Capela de Santa Ana / Ermida de Santa Ana

IPA.00034443
Portugal, Ilha Terceira (Açores), Angra do Heroísmo, Vila de São Sebastião
 
Capela de fundação quinhentista, sendo normalmente considerada como uma das mais antigas da ilha, reformada no séc. 17 e no 19 e 20, períodos últimos de que deve datar o recorte da empena e das molduras dos vãos, formados por côncavos, e a colocação da cartela inscrita. Apresenta planta retangular composta por nave e capela-mor, interiormente com iluminação axial, tendo adossado à fachada lateral direita sacristia. A fachada principal termina em empena recortada, com cunhais apilastrados coroados por pináculos e é rasgada por porta e janela retilínea de moldura recortada, encimada por cartela datada, com os elementos estruturais e decorativos sublinhados a policromia cinzenta, de sabor popular. A sineira dispõe-se sobre muro adossado à capela.
Número IPA Antigo: PT071901150126
 
Registo visualizado 412 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta retangular composta por nave e capela-mor, tendo adossado à fachada lateral direita sacristia retangular. Volumes escalonados com coberturas em telhados de duas águas na capela e de uma na sacristia, rematados em beirada simples. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, a principal com o embasamento e os vários elementos estruturais e decorativos sublinhados a cinzento. Fachada principal virada a O., de cunhais apilastrados, coroados por pináculos piramidais, e terminada em empena com côncavos laterais, coroada por cruz trevada sobre acrotério. É rasgada por porta e janela retilínea, ambas de moldura recortada, encimada por filactera enrolada criando círculo, com aletas e acantos, sobreposta por instrumentos agrícolas. À direita, dispõe-se pano de muro retilíneo, sobreposto por sineira, em arco de volta perfeita, sobre pilastras almofadadas, desnuda, e rasgado por vão reto de ligação à sacristia, que surge recuada. A sacristia, termina em meia empena e é rasgada por porta de verga reta sem moldura. No INTERIOR possui púlpito e capela tipo gruta.

Acessos

Vila de São Sebastião; Largo da Fonte

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, adossado, sobre elevado penhasco, denominado de Rochão da Fonte, sobranceiro a amplo terreiro onde se ergue a fonte de Santa Ana (v. PT071901150041). Insere-se em adro, vedado por muro, acedido por escada. À fachada lateral esquerda adossa-se corpo de uma água, mais baixo. O afloramento rochoso possui frontalmente pequena gruta, formada por pedras caiadas, fechada por porta envidraçada, albergando no interior imagem de Nossa Senhora de Fátima. Sobre o nicho e o muro do adro, existe plinto paralelepipédico, sobreposto por cruz latina, de braços quadrangulares, simples, pintada de cinzento. Num plano inferior, ao nível do terreiro, existe caixa de água quadrangular, com cobertura piramidal. A cerca de 200 metros para O., ergue-se a Igreja Paroquial de São Sebastião (v. PT071901150002).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: ermida

Utilização Actual

Religiosa: ermida

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Angra)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 17 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1454, cerca - época provável para a construção da primitiva capela de Santa Ana por Jácome de Bruges, no lugar designado de Porta Alegre na vila de São Sebastião, formando uma freguesia com trinta oradores; ao pároco eram encomendadas missas e trinitários, ou seja, legados de São Gregório, durante os quais ele habitava na ermida para rezar pelos defuntos; 1559 - devido aos abusos, simonias e comércios ilícitos durante os sufrágios, o bispo D. Frei Jorge de Santiago elabora as Constituições do Bispado de Angra, emendando alguns abusos; 1568 - já não existia a freguesia devido ao vigário não ter sido contemplado com o aumento de côngruas concedido a outras freguesias; porque o lugar de Porta Alegre estava abandonado e a ermida não oferecia segurança, as alfaias da capela foram incorporadas na igreja paroquial de São Sebastião; 1568 - construção da capela de Santa Ana no interior da povoação de São Sebastião, por ordem de João Fernandes dos Fenais e sua mulher Maria Fernandes Corte-Real, onde foi colocada a imagem do orago da primitiva capela; séc. 17, 1º quartel - durante o bispado de D. Agostinho Ribeiro segundo, a capela tinha 8 alqueires de renda anual e uma associação de devotos que a ajudava; o Visitador determina vários arranjos devido à ermida estar muito danificada e "um frontal de carmezim ou tafetá branco", bem como inventariar os seus bens de raiz, estipulando-se a instituição de uma confraria ou irmandade com os seus estatutos, debaixo da proteção eclesiástica; posteriormente a capela foi profanada para servir de aquartelamento; 1695 - data inscrita na frontaria; 1834, 30 agosto - benzida de novo a capela; 1926 - data inscrita na frontaria; 1930 - até esta data, as festividades eram promovidas por uma comissão independente da interferência do pároco, passando então a funcionar dois grupos: um encarregado das solenidades religiosas e o outro das solenidades profanas; 1939 - esteva vedada ao culto devido à imagem do orago (uma moderna, desconhecendo-se o paradeiro da anterior) estar a ser reparada pelo artista Maduro Dias e serem necessários consertos na capela; 1961, 13 outubro - consagração de Nossa Senhora de Fátima, levada a cabo debaixo de chuva e com a assistência de milhares de fiéis; 1963 - construção do cruzeiro junto à capela com imagem de Nossa Senhora de Fátima num nicho, feito com pedras que restaram das obras da igreja; 1965, 26 julho - a partir desta data a festa do orago é feita na igreja, razão pela qual se muda a imagem para lá nesta data; 1976 - carecia de beneficiações interiores.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada; embasamento, cunhais frontais, frisos, cornijas, molduras dos vãos, pináculos, cruz e outros elementos exteriores pintados; porta de madeira; cobertura de telha.

Bibliografia

LUCAS, padre Alfredo - As Ermidas da ilha Terceira. Angra do Heroísmo: 1976; MERELIM, Pedro de - As 18 paróquias de Angra. Sumário Histórico. Angra do Heroísmo: tipografia Minerva Comercial, 1974; SAMPAIO, Alfredo da Silva - Memória Sobre a Ilha Terceira. Angra do Heroísmo: Imprensa Municipal, 1904.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Proprietário: 1926 - data provável da feitura de obras, devido à inscrição da frontaria; 1939 - restauro da imagem do orago e da capela.

Observações

EM ESTUDO. *1 - Santa Ana é a padroeira dos lavradores da freguesia de São Sebastião. *2 - Parece que foi na ermida de Santa Ana que Frei João da Ribeira, Prelado dos Religiosos Franciscanos, batizou Gaspar Gonçalves Machado Ribeira Seca, filho de Gonçalo Anes da Fonseca e de D. Mécia de Andrade Machado.

Autor e Data

Paula Noé 2013

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login