Povoado a sudeste do Castelo de Castro Laboreiro

IPA.00003543
Portugal, Viana do Castelo, Melgaço, União das freguesias de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro
 
Aglomerado urbano. Povoado alti-medieval. Povoado aberto com construções roqueiras organizadas no interior de cercados, com vestígios de uma estrutura de defesa muito fruste, a norte e a sul, os acessos mais vulneráveis, constituída pela justaposição de grandes blocos graníticos muito irregulares. As habitações assemelham-se às construções mais arcaicas das inverneiras da freguesia, tendo como nota distintiva essencial terem sido cobertas com telha plana. O povoado não revela quase nenhum espólio arqueológico e cerâmico.
Número IPA Antigo: PT011603020025
 
Registo visualizado 537 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoado  Povoado medieval    

Descrição

Conjunto de estruturas retangulares, definidas no terreno pelo alinhamento de blocos graníticos. Organizam-se ao longo de uma chã situada a meia encosta, na sua maioria delimitadas por um cercado que bordeja um caminho que atravessa a chã no sentido norte - sul. Para norte deste caminho e para sul e sudoeste da chã, outras estruturas do mesmo tipo adossaram-se aos afloramentos rochosos e aproveitaram pequena plataformas formando um conjunto de aspecto roqueiro muito dissimulado na paisagem. Em toda esta área descobrem-se restos de grandes telhas planas que constituiriam a cobertura destas construções.

Acessos

Castro Laboreiro, da Igreja Paroquial em direcção sul, à Portela da Vila, rua junto ao forno da vila, calçada até ao antigo largo da feira de gado e caminho de pé posto pela meia encosta

Protecção

Incluído no Parque Nacional da Peneda do Gerês

Enquadramento

Rural. Implanta-se na meia encosta SE. do morro em cujo topo se ergue o castelo de Castro Laboreiro. Sobranceiro ao rio Laboreiro, que corre a E., encaixado e a uma cota mais baixa. Domina visualmente o vale para S. e fica distante das actuais habitações e campos. A cobertura vegetal dominante de toda a área é composta por urzes e tojos.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Época Construção

Época medieval

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Séc. 06 - 07 - época provável de estruturação do habitat; séc. 10 - 11 - época provável de abandono do habitat;

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes

Materiais

Estruturas de granito.

Bibliografia

BAPTISTA, A. Martinho, Monumentos Arqueológicos do Parque Nacional. A Torre Grande (Lindoso). Juríz, 6 - 7, Braga, 1990, p. 9 - 11; LIMA, Alexandra C. P., Castro Laboreiro - Serra da Peneda. Sistemas de povoamento e ocupação do espaço, Actas 1º Congresso de Arqueologia Peninsular, vol. 4, Trabalhos de Antropologia e Etnologia, vol. 35 (2), 1994, p. 403 - 415; idem, Castro Laboreiro. Povoamento e organização de um território serrano, Cadernos Juríz - Xurés, PNPG, 1996.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1970, década de - Escavação de uma das construções e desenho de parte das estruturas da responsabilidade do arquitecto Roberto Leão; 1992 / 1994 / 1995 - Trabalhos de prospecção arqueológica, limpeza de matos e desenho das estruturas da responsabilidade do PNPG. Continuação da intervenção arqueológica em curso por parte do PNPG e criação de circuito de visita.

Observações

*1 - As paredes encontram-se todas ao nível da primeira fiada no entanto, em planta, as construções estão perfeitamente definidas. *2 - Dimensões da chã onde as construções apresentam uma organização bem definida.

Autor e Data

Paulo Dordio 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login