Casa da Cerca e Capela das Carrancas

IPA.00003754
Portugal, Viseu, Castro Daire, Castro Daire
 
Paço episcopal barroco, composto por palácio, fonte e, com acesso por escadaria de lanços divergentes e convergentes com guarda balaustrada e com plintos almofadados, de forte efeito cenográfico, uma capela, de planimetria octogonal, não muito comum na região. É de planta retangular evoluindo em um, dois e três andares, adaptando-se ao desnível do terreno, com fachada principal ostentando portal armoriado, encimado por janela de sacada. Alçados rasgados por várias janelas de diferentres perfis, horizontais no inferior e em arco abatido com cornija contracurvada no superior, marcando a importância do andar nobre. Fonte de nicho, enquadrada por pilastras, com cobertura em abóbada de berço, tanque quadrangular e duas bicas em forma de carranca. Capela de planta centralizada, octogonal, com profusão decorativa no pórtico, em contraste com a singeleza do resto do imóvel. Fonte possui fachada de alvenaria irregular, dando o aspecto de gruta artificial.
Número IPA Antigo: PT021803040010
 
Registo visualizado 153 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Paço eclesiástico  Paço episcopal  Tipo planta retangular

Descrição

Conjunto composto por casa, fonte e capela. CASA de planta rectangular irregular, com disposição horizontalista das massas e coberturas a uma e quatro águas, evoluindo em um, dois e três andares, adaptados ao declive do terreno. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com embasamento em cantaria, delimitadas por cunhais apilastrados e remates em friso e cornija. Fachada principal voltada a S., rasgada por portal de arco abatido encimado por frontão interrompido por brasão de armas, duas pequenas fenestrações rectangulares e, sobre estas, duas janelas de guilhotina. No enfiamento do portal de entrada, janela de sacada com varanda de balaústres e remate em cornija, ladeada por janelas rectangulares de guilhotina, também com cornija curva. A fachada forma pequeno ressalto e na face que com esta faz ângulo de 90º, existe nicho de planta convexa, com pilastras, friso, frontão interrompido com escudo e cruz e encimado por espaldar com cornija contracurvada. No nicho, azulejo a azul e branco representando a "Lamentação de Cristo Morto" *1. Sobre o nicho, janela de recorte igual às do último piso. No ressalto, sucedem-se, verticalmente, óculo, janela quadrangular e janela de guilhotina com cornija curva, todas com moldura de cantaria. Alçado E. com porta de acesso ao actual auditório municipal, janelas rectangulares e porta da instalação para habitação dos quadros superiores da entidade bancária, protegida por pequeno alpendre. Alçado N. com pequena fenestração rectangular e, em nível superior, três janelas de guilhotina iguais às do piso superior dos restantes alçados. Alçado O. com três níveis. No térreo, três pequenas fenestrações rectangulares. No seguinte, porta e dez janelas rectangulares de guilhotina. No superior, onze janelas com tímpano e pequeno óculo. INTERIOR com modernas instalações bancárias, que respeitaram apenas a volumetria do imóvel. Do lado E., residências para os quadros bancários. Para N. e O. amplo salão que serve de auditório municipal, bem como gabinetes administrativos. No piso térreo, funciona o museu municipal. FONTE denominada das Carrancas, com acesso por seis degraus em círculo, composta por tanque quadrangular inserido em nicho com acesso por arco de volta perfeita, assente em pilastras, e abobadado, com duas bicas em forma de carranca. Da fonte, partem quatro lanços de escadas divergentes e convergentes, com guarda de balaústres e plintos almofadados, sobre os quais surgem pináculos em forma de urna e de bola. O muro prolonga-se, formando o pequeno adro da CAPELA, dedicada a São José *2, de planta octogonal, simples e regular, coincidente exterior e interiormente. De massa simples e disposição verticalista, com cobertura homogénea a oito águas, encimada por cruz. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com os ângulos definidos por cunhais de cantaria e remates em friso e cornija. Fachada principal voltada a O., rasgada por pórtico de arco abatido com tímpano recortado, sobre o qual se encosta óculo com tímpano de igual recorte. Dois óculos e igual número de janelões rasgam quatro das faces. Numa delas, vestígios de porta, actualmente entaipada. INTERIOR com acesso por porta rectangular ladeada, ao topo, por duas mísulas e encimada por óculo. Depois de uma face cega de cada lado, altares laterais, fronteiros entre si, de arco a pleno centro, encimados por óculo. Nas faces seguintes uma porta falsa de arco abatido e do outro uma que serve de armário. Sobre elas, dois janelões rectangulares. O altar-mor insere-se num arco a pleno centro, definido por pilastras da ordem colossal. Cobertura de madeira, oitavada.

Acessos

Largo D. Manuel de Vasconcelos Pereira, Rua das Carrancas

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto n.º 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982

Enquadramento

Urbano, a meia encosta mas assente em plano horizontal por plataforma artificial, isolado, junto a edifício de arquitectura modernista, abrindo para amplo largo, surgindo, na fachada E. da casa, um pequeno jardim murado, com amplo portão de acesso com grade de metal. É formado por vários canteiros com flores e árvores de maior porte. Sobre a fonte, junto à capela, árvores de grande porte, nomeadamente duas palmeiras.

Descrição Complementar

No lado direito da fonte, surge uma lápide, com a inscrição: "PARÓQUIA DE / CASTRO DAIRE / AGRADECE À FAMÍLIA / DR. ANTÓNIO A.T. LACERDA / PINTO / 1991".

Utilização Inicial

Residencial: paço eclesiástico

Utilização Actual

Cultural e recreativa: museu / Política e administrativa: departamento municipal / Serviços: banco

Propriedade

Pública: municipal / Privada: sociedade

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1776 - mandado construir por D. Manuel de Vasconcelos Pereira ( 1731-1786 ), bispo de Lamego, para sua residência; séc. 20, década de 90 - reconstruído e adaptado às novas funções.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes e estrutura mista.

Materiais

Granito, rebocos e madeira

Bibliografia

COSTA, M. Gonçalves da, História do Bispado e Cidade de Lamego, Lamego, 1992; CORREIA, Alberto, ALVES, Alexandre, VAZ, João Inês, Castro Daire, Castro Daire, 1995; CORREIA, Alberto, Castro Daire - Roteiro Turístico, Castro Daire, 1995.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

CMCastro Daire: séc. 20, anos 90 - restauro geral.

Observações

*1 - o nicho do corpo lateral da fachada principal comportava, primitivamente, quadro a óleo representado um dos passos da Via Sacra. *2 - era primitivamente denominada capela de Santa Bárbara.

Autor e Data

João Carvalho 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login