grega, foi totalmente remodelado nos finais de quinhentos ou inícios de seiscentos, sendo-lhe acrescentada uma nave e nartex conderindo-lhe o carácter de igreja paroquial com uma planimetria longitudinal com transepto saliente e ábside quadrada *1. No interior pinturas murais barrocas as da capela-mor de inferior qualidade. Testemunho do local para onde a tradição hagiográfica remeteu o martírio de São Manços, discípulo de Cristo, apóstolo da Lusitânia e lendário primeiro Bispo de Évora, em cuja Catedral desde época medieval muito remota, teve honras do calendário litúrgico e dos rituais, aos quais André de Resende, revisor e editor do Breviário Eborense, prestou especial atenção; o lugar de São Manços foi uma das mais antigas herdades do Cabido da Sé, amplamente documentada nos respectivos cartulários. A cúpula da ábside forrada por abóbada de berço deixando nos entreforros a estrutura cupular, lanterna do cruzeiro da primitiva ermida medieval.
Número IPA Antigo: PT040705080065
 
Registo visualizado 295 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave rectangular, nartex, transepto saliente, capela-mor de planta quadrada, capela baptismal e capela lateral. Cobertura diferenciada telhado de duas águas na nave, em cúpula esférica na ábside, revestida por telhado radial de quatro águas de telha lusa, em telhado de 3 águas no cruzeiro. Fachadas edificadas em grandes blocos de silharia de granito, como se vê na parede da testeira. Fachada principal com o nártex de três vãos de arcaria de volta abatida, rematada nos cunhais por fortes pilares. INTERIOR: ábside coberta por abóbada de berço, deixando nos entreforros a estrutura cupular. Na Capela baptismal abóbada de meia esfera decorada por pinturas murais em tons de azul com a pomba do Espírito Santo. Na capela lateral da Epístola, depois da remoção de um altar de talha de estilo neo-clássico ai colocado, ficou à vista o que resta de uma decoração mural que acompanhava e rematava um altar barroco de época anterior; na parede fundeira desta capela a pintura é limitada, no seu interior por uma estreita barra de cor ocre que acompanharia o recorte do retábulo desenhando, assim, o contorno do antigo retábulo; a decoração pictórica, nesta parede é constituída por enrolamentos vegetalistas, folhas de acanto, em tons ocre e cinzento azulado, e de grande volume; na abóbada subsiste decoração pictórica da mesma época, de pequenos caixotões em trompe l'oeil, organizados em diagonal com uma pequena roseta ocre em cada um dos caixotões; quando atinge a zona vertical da parede, esta decoração é limitada por uma moldura fingida com elementos vegetalistas, simulando uma imposta, continuando para baixo com o mesmo tipo de elementos que se encontram na parede fundeira. Na abóbada da capela-mor, no espaço compreendido entre o retábulo de talha dourada e a parede fundeira, subsiste decoração por elementos vegetalistas e folhas de acanto gordas em tons de vermelho e verde

Acessos

Estrada Nacional de Évora a Beja, andados quatro quilómetros após abandonar a estrada de Reguengos de Monsaraz, encontra-se a aldeia de São Manços

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 26-A/92, DR, 1.ª série-B, n.º 126 de 1 de junho de 1992

Enquadramento

Semiurbano. No termo de povoação do aro rural de Évora, junto de um pequeno ribeiro, em plena planície. No adro, o Cruzeiro dr São Manços (v PT040705080055).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Évora)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 08 - 12 - data provável da edificação de uma primitiva ermida de planta em cruz grega; séc. 16 - 17 - profundamente remodelada tendo-se acrescentado a nave e o nartex, ficando o anterior templo a servir de capela-mor, tendo-se para o efeito sacrificado um dos braços da cruz; 1957 - Túlio Espanca refere na cúpula da capela baptismal pinturas murais do séc. 18, com motivos naturalistas, actualmente encobertas pela pintura recente figurando a Pomba do Espírito Santo.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma. pintura mural a fresco na capela lateral da Epístola e a seco nos restantes espaços.

Materiais

Alvenaria, grandes blocos de silharia granítica

Bibliografia

GUSMÃO, Armando Nobre de, Subsídios para a História da Santa Casa da Misericórdia de Évora, Vol I e II, 1958; ESPANCA, Túlio, A Rainha D. Leonor e a Misericórdia de Évora, in A Cidade de Évora, 39/30, 1958; SMITH, Robert, A Talha em Portugal, Lisboa, 1963; ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Évora , vol. VI, Lisboa, SNBA, 1966; Património Arquitectónico e Arqueológico, Inventário, vol. I, Distrito de Évora, Lisboa, 1993.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; Arquivo " Mural da História "

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

IPPAR/ Serviços de Arqueologia do Sul: 1989 - intervenção arqueológica de emergência.

Observações

EM ESTUDO. *1 - uma análise arqueológica atenta do pequeno edifício da ábside, informada pelas recentes descobertas, sugere que o templo actual repousa sobre edificação anterior ao período visgótico.

Autor e Data

Manuel Branco 1993 / Joaquim Caetano 2005

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login