Ermida de Nossa Senhora do Monte

IPA.00034706
Portugal, Ilha de São Miguel (Açores), Lagoa, Água de Pau
 
Ermida construída na primeira metade do séc. 20, por iniciativa privada na sequência da aparição da Virgem a duas crianças e à posterior doença de uma delas. Apresenta planta invulgar, composta por nave, capela-mor e sacristia, facetadas, interligadas por corpos retangulares mais baixos, com coberturas facetadas, a da capela-mor sobreposta por lanternim com alto tambor vazado por arcos, interiormente com iluminação axial e bilateral. As fachadas têm os elementos estruturais e decorativos sublinhados a policromia de sabor popular e possuem os panos rasgados por vãos retilíneos, protegidos por rótulas de madeira, alternados com apainelados estreitos, todos de ângulos recortados e topos curvos. A fachada principal termina em empena sobreposta por cruz e elementos volutados vazados sobre a cobertura, e é rasgada por portal de igual modinatura e óculo quadrilobado. No interior possui retábulo convexo revivalista.
 
Registo visualizado 405 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta composta por nave e capela-mor facetadas, interligadas por corpo retilíneo, tendo adossado à fachada lateral direita sacristia, também facetada e interligada por corpo retilíneo. Volumes articulados com coberturas facetadas, coroadas por pináculos, o da capela-mor por lanternim. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com faixa, friso do remate, cunhais, molduras dos vãos e elementos decorativos sublinhados a azul celeste. Fachada principal virada a sudoeste, com pano central terminado em empena, coroado por cruz latina sobre acrotério, flanqueada por acantos estilizados vazados sobre a cobertura. É rasgado por portal de verga reta, com moldura recortada superiormente, encimada por óculo quadrilobado entre motivos recortados. Os panos laterais são rasgados por janelas de moldura recortada, protegidos por rótulas de madeira, pintadas de vermelho, e os intermédios com apainelados estreitos, de topos curvos, semelhantes a vãos entaipados. Os corpos entre a nave e capela-mor, mais baixos, têm também apainelado semelhante, mas seccionado a meio. O corpo da capela-mor apresenta esquema semelhante à nave, tendo três panos rasgados por janela e dois com apainelados. Sobre a cobertura ergue-se lanternim facetado, vazado por vãos em arco de volta perfeita, de alturas diferentes em ritmo alternado, rematado em cornija e em pináculo adelgaçado sobre plinto cilíndrico vazado. Sacristia com panos marcados por janelas de moldura recortada, uma delas entaipada, outra igual à da nave, com apainelados intermédios. INTERIOR com as paredes rebocadas e pintadas de branco. Na capela-mor existe retábulo-mor, em talha pintada, de corpo convexo, e um eixo, definido por duas pilastras de ângulo, de fuste decorado por motivos ondulados, assentes em mísulas e prolongadas no remate da estrutura em arquivolta de igual decoração, com fecho saliente e remate vazado. Ao centro, abre-se nicho, em arco de volta perfeita, interiormente albergando imagem do orago, ladeado por motivos vegetalistas. Sob o nicho integra sacrário, com porta ornada de cruz de Cristo e elementos vegetalistas. As ilhargas do retábulo possuem mísulas com imaginária e medalhões.

Acessos

Água de Pau; Rua do Pico de Cima WGS84 (graus décimais) lat.: 37,719741; long.: -25,509750

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, no cimo do Monte Calvário, com 738 m de altitude, sobranceiro à povoação, numa plataforma aplanada, formando adro, de planta triangular, delimitado por muro rebocado e pintado de branco e com faixa azul. O adro possui pavimento de terra e, à volta da capela, uma faixa de cimento. Na fachada posterior e já fora do adro existe lápide com inscrição alusiva à sua construção. Numa cota superior do monte, ergue-se ampla cruz luminosa, sobre plinto paralelepipédico.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: ermida

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Angra)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ENGENHEIRO: Floriano Victor Borges (1920, década). MESTRES: Francisco Araújo (1920, década); José Luís Germano (1920, década); José Luís "Comprido" (1920, década).

Cronologia

1918 - segundo a tradição a Virgem aparece a duas crianças da vila de Água de Pau; 18 setembro - Maria Joana Tavares do Canto, uma das meninas, filha de Teófilo Tavares do Canto e Isolina Adelaide Soares, adoece gravemente; 06 outubro - falecimento de Maria Joana, com 18 anos; Teófilo Tavares do Canto e Isolinda Adelaide Soares mandam construir a ermida no local onde se dera a aparição de Nossa Senhora à sua filha; o projeto é entregue ao Engenheiro Floriano Victor Borges e a construção é feita pelos mestres José Luís Germano, José Luís "Comprido" e Francisco Araújo; 1931, setembro - conclusão da construção da capela; 1998 - a Associação Cristo Jovem ergue atrás da ermida uma cruz de luz brilhante azul, com 7,38 metros, correspondendo aos 738 metros de altitude do Monte Calvário.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada; placas de betão; cunhais, faixa, frisos, cornijas, molduras dos vãos em massa pintada; portas e rótulas de madeira; retábulo de talha pintada.

Bibliografia

SOUSA, Roberto - Água de Pau - Saudades. Água de Pau: Junta de Freguesia de Água de Pau, 2002; "Ermida de Nossa Senhora do Monte" (http://cm-lagoa.azoresdigital.pt/default.aspx?module=ArtigoDisplay&ID=879), [consultado em 02 julho 2013].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

João Faria (no âmbito da parceria IHRU / Diocese de Angra) 2014 / Paula Noé 2015

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login