Império do Espírito Santo do Meio da Rua

IPA.00033777
Portugal, Ilha Terceira (Açores), Angra do Heroísmo, Ribeirinha
 
Arquitetura religiosa, oitocentista. Império de planta retangular, interiormente de espaço único, construído sobre soco, mais largo que o corpo do império, delimitado por guarda vazada, precedido por escada, com painéis figurativos alusivos às festas do Espírito Santo pintados. Apresenta a fachada principal rematada em frontão polilobado sobre platibanda plena, sobreposto por coroa do Espírito Santo, estruturada e seccionada por três eixos de vãos, correspondendo a porta entre janelas, tendo estas guarda de peito em ferro e, inferiormente, pano de peito almofadado, sendo os elementos estruturais e decorativos sublinhados por policromia azul, vermelho, verde e amarelo, de sabor popular. As fachadas laterais, igualmente terminadas em platibanda plena, são estruturadas por vãos semelhantes, mas em número de dois. Possui nos cunhais pilastras caneladas assentes em bases e os vãos são em arco trilobado, com molduras de diferentes cores, intercalados superiormente por falsos plintos que se prolongam para a platibanda, seccionado as fachadas, que nas laterais são coroadas por pináculos. No entablamento possui cartela com a data da construção e no tímpano cartela com pomba do Espírito Santo e florões relevados. A sua estrutura e decoração devem ter influenciado o Império da Serra, construído na mesma povoação (v. PT071901080090). Destaca-se por ter sido o único Império da Terceira onde existiu a figura dos "esmoleiros", quatro mordomos vestidos de igual, portando um bordão pintado de cores garridas e um saco de linho bordado à mão, para transportar o trigo, aquando do peditório para o Segundo Bodo (Domingo da Trindade) do Divino Espírito Santo.
Número IPA Antigo: PT071901080088
 
Registo visualizado 1721 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Império    

Descrição

Planta retangular simples e cobertura homogénea em telhados de duas águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com soco de faixa preta e cunhais, frisos, cornijas, molduras dos vãos e elementos decorativos pintados de azul, amarelo, vermelho e verde. Fachadas de cunhais boleados, com pilastras caneladas, pintadas de branco e vermelho, assentes em bases, e terminadas em platibanda plena, definidas por cornijas, duplas inferiormente, pintadas de vermelho, azul, verde e amarelo e seccionadas por falsos plintos almofadados. A fachada principal, virada a O., tem os cunhais coroados por vasos e termina em frontão polilobado sobre a platibanda, rematado em cornija, sobreposta por coroa do Espírito Santo; a platibanda é decorada por cartela de moldura fitomórfica inscrita e o tímpano por cartela definida por palmas e concha no fecho, contendo pomba do Espírito Santo relevada, entre florões relevados. É rasgada por três vãos em arco trilobado, com molduras percorridas por frisos pintados a vermelho, amarelo e azul, ao centro assentes em plintos paralelepipédicos ornados com motivos geométricos, correspondendo a porta entre duas janelas de peitoril, todos com bandeiras seccionadas e formando for estilizada; as janelas têm guarda de peito em ferro fundido, ornada com motivos vegetalistas, pintada de cinzento, e, sob a moldura, panos de peito com almofadas retangulares relevadas, pintadas de verde e branco. Entre os vãos existem falsos plintos almofadados, dispostos no enfiamento dos da platibanda, e, sobre o portal, florão relevado inserido em moldura quadrangular. Fachadas laterais semelhantes, estruturadas e rasgadas por dois vãos semelhantes aos da frontaria, em arco trilobado, com molduras percorridos por frisos pintados de vermelho, amarelo e azul, correspondendo a janela, com guarda de peito em ferro e pano de peito almofadado, e a porta. No enfiamento dos plintos que seccionam o corpo do império e a platibanda, surge no remate pináculos vazados, ornados de volutas e acantos.

Acessos

Ribeirinha, Rua da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, adossado, no ângulo reto entre dois edifícios, formando gaveto, circundado por vias públicas alcatroadas, com passeio separador num dos lados e adaptado ao declive do terreno. O império desenvolve-se sobre soco, acompanhando lateralmente o perfil dos arruamentos, pintado de branco e com faixa em cimento encarapinhado pintado de preto, com duas composições figurativas, sobrepostas por guarda de cimento vazada, pintada de branco, intercalada por pilaretes e com capeamento, pintado de azul. Na fachada lateral esquerda surge representado sobre uma mesa uma pipa de vinho, um jarro, duas canecas e um ramo de videira; na lateral direita surge sobre a mesa cesto de pães, prato com dois bolos e três hortênsias. Frontalmente, possui acesso por escada de lanços opostos, com guarda igual, e frontal pintado com a coroa e pomba do Espírito Santo e o bastão. Posteriormente, tem adossado pequeno anexo. Nas imediações, ergue-se a Igreja Paroquial de Ribeirinha (v. PT071901080064).

Descrição Complementar

A cartela da platibanda tem inscrita a data "1898" e sobre a janela esquerda da fachada principal existe lápide, em bronze, com a inscrição "COMEMORAÇÃO / DO CENTENÁRIO / 1898 - 1998".

Utilização Inicial

Religiosa: império do Divino Espírito Santo

Utilização Actual

Religiosa: império do Divino Espírito Santo

Propriedade

Privada: Irmandade

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1898, 16 maio - alvará determinando a reconstrução do império, que então se implantava no adro da igreja; data inscrita no remate; 1920, década - transferência do império do adro da igreja para o atual local; posteriormente procede-se à construção da escada de acesso e guarda do soco.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada; portas e caixilharia de madeira; vidros simples e policromos; guarda em grelhagem de cimento; lápide de bronze; cobertura de telha.

Bibliografia

CAMPOS, João dos Santos de Sousa - Para uma explicação da arquitectura dos Impérios do Espírito Santo. Porto. Dissertação de Mestrado em Relações Internacionais, apresentada à Universidade Aberta, texto policopiado, s.n., 2002; LOPES, Tenente-coronel Frederico - Memória sobre as Festas do Espírito Santo na ilha Terceira dos Açores. Sep. do Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira. Angra do Heroísmo: Tipografia Andrade, s.d.; MERELIM, Pedro de - As 18 Paróquias de Angra. Sumário Histórico. Angra do Heroísmo: tipografia Minerva Comercial, 1974.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO.

Autor e Data

Paula Noé 2012

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login