Império do Espírito Santo de São Brás

IPA.00033191
Portugal, Ilha Terceira (Açores), Praia da Vitória, São Brás
 
Arquitetura religiosa, oitocentista. Império de planta retangular, interiormente de espaço único, construído sobre soco e tendo despensa construída nas imediações. Apresenta a fachada principal rematada em frontão contracurvo sobreposto pela coroa do Espírito Santo, estruturada e seccionada por três eixos de vãos, correspondendo a portal entre janelas, estas tendo inferiormente almofadas instritas, sendo os elementos estruturais e decorativos em argamassa, sublinhados por policromia verde e amarela, de sabor popular. As fachadas laterais, terminadas em cornija, são também estruturadas por vãos semelhantes. No interior possui nicho de cantaria para exposição dos símbolos do Espírito Santo. O edifício da despensa tem planta retangular larga e a fachada principal evolui num piso, rasgada por vãos abatidos, correspondendo a um portal entre janelas de peitoril.
Número IPA Antigo: PT071905090033
 
Registo visualizado 1505 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Império    

Descrição

IMPÉRIO de planta retangular simples, e cobertura homogénea em telhados de duas águas, rematada em beirada simples. Fachadas desenvolvidas sobre alto soco, rebocadas e pintadas de branco, com faixa pintada de preto no soco e as cornijas, plintos, molduras dos vãos e elementos decorativos pintadas de verde e amarelo. Fachada principal virada a NO., terminada em frontão contracurvo com cornija, truncada no topo, coroado por coroa do Espírito Santo, e com colunas torsas nos cunhais, pintadas de amarelo, coroadas por pináculos sobre plintos paralelepipédicos; o tímpano é decorado por elementos fitomórficos relevados, pintados de castanho, com folhas verdes e botões vermelhos, e por cartela inscrita. É rasgada por três vãos em arco canopial rematado por elementos fitomórficos, assentes em colunelos, o central torso e pintado de amarelo e os laterais lisos e pintados de verde, sobre plintos cilíndricos, correspondendo a porta entre duas janelas de peitoril, todos com bandeiras e as janelas tendo inferiormente pano de peito com almofada quadrangular de cantos curvos, e moldura pintada de verde. Fachadas laterais terminadas em cornija, com pilastra nos cunhais posteriores e rasgadas por esquema semelhante ao da frontaria, mas apenas com três janelas, de arco trilobado sobre colunelos, assentes em plintos curvos e inferiormente decoradas por almofada quadrangular de ângulos curvos, com moldura verde. Fachada posterior cega e terminada em cornija. INTERIOR de paredes rebocadas e pintadas de branco e com azulejos de padrão fitomórfico formando silhar, e teto de madeira, de duas águas, com travejamento aparente. Na parede testeira abre-se nicho de cantaria, em arco de volta perfeita sobre pilastras, pintado de amarelo e verde, interiormente pintado de branco e com dois degraus para exposição dos símbolos do Espírito Santo. Ladeia-o duas mísulas de cantaria, desnudas. A DESPENSA, disposta perpendicularmente, tem planta retangular e massa simpes, com cobertura homogénea em telhados de quatro águas, rematados em beirada simples. Tem fachadas de um piso, rebocadas e pintadas de branco, a principal virada a O., com embasamento pintado de preto e cunhais de azul esverdeado, rasgada por três vãos em arco abatido, moldurados, correspondendo a portal entre duas janelas de peitoril.

Acessos

São Brás, Largo da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, adaptado ao declive do terreno, inserido no adro da Igreja Paroquial (v. PT071905090014), erguendo-se à esquerda, perpendicularmente, a respectiva despensa. O soco do império possui balcão frontal, protegido por guarda em alvenaria vasada, com motivos fitomórficos, pintada de branco, e com pilaretes pintados de verde nos cunhais, precedido por cinco degraus semicirculares, pintados de preto, e com portão em ferro. A despensa possui balcão frontal, com guarda plena ornada por losangos relevados, precedido por dois degraus.

Descrição Complementar

No espaldar surge cartela elíptica de cantaria, com a inscrição "F. 1875 / R. 1956" e com moldura pintada de amarelo e toro a azul e branco.

Utilização Inicial

Religiosa: império do Divino Espírito Santo

Utilização Actual

Religiosa: império do Divino Espírito Santo

Propriedade

Privada: Irmandade

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1874 - fotografia antiga documenta o Império antes da reconstrução, o qual se erguia noutro local, tinha esta data inscrita no tímpano e o portal era acedido diretamente por uma escada semicircular de cinco degraus; 1875 - data inscrita no tímpano para assinalar a sua construção; 1956 - data inscrita na cartela assinalando a reconstrução do império; nestas obras deslocou-se o Império para junto da igreja e procedeu-se à edificação de um soco mais alto, precedido por balcão frontal e com guarda vazada de alvenaria e portão de ferro; 1999, depois - alteração da policromia do Império, pintando-se os elementos estruturais e decorativos a verde e amarelo.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria de pedra rebocada e caiada; cunhais, cornijas e molduras dos vãos em cantaria pintada; mísulas em cantaria aparente; portas e caixilharia de alumínio; guarda de cimento vazada; silhar de azulejos bícromos; teto dfe madeira; cobertura de telha de meia-cana, rematada por beiral simples.

Bibliografia

CAMPOS, João dos Santos de Sousa - Para uma explicação da arquitectura dos Impérios do Espírito Santo. Porto: s.n., 2002. Dissertação de Mestrado em Relações Internacionais, apresentada à Universidade Aberta, texto policopiado; LOPES, Tenente-coronel Frederico, Memória sobre as Festas do Espírito Santo na ilha Terceira dos Açores, Sep. do vol. 15 do Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, Angra do Heroísmo, Tipografia Andrade, s.d.; MARTINS, Francisco Ernesto de Oliveira - Praia Fotomemória do seu concelho. s.l.: Câmara Municipal da Praia da Vitória, 1989; TOSTÕES, Ana, CALDAS, João Vieira, Arquitetura Popular dos Açores. s.l.: Ordem dos Arquitectos, 2000; http://www.inventario.iacultura.pt/terceira/praiavitoria, março 2012.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Paula Noé 2012

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login