Ermida de Santo Amaro

IPA.00034742
Portugal, Ilha de São Miguel (Açores), Vila Franca do Campo, Vila Franca do Campo (São Pedro)
 
Arquitetura religiosa, setecentista. Ermida de planta retangular composta por nave e capela-mor, interiormente com iluminação axial e lateral, tendo adossado campanário e sacristia. Fachadas com soco e pilastras toscanas nos cunhais, a principal com pináculos, terminada em frontão recortado, e rasgada por portal e janela polilobados, com molduras ladeadas por pilastras almofadadas, sustentando cornijas de perfil contracurvo, que se interligam. A modinatura dos vãos da frontaria contrastam nitidamente com os da fachada lateral direita, retilíneos e mais simples, correspondendo a janelas e porta travessa de verga reta encimada por friso e cornija.
 
Registo visualizado 414 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta retangular composta de nave e capela-mor, tendo adossado à fachada lateral esquerda campanário e sacristia retangular. Volumes escalonados com coberturas em telhados de duas águas, rematadas em beirada dupla. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por soco de cantaria, com pilastras toscanas nos cunhais e terminadas em friso e cornija. Fachada principal virada a NE., com o soco biselado, as pilastras coroadas por pináculos, e terminada em frontão recortado, definido por volutas, coroada por cruz latina de braços quadrangulares rematados em botão, sobre acrotério; no tímpano possui elemento de cantaria com concheados recortados e elementos fitomórficos. É rasgada por portal polilobado, com múltiplas molduras e ladeado por pilastras almofadadas, sustentando cornijas de perfil contracurvo; sobre este, abre-se janela com o mesmo perfil, existindo a interligar os dois vãos dupla moldura convexa de perfis apontados e invertidos. Sensivelmente recuado, surge à esquerda, o campanário, de dois registos separados por friso, abrindo-se no segundo, sineira em arco de volta perfeita, sobre pilastras, albergando sino, e rematando em friso e cornija sobreposto por espaldar volutado. Fachada lateral direita com a nave rasgada por porta travessa de verga reta, com moldura terminada em cornija e encimada por friso e cornija, e janela retangular, e a capela-mor por uma outra semelhante, ambas com moldura percorrida por frisos. A fachada posterior da nave termina em empena.

Acessos

Vila Franca do Campo (São Pedro); Rua de Santo Amaro

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, adossado, em plataforma sobrelevada ao arruamento que corre paralelo à fachada lateral direita, possuindo do lado oposto e frontalmente adro vedado por muro, pavimentado a cantaria, com acesso lateral por portão de ferro. Nas imediações implanta-se o cemitério de Vila Franca do Campo.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: ermida

Utilização Actual

Religiosa: ermida

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Angra)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1522, depois - provável construção da capela de Santo Amaro após o terramoto, que já é referida por Gaspar Frutuoso, localizada à porta de Miguel da Grãa, na sua fazenda, e possivelmente construída por ele, no local chamado Relva, de Vila Franca do Campo, sendo propriedade de particulares; 1672 - o padre Manuel de Sousa Novais, cura de São Pedro, deixa para a ermida um quarteiro de trigo, sendo então ermida pública e tendo uma Irmandade; 1684, 01 outubro - o padre Miguel Tavares da Rocha deixa à ermida em testamento 15 cruzados; séc. 18 - época provável da reforma da igreja conferindo-lhe o aspeto exterior atual; 1811 - visita paroquial do então bispo de Angra, D. José Pegado de Azevedo, aludindo que na ermida não lhe havia sido apresentado "nem licença de nossos predecessores, nem testemunho autêntico de como foram visitadas e aprovadas", dando então seis meses para que tais documentos fossem apresentados, o que assim se fez; refere ainda que a ermida é muito visitada e objeto de romarias aquando da festa do orago; 1832 - a ermida então designada de Santo Amaro de Além é interdita ao culto por ser utilizada como quartel às tropas de D. Miguel de Bragança, durante a Guerra Civil Portuguesa, falando-se que havia sido profanada por soldados que por ali se juntavam com prostitutas; 1833 - levantamento da interdição após a vistoria do Ouvidor eclesiástico, em nome do Governador do Bispado, por ter tudo o que necessita para o culto; 14 janeiro - nova bênção da capela.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada de branco; soco, frisos, cornijas, molduras dos vãos, pináculos, cruz e elementos decorativos em cantaria de basalto; portas e caixilharia de madeira; vidros simples; cobertura de telha.

Bibliografia

COSTA, Carreiro da - História das Igrejas e Ermidas dos Açores. Ponta Delgada: Tipografia Jornal Açores, 1955; DIAS, Urbano de Mendonça - História das Igrejas, Conventos e Ermidas Micaelenses - I. Vila Franca de Campo: Tipografia “A Crença”, 1949; "Ermida de Santo Amaro (Vila Franca do Campo), (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ermida_de_Santo_Amaro_(Vila_Franca_do_Campo)), [consultado em 02-07-2013]; "Ermida de Santo Amaro (Vila Franca do Campo), (http://www.rotasturisticas.com/visit.php?op=&op1=&ftpais=&ftreg=&lista=14394), [consultado em 02-07-2013].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO.

Autor e Data

Paula Noé 2013

Actualização

João Faria 2014 (no âmbito da parceria IHRU / Diocese de Angra)
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login